Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Saiba como usar o telefone celular em viagens ao exterior
The Points Guy

Sábado, 20/4/2019 5:55.

BRENDA ZACHARIAS
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Seja para consultar mapas ou postar nas redes sociais, ter acesso à internet durante uma viagem ao exterior virou uma prioridade para muitos viajantes.

"Notamos um aumento de quase 34% no número de clientes que procuram planos de voz e dados para usar fora do país de 2017 para 2018", diz Siderley Santos, vice-presidente da agência Maringá Turismo.

Se o destino for uma grande cidade nos Estados Unidos ou na Europa, o plano de internet móvel pode não ser tão necessário: é fácil encontrar pontos de wi-fi gratuito em lanchonetes e cafeterias, lembra Frederico Levy, diretor da agência Interpoint.

Nesse caso, só vale a pena pagar pela internet se a pessoa tem o costume de se conectar durante deslocamentos –pede transporte por aplicativo, por exemplo.

Entre as opções de serviço estão os planos da própria operadora no Brasil e os pacotes pré-pagos de companhias do país visitado.

Na primeira categoria, a modalidade mais tradicional é o roaming, que permite que o chip do Brasil seja reconhecido no exterior. O usuário pode fazer e receber chamadas com o número brasileiro.

Usuários de planos pós-pagos podem contratar pacotes de internet e de voz nas operadoras nacionais, que são cobrados por dia de uso ou pela quantidade de dados.

Para contratá-los, é preciso ligar na central de atendimento da operadora pelo menos um dia antes do embarque. No caso da Vivo, o serviço é ativado automaticamente ao usar o celular no destino. A Claro passou a incluir a cobertura internacional em todas as novas assinaturas de planos pós-pagos, sem cobrança de roaming.

O corretor de seguros Robson Sponda, 56, optou por usar o roaming de sua operadora durante um cruzeiro por Estados Unidos e Caribe em janeiro deste ano.

A conexão ajudou Robson a se locomover nos pontos de parada do navio, como em San Juan, em Porto Rico. "Passei por vários países, não compensaria comprar o chip de um destino só", afirma.

Para Levy, o roaming é a opção mais confortável, porque não exige que o turista pesquise as operadoras no destino, além de funcionar melhor em passeios por mais de um país.

"Vale a pena quando o uso da rede não é necessário o tempo todo, como em safáris ou cruzeiros", afirma.

Os pacotes mais econômicos nas operadoras nacionais são para Estados Unidos, América Central e América do Sul. Os mais caros são para África e Oceania. No roaming, ligações chegam a ser cinco vezes mais caras que os valores cobrados em chamadas locais.

Para quem busca um plano com um grande volume de dados, a modalidade pode não compensar. Na Tim, o pacote passport é limitado a 300 MB de internet; na Vivo, o maior serviço é de 1 GB.

Nesse caso, a solução pode ser adquirir um chip pré-pago no país de destino. As operadoras internacionais oferecem planos por um período limitado, de geralmente 30 dias a partir da compra, e sem a necessidade de residir no país.

Foi essa a escolha do analista de marca Laio Soares, 24, que viajou à Coreia do Sul entre agosto e setembro de 2018. O chip foi necessário para visitar locais fora da capital, Seul.

Por US$ 32 (R$ 123), ele comprou um pacote com 10 GB de internet válido por dez dias, período que cobriu a maior parte de sua viagem.

"Não tive o desconforto de ficar procurando por redes públicas ou pedindo senhas", diz.

O chip foi comprado no site da própria operadora e retirado no aeroporto, depois do desembarque. "Era a minha primeira vez lá. Demorou mais para achar a loja do que para ativar o chip, porque o produto vem com um manual", lembra Soares.

Para quem busca comodidade, há a opção de contratar empresas intermediadoras, que vendem chips internacionais pelo correio. O turista recebe o produto antes do embarque, ainda no Brasil.

A companhia EasySim4U oferece chips da operadora T-Mobile com dados ilimitados, divididos entre Estados Unidos, Europa e mundo.

A MySimTravel tem planos que funcionam em mais de 200 países, com chip que reconhece a operadora do local. A empresa permite que o usuário controle a despesa e compre mais saldo por aplicativo.

QUANTO CUSTA USAR O CELULAR NO EXTERIOR

Operadoras nacionais

Vivo
Inclui 50 minutos em ligações para números do país visitado ou do Brasil e envio ilimitado de mensagens de texto. A franquia de internet varia entre 5 MB e 1 GB. A diária em países da América ou da Europa custa R$ 39,99; na África, na Ásia e na Oceania, R$ 59,99

Tim
No pacote passport, o usuário tem 300 MB de internet e 30 minutos de ligações para números do país visitado ou para o Brasil. Para Estados Unidos e Canadá, o pacote custa R$ 104,90; já para outro grupo de 29 países, que inclui Argentina e Portugal, custa R$ 129,90

Claro
Assinantes de planos pós-pagos podem contratar o plano passaporte. O usuário paga a franquia por 12 meses e tem ligações ilimitadas para números do país visitado ou do Brasil. Custa R$ 9,99 por mês para 18 países do grupo Américas; para o grupo Europa, custa R$ 19,99. Novos planos pós-pagos incluem o passaporte do grupo Américas

Oi
Oferece planos pré-pagos com a opção de contratar voz ou dados. Para quem irá viajar aos EUA, o pacote de 1 GB de internet custa R$ 59,90, e o pacote de 50 minutos de ligações, R$ 29,90, a serem usados em até 30 dias. Nos demais países da América ou da Europa, 500 MB de internet custam R$ 99,90, e 50 minutos de voz, R$ 59,90

Nextel O usuário contrata um pacote de créditos, que são descontados conforme o uso. O pacote para os Estados Unidos custa R$ 29,99. Nele, cada MB de internet consumido custa R$ 0,15; cada minuto de ligação, R$ 0,75; e cada SMS enviado, R$ 0,75

Operadoras no exterior

T-Mobile
O plano Tourist da operadora americana custa US$ 30 (R$ 116). Inclui 2 GB de internet, mil minutos de ligações locais e mensagens de texto ilimitadas. Expira em 21 dias

Orange
Na operadora francesa, o plano sai por € 39,99 (R$ 174) e inclui 10 GB de internet, mil mensagens de texto e 120 minutos de ligações locais. Vale por 14 dias após a ativação

O2
Na Alemanha, a operadora tem pacotes com ligações ilimitadas para números alemães a partir de € 9,99 (R$ 43), com 1,5 GB de internet

Movistar
O pacote pré-pago da operadora na Argentina começa em 110 pesos (R$ 10,10). Válido por sete dias, inclui 1,5 GB de internet, 60 minutos de ligações e mensagens de texto ilimitadas

Chip internacional

EasySim4U
Vende pacotes a partir de US$ 37 (R$ 143), com internet ilimitada nos Estados Unidos por cinco dias (para cada dia extra, acrescenta-se US$ 1, ou R$ 3,86)

MySimTravel
Os planos começam em R$ 165,90 para um grupo de 71 países da América, da Europa, da Ásia e da Oceania, incluindo 1 GB de internet para usar em até 30 dias 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Saiba como usar o telefone celular em viagens ao exterior

The Points Guy

Publicidade

Sábado, 20/4/2019 5:55.

BRENDA ZACHARIAS
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Seja para consultar mapas ou postar nas redes sociais, ter acesso à internet durante uma viagem ao exterior virou uma prioridade para muitos viajantes.

"Notamos um aumento de quase 34% no número de clientes que procuram planos de voz e dados para usar fora do país de 2017 para 2018", diz Siderley Santos, vice-presidente da agência Maringá Turismo.

Se o destino for uma grande cidade nos Estados Unidos ou na Europa, o plano de internet móvel pode não ser tão necessário: é fácil encontrar pontos de wi-fi gratuito em lanchonetes e cafeterias, lembra Frederico Levy, diretor da agência Interpoint.

Nesse caso, só vale a pena pagar pela internet se a pessoa tem o costume de se conectar durante deslocamentos –pede transporte por aplicativo, por exemplo.

Entre as opções de serviço estão os planos da própria operadora no Brasil e os pacotes pré-pagos de companhias do país visitado.

Na primeira categoria, a modalidade mais tradicional é o roaming, que permite que o chip do Brasil seja reconhecido no exterior. O usuário pode fazer e receber chamadas com o número brasileiro.

Usuários de planos pós-pagos podem contratar pacotes de internet e de voz nas operadoras nacionais, que são cobrados por dia de uso ou pela quantidade de dados.

Para contratá-los, é preciso ligar na central de atendimento da operadora pelo menos um dia antes do embarque. No caso da Vivo, o serviço é ativado automaticamente ao usar o celular no destino. A Claro passou a incluir a cobertura internacional em todas as novas assinaturas de planos pós-pagos, sem cobrança de roaming.

O corretor de seguros Robson Sponda, 56, optou por usar o roaming de sua operadora durante um cruzeiro por Estados Unidos e Caribe em janeiro deste ano.

A conexão ajudou Robson a se locomover nos pontos de parada do navio, como em San Juan, em Porto Rico. "Passei por vários países, não compensaria comprar o chip de um destino só", afirma.

Para Levy, o roaming é a opção mais confortável, porque não exige que o turista pesquise as operadoras no destino, além de funcionar melhor em passeios por mais de um país.

"Vale a pena quando o uso da rede não é necessário o tempo todo, como em safáris ou cruzeiros", afirma.

Os pacotes mais econômicos nas operadoras nacionais são para Estados Unidos, América Central e América do Sul. Os mais caros são para África e Oceania. No roaming, ligações chegam a ser cinco vezes mais caras que os valores cobrados em chamadas locais.

Para quem busca um plano com um grande volume de dados, a modalidade pode não compensar. Na Tim, o pacote passport é limitado a 300 MB de internet; na Vivo, o maior serviço é de 1 GB.

Nesse caso, a solução pode ser adquirir um chip pré-pago no país de destino. As operadoras internacionais oferecem planos por um período limitado, de geralmente 30 dias a partir da compra, e sem a necessidade de residir no país.

Foi essa a escolha do analista de marca Laio Soares, 24, que viajou à Coreia do Sul entre agosto e setembro de 2018. O chip foi necessário para visitar locais fora da capital, Seul.

Por US$ 32 (R$ 123), ele comprou um pacote com 10 GB de internet válido por dez dias, período que cobriu a maior parte de sua viagem.

"Não tive o desconforto de ficar procurando por redes públicas ou pedindo senhas", diz.

O chip foi comprado no site da própria operadora e retirado no aeroporto, depois do desembarque. "Era a minha primeira vez lá. Demorou mais para achar a loja do que para ativar o chip, porque o produto vem com um manual", lembra Soares.

Para quem busca comodidade, há a opção de contratar empresas intermediadoras, que vendem chips internacionais pelo correio. O turista recebe o produto antes do embarque, ainda no Brasil.

A companhia EasySim4U oferece chips da operadora T-Mobile com dados ilimitados, divididos entre Estados Unidos, Europa e mundo.

A MySimTravel tem planos que funcionam em mais de 200 países, com chip que reconhece a operadora do local. A empresa permite que o usuário controle a despesa e compre mais saldo por aplicativo.

QUANTO CUSTA USAR O CELULAR NO EXTERIOR

Operadoras nacionais

Vivo
Inclui 50 minutos em ligações para números do país visitado ou do Brasil e envio ilimitado de mensagens de texto. A franquia de internet varia entre 5 MB e 1 GB. A diária em países da América ou da Europa custa R$ 39,99; na África, na Ásia e na Oceania, R$ 59,99

Tim
No pacote passport, o usuário tem 300 MB de internet e 30 minutos de ligações para números do país visitado ou para o Brasil. Para Estados Unidos e Canadá, o pacote custa R$ 104,90; já para outro grupo de 29 países, que inclui Argentina e Portugal, custa R$ 129,90

Claro
Assinantes de planos pós-pagos podem contratar o plano passaporte. O usuário paga a franquia por 12 meses e tem ligações ilimitadas para números do país visitado ou do Brasil. Custa R$ 9,99 por mês para 18 países do grupo Américas; para o grupo Europa, custa R$ 19,99. Novos planos pós-pagos incluem o passaporte do grupo Américas

Oi
Oferece planos pré-pagos com a opção de contratar voz ou dados. Para quem irá viajar aos EUA, o pacote de 1 GB de internet custa R$ 59,90, e o pacote de 50 minutos de ligações, R$ 29,90, a serem usados em até 30 dias. Nos demais países da América ou da Europa, 500 MB de internet custam R$ 99,90, e 50 minutos de voz, R$ 59,90

Nextel O usuário contrata um pacote de créditos, que são descontados conforme o uso. O pacote para os Estados Unidos custa R$ 29,99. Nele, cada MB de internet consumido custa R$ 0,15; cada minuto de ligação, R$ 0,75; e cada SMS enviado, R$ 0,75

Operadoras no exterior

T-Mobile
O plano Tourist da operadora americana custa US$ 30 (R$ 116). Inclui 2 GB de internet, mil minutos de ligações locais e mensagens de texto ilimitadas. Expira em 21 dias

Orange
Na operadora francesa, o plano sai por € 39,99 (R$ 174) e inclui 10 GB de internet, mil mensagens de texto e 120 minutos de ligações locais. Vale por 14 dias após a ativação

O2
Na Alemanha, a operadora tem pacotes com ligações ilimitadas para números alemães a partir de € 9,99 (R$ 43), com 1,5 GB de internet

Movistar
O pacote pré-pago da operadora na Argentina começa em 110 pesos (R$ 10,10). Válido por sete dias, inclui 1,5 GB de internet, 60 minutos de ligações e mensagens de texto ilimitadas

Chip internacional

EasySim4U
Vende pacotes a partir de US$ 37 (R$ 143), com internet ilimitada nos Estados Unidos por cinco dias (para cada dia extra, acrescenta-se US$ 1, ou R$ 3,86)

MySimTravel
Os planos começam em R$ 165,90 para um grupo de 71 países da América, da Europa, da Ásia e da Oceania, incluindo 1 GB de internet para usar em até 30 dias 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade