Jornal Página 3

Brasil lidera número de smartphones conectados na América Latina

RICARDO AMPUDIA, ENVIADO ESPECIAL*
SAN FRANCISCO, EUA (FOLHAPRESS) - Um relatório da GSMA -entidade que representa operadoras móveis do mundo todo- aponta o Brasil como o país com mais smartphones conectados à internet na América Latina. São 234,6 milhões de conexões sem fio no país no terceiro trimestre do ano, sendo 73% a partir destes aparelhos, 35% usando tecnologia 4G.

Publicado no primeiro dia da edição americana da Mobile World Congress, em San Francisco, o estudo indica que Brasil e Argentina lideraram a taxa de adoção do 4G na região. A Argentina tem 24% das conexões nesta banda, mesma média da América Latina.

O México figura em segundo lugar no número de usuários de smartphones, com 108,6 milhões de conexões móveis, sendo 63% via smartphones.

A base da lista expõe alguns desafios de estrutura da tecnologia na região. Países da América Central, como Haiti, El Salvador e Honduras, têm a taxa de conexões via smartphone menores que 35%.

Dando os primeiros passos na internet pública, graças a abertura política dos últimos anos, Cuba adotou o 3G ainda neste ano (no Brasil, o 3G está ativo desde 2004). Com uma das infraestruturas mais atrasadas da região, o Haiti também não conta com 4G.

PELO MUNDO

Outro relatório da GSMA também apresentado durante o evento estima que 4 bilhões de pessoas estão conectadas à internet sem fio ao redor do mundo.

O desafio lançado no evento é conectar o próximo bilhão. O relatório pondera que o último bilhão levou cerca de quatro anos para ser conectado, mas o próximo deve levar ainda mais tempo.

Cerca de 3,7 bilhões de pessoas não tem acesso à internet móvel no mundo. 42% deles vivem em regiões da Índia e África Subsaariana, onde 60% da população não têm nenhum tipo de acesso à rede.

Locais inóspitos e regiões rurais são um desafio, mas somente um terço destes não-conectados vivem fora da área de abrangência do sinal de internet móvel. O estudo sugere que as causas sejam, não de alcance, mas sociais, educacionais e até de gênero.

O FUTURO DA REDE

"Se o 4G mudou nossas vidas, o 5G vai mudar a sociedade", disse o presidente da GSMA, Mats Granyard, na abertura do fórum em San Francisco.

Alardeado como o futuro da internet móvel, a nova banda de sinal promete ser até cem vezes mais rápida que o 4G e possibilitar a adoção de coisas conectadas à internet, como carros e aviões autônomos e é um dos grandes temas do encontro.

Segundo ele, os Estados Unidos deverá liderar essa nova revolução, disputada também por Europa, Coreia do Sul e Japão. Ele projeta que 50% das conexões mobile estadunidenses sejam em 5G em 2025, contra 30% esperado para a Europa na mesma data.

Também presente na abertura do evento, o empresário Carlos Slim Domit, presidente da América Móvil -grupo que inclui as operadoras Claro, Telmex e Telcel-, disse que um novo mercado exige novas regras. "Precisamos preparar as estruturas e isso passa por discutir novas regulamentações. A revolução na tecnologia anda lado a lado com marcos regulatórios".

A afirmação faz coro ao discurso da indústria mobile, reunida no evento, que pressiona governos a acelerarem as leis relativas à rede e ao uso do espectro para ganhar vantagem competitiva na implementação do 5G.

(*O jornalista viajou a convite da GSMA). 


Quarta, 13/9/2017 6:57.
Publicidade


Cidade

É resultado de desrespeito e incapacidade administrativa. Escola é a única que oferece ensino integral para educação fundamental.


Empregos

Com terceirização os 157 contratados poderão ser mantidos no emprego. Veja as vagas disponíveis.


Geral

Devido serviço de manutenção na ETA


Cidade

Navio já chegou com passageiros de 14 nacionalidades e 1.283 tripulantes 


Mundo/Internacional


Publicidade

Projetos têm nomes de árvores nativas e podem ser adequados ao gosto dos clientes


Publicidade