Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Cade aprova compartilhamento de rede entre TIM e Oi para implantação de 4G

Quarta, 7/11/2018 17:06.

(FOLHAPRESS)

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) deu aval, nesta quarta-feira (7), para que as operadoras de telefonia TIM e Oi compartilhem a rede, a fim de implantar a operação da banda larga por meio da tecnologia 4G no Brasil.

A aprovação do conselho antitruste ocorreu sem restrições.

O relator da operação no Cade, conselheiro João Paulo de Resende, disse que há evidências fornecidas pela Anatel que mostram que, com o compartilhamento, o custo do minuto de tráfego para o cliente de ambas as empresas diminuiu.

A aprovação se refere a um aditivo ao contrato original entre as operadoras, que já previa o compartilhamento da rede física, como torres e outros equipamentos.

Segundo Resende, o novo acordo introduz o uso conjunto de radiofrequência e aumenta o número de localidades onde se encontra a rede física, a serem compartilhadas pelas operadoras.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Cade aprova compartilhamento de rede entre TIM e Oi para implantação de 4G

Quarta, 7/11/2018 17:06.

(FOLHAPRESS)

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) deu aval, nesta quarta-feira (7), para que as operadoras de telefonia TIM e Oi compartilhem a rede, a fim de implantar a operação da banda larga por meio da tecnologia 4G no Brasil.

A aprovação do conselho antitruste ocorreu sem restrições.

O relator da operação no Cade, conselheiro João Paulo de Resende, disse que há evidências fornecidas pela Anatel que mostram que, com o compartilhamento, o custo do minuto de tráfego para o cliente de ambas as empresas diminuiu.

A aprovação se refere a um aditivo ao contrato original entre as operadoras, que já previa o compartilhamento da rede física, como torres e outros equipamentos.

Segundo Resende, o novo acordo introduz o uso conjunto de radiofrequência e aumenta o número de localidades onde se encontra a rede física, a serem compartilhadas pelas operadoras.

Publicidade

Publicidade