Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Turismo
Temporada mais fraca do que o esperado, mas Carnaval deve ser movimentado em Balneário Camboriú

"... Não depende de Balneário Camboriú. Com certeza se ninguém tivesse problema econômico o fluxo turístico dos argentinos, chilenos, seria bem maior ..."

Quarta, 5/2/2020 15:19.
Divulgação/PMBC
Carnaval nunca foi tão esperado por aqui

Publicidade

As pessoas que trabalham com turismo estão desanimadas com a temporada de verão, que foi mais fraca do que o esperado – principalmente pela ausência dos argentinos, já que o país passa por uma crise econômica, porém as expectativas para o Carnaval estão boas, apesar de serem poucos dias, o movimento deve ser positivo.

O secretário de Turismo, Valdir Walendowsky, conta que a ocupação hoteleira está favorável, mas reconhece que houve uma queda no movimento. Ele diz que o tempo bom que vem fazendo ajuda a atrair turistas, principalmente vindos de lugares próximos e estados vizinhos.

“É um ano de brasileiros, vários países da América do Sul estão com problemas econômicos e são problemas deles, não são nossos. Não depende de Balneário Camboriú. Com certeza se ninguém tivesse problema econômico o fluxo turístico dos argentinos, chilenos, seria bem maior, mas o brasileiro está solucionando essa perda”, opina.

Valdir diz que janeiro foi um mês positivo e que na segunda-feira (3) fez uma reunião com hoteleiros e discutiram a movimentação.

“Temos o controle dos ônibus que chegam na cidade, através do Posto de Informação Turística (PIT) e inclusive houve um crescimento de 8% dos ônibus vindos da Argentina em relação ao ano passado. Esses argentinos têm dólar e não precisam depender de comprar na Argentina, com 30% a mais do que aqui, e esses estão vindo”, destaca.

O secretário acrescenta que o público argentino tem ‘no DNA’ a questão de viajar, e que eles não deixaram de vir por não gostar mais de Balneário e sim pela economia ruim, assim como o Chile, que enfrenta crise desde outubro.

A hoteleira Margot Rosenbrock Libório, proprietária dos hotéis Bella Camboriú e Rosenbrock, que também é vice-presidente do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau, diz que a temporada foi ‘excelente’ até dia 25 de janeiro, mas que houve uma queda forte no fim do mês.

“O início de fevereiro ainda não ‘embalou’, mas acredito que o Carnaval será muito bom, apesar de ser um período bastante curto. São só quatro dias. A gente vai ter um Carnaval legal, de movimento bem positivo, mas quatro dias passam rápido e a gente tem 365 dias de conta no ano, né? (risos). Aí tem março, e a economia argentina tão fragilizada acaba criando essa lacuna. Eles estão deixando esse espaço em aberto e realmente impacta”, diz.

Carnaval

Walendowsky diz que a programação está sendo elaborada e que deve ser divulgada em breve. Uma das novidades deste ano é a eleição da Corte Carnavalesca, coordenada pela Liga Carnavalesca, que não acontecia há algum tempo.

“A gente espera que seja um Carnaval a altura de Balneário. Ainda não posso divulgar nada sobre a programação, porque dia 11 teremos uma abertura de um processo público para inscrição dos blocos, trios e escolas de samba, e antes disso não posso adiantar; mas estamos planejando para ser o maior Carnaval dos últimos anos”, diz.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação/PMBC
Carnaval nunca foi tão esperado por aqui
Carnaval nunca foi tão esperado por aqui

Temporada mais fraca do que o esperado, mas Carnaval deve ser movimentado em Balneário Camboriú

"... Não depende de Balneário Camboriú. Com certeza se ninguém tivesse problema econômico o fluxo turístico dos argentinos, chilenos, seria bem maior ..."

Publicidade

Quarta, 5/2/2020 15:19.

As pessoas que trabalham com turismo estão desanimadas com a temporada de verão, que foi mais fraca do que o esperado – principalmente pela ausência dos argentinos, já que o país passa por uma crise econômica, porém as expectativas para o Carnaval estão boas, apesar de serem poucos dias, o movimento deve ser positivo.

O secretário de Turismo, Valdir Walendowsky, conta que a ocupação hoteleira está favorável, mas reconhece que houve uma queda no movimento. Ele diz que o tempo bom que vem fazendo ajuda a atrair turistas, principalmente vindos de lugares próximos e estados vizinhos.

“É um ano de brasileiros, vários países da América do Sul estão com problemas econômicos e são problemas deles, não são nossos. Não depende de Balneário Camboriú. Com certeza se ninguém tivesse problema econômico o fluxo turístico dos argentinos, chilenos, seria bem maior, mas o brasileiro está solucionando essa perda”, opina.

Valdir diz que janeiro foi um mês positivo e que na segunda-feira (3) fez uma reunião com hoteleiros e discutiram a movimentação.

“Temos o controle dos ônibus que chegam na cidade, através do Posto de Informação Turística (PIT) e inclusive houve um crescimento de 8% dos ônibus vindos da Argentina em relação ao ano passado. Esses argentinos têm dólar e não precisam depender de comprar na Argentina, com 30% a mais do que aqui, e esses estão vindo”, destaca.

O secretário acrescenta que o público argentino tem ‘no DNA’ a questão de viajar, e que eles não deixaram de vir por não gostar mais de Balneário e sim pela economia ruim, assim como o Chile, que enfrenta crise desde outubro.

A hoteleira Margot Rosenbrock Libório, proprietária dos hotéis Bella Camboriú e Rosenbrock, que também é vice-presidente do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau, diz que a temporada foi ‘excelente’ até dia 25 de janeiro, mas que houve uma queda forte no fim do mês.

“O início de fevereiro ainda não ‘embalou’, mas acredito que o Carnaval será muito bom, apesar de ser um período bastante curto. São só quatro dias. A gente vai ter um Carnaval legal, de movimento bem positivo, mas quatro dias passam rápido e a gente tem 365 dias de conta no ano, né? (risos). Aí tem março, e a economia argentina tão fragilizada acaba criando essa lacuna. Eles estão deixando esse espaço em aberto e realmente impacta”, diz.

Carnaval

Walendowsky diz que a programação está sendo elaborada e que deve ser divulgada em breve. Uma das novidades deste ano é a eleição da Corte Carnavalesca, coordenada pela Liga Carnavalesca, que não acontecia há algum tempo.

“A gente espera que seja um Carnaval a altura de Balneário. Ainda não posso divulgar nada sobre a programação, porque dia 11 teremos uma abertura de um processo público para inscrição dos blocos, trios e escolas de samba, e antes disso não posso adiantar; mas estamos planejando para ser o maior Carnaval dos últimos anos”, diz.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade