Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Tecnologia
Zuckerberg aceita convite para depor ao Parlamento Europeu

Quarta, 16/5/2018 16:22.

Publicidade

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, aceitou depor ao Parlamento Europeu sobre a privacidade de usuários da rede social, na esteira do escândalo com a consultoria Cambridge Analytica.

Ainda sem data marcada, o depoimento deve ocorrer até o fim da próxima semana, segundo afirmou, em nota, o presidente da Casa, Antonio Tajani, nesta quarta-feira (16).

O presidente do Parlamento Europeu adiantou que o executivo americano vai se reunir com líderes de partidos e deputados da comissão responsável por temas relacionados a liberdades civis.

"Nossos cidadãos merecem uma completa e detalhada explicação. Eu agradeço a decisão de Zuckerberg de aparecer pessoalmente diante dos representantes de 500 milhões de europeus. É um passo na direção certa para recuperar a confiança", afirmou Tajani no comunicado.
No início de abril, Zuckerberg foi convocado para cerimônias semelhantes na Câmara e no Senado dos Estados Unidos.

A pressão política sobre o Facebook se intensificou em março, após os jornais The New York Times e The Observer revelarem que 87 milhões de usuários tiveram dados violados por meio de um aplicativo usado pela consultoria Cambridge Analytica para formatar campanhas políticas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Zuckerberg aceita convite para depor ao Parlamento Europeu

Publicidade

Quarta, 16/5/2018 16:22.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, aceitou depor ao Parlamento Europeu sobre a privacidade de usuários da rede social, na esteira do escândalo com a consultoria Cambridge Analytica.

Ainda sem data marcada, o depoimento deve ocorrer até o fim da próxima semana, segundo afirmou, em nota, o presidente da Casa, Antonio Tajani, nesta quarta-feira (16).

O presidente do Parlamento Europeu adiantou que o executivo americano vai se reunir com líderes de partidos e deputados da comissão responsável por temas relacionados a liberdades civis.

"Nossos cidadãos merecem uma completa e detalhada explicação. Eu agradeço a decisão de Zuckerberg de aparecer pessoalmente diante dos representantes de 500 milhões de europeus. É um passo na direção certa para recuperar a confiança", afirmou Tajani no comunicado.
No início de abril, Zuckerberg foi convocado para cerimônias semelhantes na Câmara e no Senado dos Estados Unidos.

A pressão política sobre o Facebook se intensificou em março, após os jornais The New York Times e The Observer revelarem que 87 milhões de usuários tiveram dados violados por meio de um aplicativo usado pela consultoria Cambridge Analytica para formatar campanhas políticas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade