Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Variedades
Notícias são falsas, diz Val Marchiori sobre ter sido beneficiada por Bendine

"Hello!" nos diz a loura que pegou dinheiro no BB a juros de 4% ao ano

Quinta, 27/7/2017 13:13.
Divulgação.

Publicidade

JOELMIR TAVARES
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - "Hello!", escreveu Val Marchiori em seu blog nesta quinta-feira (27) antes de comentar a prisão nesta manhã de Aldemir Bendine, ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras, pela Operação Lava Jato.

A socialite e apresentadora abriu com seu bordão um texto em que chama de "notícias falsas" as informações sobre ter sido beneficiada pelo amigo quando ele estava à frente do BB.

Na nota, ela se refere ao executivo como "senhor Aldemir Bandine [sic]".

"Com esse fato [prisão], alguns levianamente voltaram a divulgar que existiria suspeita sobre supostos benefícios que ele teria oferecido [...] à minha empresa", disse, negando qualquer ilegalidade.

Com a ajuda do banco, Val conseguiu financiar seu Porsche Cayenne S, modelo 2014, com que ela circulava pelas ruas dos Jardins paulistanos.

Em 2015, a Folha de S.Paulo revelou que a instituição driblou regras internas para financiar à socialite R$ 2,79 milhões, subsidiados pelo governo a juros de 4% ao ano. O financiamento integrava uma linha de crédito para caminhões, e destinava-se à Torke Empreendimentos, transportadora registrada em nome da socialite.

"A acusação é absolutamente insubsistente!", afirmou ela em seu site, que também conta com a seção "Loja da Val", com batons vendidos a R$ 28 e camisetas a R$ 54 -um dos modelos estampa em letras grandes o "hello!" que ela repete em suas aparições na mídia.

Segundo Val, "o Ministério Público Federal continua a tentar reavivar o assunto -primeiro interpôs recurso especial, não admitido pelo Tribunal Regional Federal da Terceira Região, e agora busca rever o julgamento em agravo dirigido ao Superior Tribunal de Justiça".

"Tenho a convicção, contudo, de que a rejeição da denúncia será mantida."

No comunicado, a socialite sustenta que a 10ª Vara Federal Criminal de São Paulo "apreciou esses fatos e rejeitou a denúncia do Ministério Público Federal".

"Não pratiquei qualquer fraude com relação ao empréstimo concedido à empresa Torke pelo Banco do Brasil. Essa operação foi absolutamente regular e transparente", disse.

Em sua defesa, afirmou ainda que o contrato de financiamento, "que foi injustamente colocado sob suspeita, não causou qualquer prejuízo aos cofres públicos, já que, além de ter sido feito de acordo com os trâmites legais, se encontra com os respectivos pagamentos em dia".

Val está fora de São Paulo e não foi localizada pela reportagem. Ela viajou para Angra dos Reis (RJ), onde "está descansando", segundo sua assessoria de imprensa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação.

Notícias são falsas, diz Val Marchiori sobre ter sido beneficiada por Bendine

"Hello!" nos diz a loura que pegou dinheiro no BB a juros de 4% ao ano

Publicidade

Quinta, 27/7/2017 13:13.

JOELMIR TAVARES
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - "Hello!", escreveu Val Marchiori em seu blog nesta quinta-feira (27) antes de comentar a prisão nesta manhã de Aldemir Bendine, ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras, pela Operação Lava Jato.

A socialite e apresentadora abriu com seu bordão um texto em que chama de "notícias falsas" as informações sobre ter sido beneficiada pelo amigo quando ele estava à frente do BB.

Na nota, ela se refere ao executivo como "senhor Aldemir Bandine [sic]".

"Com esse fato [prisão], alguns levianamente voltaram a divulgar que existiria suspeita sobre supostos benefícios que ele teria oferecido [...] à minha empresa", disse, negando qualquer ilegalidade.

Com a ajuda do banco, Val conseguiu financiar seu Porsche Cayenne S, modelo 2014, com que ela circulava pelas ruas dos Jardins paulistanos.

Em 2015, a Folha de S.Paulo revelou que a instituição driblou regras internas para financiar à socialite R$ 2,79 milhões, subsidiados pelo governo a juros de 4% ao ano. O financiamento integrava uma linha de crédito para caminhões, e destinava-se à Torke Empreendimentos, transportadora registrada em nome da socialite.

"A acusação é absolutamente insubsistente!", afirmou ela em seu site, que também conta com a seção "Loja da Val", com batons vendidos a R$ 28 e camisetas a R$ 54 -um dos modelos estampa em letras grandes o "hello!" que ela repete em suas aparições na mídia.

Segundo Val, "o Ministério Público Federal continua a tentar reavivar o assunto -primeiro interpôs recurso especial, não admitido pelo Tribunal Regional Federal da Terceira Região, e agora busca rever o julgamento em agravo dirigido ao Superior Tribunal de Justiça".

"Tenho a convicção, contudo, de que a rejeição da denúncia será mantida."

No comunicado, a socialite sustenta que a 10ª Vara Federal Criminal de São Paulo "apreciou esses fatos e rejeitou a denúncia do Ministério Público Federal".

"Não pratiquei qualquer fraude com relação ao empréstimo concedido à empresa Torke pelo Banco do Brasil. Essa operação foi absolutamente regular e transparente", disse.

Em sua defesa, afirmou ainda que o contrato de financiamento, "que foi injustamente colocado sob suspeita, não causou qualquer prejuízo aos cofres públicos, já que, além de ter sido feito de acordo com os trâmites legais, se encontra com os respectivos pagamentos em dia".

Val está fora de São Paulo e não foi localizada pela reportagem. Ela viajou para Angra dos Reis (RJ), onde "está descansando", segundo sua assessoria de imprensa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade