Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Turismo
Roda-gigante: o atrativo que promete revolucionar o Pontal Norte de Balneário Camboriú

A esperada e já muito comentada roda-gigante de Balneário Camboriú, a Big Wheel, está em construção, com expectativa de inaugurar até a próxima temporada.

Segunda, 3/2/2020 12:10.
Reprodução/Divulgação

Publicidade

O empreendimento particular é uma iniciativa dos empresários Cícero Fidler, Ricardo Fidler e Erondi Roveda. A construtora contratada para a execução da obra é a Mestra (a mesma que fez o teleférico) e a coordenação para o cumprimento das mais de 100 condicionantes ficou a cargo da Koeddermann Consultores Associados (que também coordenou toda a parte aprovativa junto com a 8B Arquitetura).

O Página 3 conversou com Gil Koeddermann, que é o consultor de sustentabilidade e responsável pela área ambiental do projeto. Ele conta que a primeira parte da obra foi um pouco demorada por conta do cuidado exigido na supressão da vegetação: foram retiradas do local 98 árvores.

“Foi muito trabalhoso. Também tiramos de lá eucaliptos (mais de 200m cúbicos, que foram encaminhados à prefeitura e aos bombeiros) e pinus, utilizando um guindaste de mais de 100 metros, porque não era só cortar. O guindaste possuía duas correias, uma para levantar a pessoa que estava cortando e outra para segurar a árvore cortada, porque se a árvore caísse ia afetar a vegetação”, explica.

Já foi finalizado também o processo da retirada dos tocos das árvores e terraplanagem. Como foi feita uma intervenção na década de 80 não foi necessário retirar muita terra.

“Agora estamos recompondo o talude para que não aconteça nenhum deslizamento. É algo que também demora. Depois dessa fundação vamos fazer a base de sustentação da roda, prevista para iniciar em fevereiro”, diz.

Também há a preocupação com a fauna do local, e por isso os trabalhadores fizeram um treinamento para possível manuseio com animais silvestres, já que podem aparecer lagartos, cobras, dentre outros bichos.

“Vai ser algo comum e os funcionários precisam saber lidar e como afastar os animais da maneira correta. Estamos tendo todos os cuidados para não prejudicar o status quo existente ali”, comenta.

Já entre março e abril a equipe irá iniciar os trabalhos na área de preservação ambiental, onde foram instaladas câmeras, assim como no deck – evitando a presença de pessoas estranhas, como usuários de drogas. Apenas pesquisadores poderão frequentar a área de preservação.

Em breve a equipe da diretoria vai para a China para saber como está a produção da roda. Gil foi no fim de 2019 para Orlando, nos Estados Unidos, onde se encontrou com os responsáveis em uma feira.

“A roda é um projeto semelhante à London Eye, com tecnologia eletrônica da Alemanha, cabines da Holanda – a mais moderna existente hoje, a fábrica é na China e o aço é do Brasil. Tudo será trazido via Porto de Itajaí em 48 contêineres, entre julho e agosto, se não houver nenhum atraso. Estamos todos bem entusiasmados, está tudo dando certo”, acrescenta.

O consultor aproveita para destacar que nos últimos 20 anos a Barra Sul sofreu ‘um grande boom’, mudando a sua temática de lazer noturno para diário, citando a Marina Tedesco, o Parque Unipraias, molhe, Terminal Portuário de cruzeiros, e que o Pontal Norte, com o Rio Marambaia, era o ‘patinho feio’.

“O novo governo deu atenção especial ao Norte, encarou de fato a poluição, enfrentou isso, fez o molhe, que era muito necessário, mudou a característica, agora o turista e o morador tem os dois lados para apreciar a cidade, Sul e Norte. Junto a isso vem a roda-gigante, que quando ficar pronta tenho a máxima certeza que será algo único, unindo mata, mar aberto, praia, edíficios. Será a vista mais linda”, opina.

Segundo Gil, a cabine propiciará visão 360º, com 88m de altura (ficando mais alta do que a roda) e oito metros mais alta que o Edifício Terraço da Rainha, que ficará ao lado dela. “Será uma visão inacreditável. Balneário teve marcos, como a reurbanização da Avenida Atlântica e do Calçadão, depois o Cristo Luz, Teleférico Unipraias, Marina Tedesco, Atracadouro, o Aquário e agora a roda-gigante. Temos poucos atrativos turísticos, Gramado e Canela juntos têm mais de 40 atrações, precisamos de ainda mais e a roda é um grande passo”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução/Divulgação

Roda-gigante: o atrativo que promete revolucionar o Pontal Norte de Balneário Camboriú

A esperada e já muito comentada roda-gigante de Balneário Camboriú, a Big Wheel, está em construção, com expectativa de inaugurar até a próxima temporada.

Publicidade

Segunda, 3/2/2020 12:10.

O empreendimento particular é uma iniciativa dos empresários Cícero Fidler, Ricardo Fidler e Erondi Roveda. A construtora contratada para a execução da obra é a Mestra (a mesma que fez o teleférico) e a coordenação para o cumprimento das mais de 100 condicionantes ficou a cargo da Koeddermann Consultores Associados (que também coordenou toda a parte aprovativa junto com a 8B Arquitetura).

O Página 3 conversou com Gil Koeddermann, que é o consultor de sustentabilidade e responsável pela área ambiental do projeto. Ele conta que a primeira parte da obra foi um pouco demorada por conta do cuidado exigido na supressão da vegetação: foram retiradas do local 98 árvores.

“Foi muito trabalhoso. Também tiramos de lá eucaliptos (mais de 200m cúbicos, que foram encaminhados à prefeitura e aos bombeiros) e pinus, utilizando um guindaste de mais de 100 metros, porque não era só cortar. O guindaste possuía duas correias, uma para levantar a pessoa que estava cortando e outra para segurar a árvore cortada, porque se a árvore caísse ia afetar a vegetação”, explica.

Já foi finalizado também o processo da retirada dos tocos das árvores e terraplanagem. Como foi feita uma intervenção na década de 80 não foi necessário retirar muita terra.

“Agora estamos recompondo o talude para que não aconteça nenhum deslizamento. É algo que também demora. Depois dessa fundação vamos fazer a base de sustentação da roda, prevista para iniciar em fevereiro”, diz.

Também há a preocupação com a fauna do local, e por isso os trabalhadores fizeram um treinamento para possível manuseio com animais silvestres, já que podem aparecer lagartos, cobras, dentre outros bichos.

“Vai ser algo comum e os funcionários precisam saber lidar e como afastar os animais da maneira correta. Estamos tendo todos os cuidados para não prejudicar o status quo existente ali”, comenta.

Já entre março e abril a equipe irá iniciar os trabalhos na área de preservação ambiental, onde foram instaladas câmeras, assim como no deck – evitando a presença de pessoas estranhas, como usuários de drogas. Apenas pesquisadores poderão frequentar a área de preservação.

Em breve a equipe da diretoria vai para a China para saber como está a produção da roda. Gil foi no fim de 2019 para Orlando, nos Estados Unidos, onde se encontrou com os responsáveis em uma feira.

“A roda é um projeto semelhante à London Eye, com tecnologia eletrônica da Alemanha, cabines da Holanda – a mais moderna existente hoje, a fábrica é na China e o aço é do Brasil. Tudo será trazido via Porto de Itajaí em 48 contêineres, entre julho e agosto, se não houver nenhum atraso. Estamos todos bem entusiasmados, está tudo dando certo”, acrescenta.

O consultor aproveita para destacar que nos últimos 20 anos a Barra Sul sofreu ‘um grande boom’, mudando a sua temática de lazer noturno para diário, citando a Marina Tedesco, o Parque Unipraias, molhe, Terminal Portuário de cruzeiros, e que o Pontal Norte, com o Rio Marambaia, era o ‘patinho feio’.

“O novo governo deu atenção especial ao Norte, encarou de fato a poluição, enfrentou isso, fez o molhe, que era muito necessário, mudou a característica, agora o turista e o morador tem os dois lados para apreciar a cidade, Sul e Norte. Junto a isso vem a roda-gigante, que quando ficar pronta tenho a máxima certeza que será algo único, unindo mata, mar aberto, praia, edíficios. Será a vista mais linda”, opina.

Segundo Gil, a cabine propiciará visão 360º, com 88m de altura (ficando mais alta do que a roda) e oito metros mais alta que o Edifício Terraço da Rainha, que ficará ao lado dela. “Será uma visão inacreditável. Balneário teve marcos, como a reurbanização da Avenida Atlântica e do Calçadão, depois o Cristo Luz, Teleférico Unipraias, Marina Tedesco, Atracadouro, o Aquário e agora a roda-gigante. Temos poucos atrativos turísticos, Gramado e Canela juntos têm mais de 40 atrações, precisamos de ainda mais e a roda é um grande passo”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade