- Publicidade -
- Publicidade -
17.8 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Nova leva de lançamentos busca colocar IA no dia a dia do usuário; entenda

Google, Microsoft e OpenAI anunciaram novos serviços de inteligência artificial (IA) nesta semana que vão do YouTube ao Excel. O Google abriu a onda de comunicados na segunda (18) e a Microsoft seguiu o caminho nesta quinta-feira (21).

A estratégia de duas das maiores empresas de redobrar os investimentos em IA iniciada no início do ano deve começar a ter mais reflexos para o público em geral a partir desta semana, com a integração de inteligências artificiais como ChatGPT e Bard a produtos cotidianos como emails, editores de texto e de planilhas.

Em janeiro, Google e Microsoft anunciaram reestruturações, que envolviam acelerar lançamentos de recursos com inteligência artificial e aprendizado de máquina e também a demissão de funcionários.

- Publicidade -

Na sequência o Google lançou o Bard para competir com o ChatGPT, que começou a estar presente nas plataformas da Microsoft –isso depois de um financiamento bilionário para a desenvolvedora da IA, OpenAI.

Em uma série de eventos realizadas neste ano, os chefes-executivos de Google, Sundar Pichai, e de Microsoft, Satya Nadella, deram indicativos de que tecnologias geradoras de textos e imagens seriam centrais para mudar a experiência das pessoas com os produtos das empresas.

Até os anúncios deste fim de setembro, pouco havia chegado às soluções tradicionais das duas big techs. Em breve, o público poderá testá-las.

A semana ainda incluiu novidades da própria OpenAI, que anunciou a versão mais recente de sua plataforma geradora de imagens, Dall-E 3. Além de compreender mais nuances e detalhes em pedidos dos usuários, a tecnologia estará integrada à versão por assinatura ChatGPT Plus (disponível por R$ 98,45).

A Amazon, de Jeff Bezos, também seguiu a tendência e embarcou inteligência artificial geradora na assistente virtual Alexa. O anúncio é desta quarta-feira (20).

Veja abaixo os principais lançamentos de inteligência artificial da semana.

EXTENSÕES DO BARD E NOVIDADES NO YOUTUBE

- Publicidade -

A rodada de anúncios começou com as extensões para o chatbot do Google, Bard, na segunda (18). Com esse recurso, a inteligência artificial do Google recebe acesso a informações disponíveis nos apps do Google Workspace (Gmail, Docs, Planilhas e Drive), no Youtube, no Google Maps, no Google Hotels e no Google Flights.

A ferramenta está disponível no Brasil desde terça-feira (19), mas funciona apenas em inglês. O Google não menciona data de lançamento em português.

Durante o acesso ao Bard, o Google avisa que as conversas com a IA podem ser acessadas por revisores humanos. A gigante da tecnologia, entretanto, garante que essas pessoas não têm acesso a dados pessoais acessados pelo Bard durante o uso das extensões.

A opção, em tese, resolve a limitação dos chatbots às informações usadas durante o desenvolvimento do modelo de linguagem. O Bard, que antes não podia ter acesso a informações do usuário, pode agora montar um roteiro de viagem com base em datas de voos ou reserva de hotéis disponíveis nas ferramentas do Google.

O colunista de inteligência artificial do New York Times, Kevin Roose, testou a ferramenta e relata uma sequência de erros: emails inventados, conselhos de viagem ruins e baixa capacidade analítica. Roose, porém, afirma que a tecnologia funciona bem em tarefas simples.

As extensões do Bard, por enquanto, estão disponíveis apenas em contas pessoais e podem ser acessadas nas configurações da plataforma, acessíveis no botão em forma de engrenagem no canto superior direito da tela. Também é necessário alterar o idioma da conta do Google para inglês para acessar a atualização. O usuário pode escolher a quais aplicações do Google o Bard terá acesso.

O YouTube, administrado pela mesma holding que controla o Google (Alphabet), também anunciou nesta quinta-feira (21) recursos com inteligência artificial para facilitar a edição de vídeos. Com as novidades, a experiência de produção fica mais parecida com a do TikTok.

OFFICE AI

Seguindo a tendência de lançamentos de inteligência artificial neste ano, a Microsoft respondeu ao anúncio do Google com a divulgação de um “copiloto à base de IA” para o pacote Office.

Em um evento fechado para a imprensa realizado nesta quinta-feira (21) em Nova York, o chefe-executivo da empresa por trás do Windows, Satya Nadella, mostrou como um usuário poderia encontrar dados de um voo agendado em meio a mensagens com auxílio da ferramenta batizada de “Office AI” –não muito diferente do que as extensões para o Bard são capazes de fazer.

A Microsoft disponibilizará a ferramenta ao público a partir de 26 de setembro. Até 1º de novembro, todos os clientes corporativos devem ter acesso aos recursos, segundo a empresa.

Os recursos de inteligência artificial da Microsoft funcionam a partir dos modelos de inteligência artificial da OpenAI GPT-4 (disponível na versão paga do ChatGPT) e no Dall-e, que gera imagens.

NOVA ALEXA

A assistente virtual da Amazon foi integrada com um modelo de linguagem baseado em IA (inteligência artificial), chamado também de Alexa, similar ao ChatGPT. O anúncio foi feito em evento global de lançamentos da gigante da tecnologia realizado nesta quarta-feira (20) em Arlington, nos Estados Unidos.

A integração com IA permitirá que a Alexa passe a entender frases e contextos para entregar respostas mais apropriadas. Além disso, a assistente conseguirá atender a múltiplos pedidos simultâneos –hoje, a Alexa atende a um por vez.

As novidades visam tornar a experiência com dispositivos de casa inteligente como a Alexa mais interativa, segundo o vice-presidente sênior de dispositivos e negócios da Amazon, Dave Limp. A tecnologia também acelera as respostas da assistente em 40%, conforme o anúncio da Amazon.

A atualização da assistente virtual será lançada “nos próximos meses” (sem previsão) e apenas nos EUA, de forma gradual.

O modelo de linguagem usado no desenvolvimento da Alexa foca os usos tradicionais da assistente virtual e deve entregar uma experiência diferente de interagir com o ChatGPT ou o Bard, do Google, que fornecem de roteiros de viagens a programas de computador simples, disse Limp ao site especializado Verge.

DALL-E 3

O mais recente dos lançamentos veio da OpenAI (startup desenvolvedora do ChatGPT): a terceira versão da IA geradora de imagens Dall-E. Além de mais precisão na tradução dos comandos textuais do usuário em ilustrações, a atualização promete barrar conteúdo violento, adulto ou de ódio.

No campo da geração de imagens, a OpenAI concorre com as plataformas Stability Difusion (de código aberto) e Midjourney, usada para produzir imagens virais falsas do papa de casacão inflável branco.

Diferentemente do Dall-E 2, disponível em plataforma própria, o Dall-E 3 estará integrado a partir de outubro às versões pagas do ChatGPT –Plus (disponível por R$ 98,45) e Enterprise (para empresas).

Ainda antes das polêmicas com o ChatGPT, o Dall-E foi alvo de críticas e processos judiciais por supostamente copiar estilos de artistas visuais, cujos trabalhos foram usados para treinar o modelo de inteligência artificial.

Para evitar problemas de direitos autorais em um serviço pago, a OpenAI afirma que programou o Dall-E 3 para recusar pedidos que peçam para a plataforma copiar o estilo de determinado artista (que também podem pedir para ter imagens retiradas do modelo de linguagem).

(FOLHAPRESS)

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -