Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Variedades
Aos 25 anos, o Chaplin Restaurante continua uma lenda da praia

Sexta, 30/6/2017 17:18.

Publicidade

Por Waldemar Cezar Neto

Às vésperas de completar 25 anos em setembro o Chaplin Restaurante é um marco da cidade porque serve comida boa, bebida boa e está localizado num ponto de passagem constante de moradores e turistas: a Avenida Atlântica em frente à ilha.

Gabriela Moro com o pai Julinho Moro.
Esse pequeno trecho da avenida reúne alguns dos restaurantes mais frequentados da cidade, o Chaplin, o Chaplin Bar (que fica do outro lado da rua), Mundo Selvagem e Mc Donald´s.

Considerado “excelente” e “muito bom” por quase 90% dos frequentadores que o avaliaram no guia TripAdvisor, o Chaplin serve pratos da culinária internacional, com toques caprichados do litoral catarinense.

O Chaplin foi fundado por Julinho Moro e sua ex-esposa Sila. Ele confessa que não tinha experiência no ramo, veio para Balneário incentivado por seu primo o ex-vice-prefeito Cláudio Dalvesco que já trabalhava com comida.

Depois de um tempo a casa se transformou em ponto de encontro de empresários e amigos, criando o que faz a diferença entre o sucesso e o fracasso para qualquer empresa na praia: público local.

As mesas do Chaplin são testemunhas de parte da história de Balneário Camboriú. Ali casamentos surgiram e outros foram desfeitos; amigos brigaram para nunca mais se falar e amizades sólidas floresceram.

Boa parte das decisões da cidade foram regadas com o chope inigualável e os uísques com Coca Cola da turma que considera beber uma arte a ser exercida lentamente. “É uma maratona, não uma corrida de cem metros” como definiu um experiente habituê.

Foi no Chaplin que comi o melhor filé à poivre da minha vida e com a honra de ter sido preparado pelo próprio dono, o Julinho.

Também foi no Chaplin que junto com o hoje Secretário do Meio Ambiente, Ike Gevaerd, afoguei a mágoa depois de ter meu carro, sem seguro, roubado -e nunca mais encontrado.

Ike, que encomendava suas refeições ao restaurante, foi sábio naquela noite: “quer ir para casa chorar ou no Chaplin tomar uma”, indagou.

Escolhida a segunda opção mais uma vez o Julinho, compadecido, nos serviu uma garrafa que estava guardando para consumo próprio. Esse tipo de solidariedade a gente nunca esquece.

Hoje o Chaplin Restaurante está na segunda geração, a chefe Gabriela Moro, toma as decisões do dia a dia e consulta o pai quando necessário.

Assim como todo o setor de hotelaria e alimentação a família Moro deposita confiança na inauguração do centro de eventos para espantar de vez a baixa temporada.

“Já foi pior, quando começamos aqui era uma tristeza o movimento de maio era 10% do da temporada” finalizou Julinho.

RECEITA DO CHEF

Um dos pratos mais pedidos no Chaplin é o Risoto de Frutos do Mar. A pedido a chefe Gabriela Moro compartilha a receita com os leitores.

Ingredientes:

Camarão 100g; cubos de peixe 100g; lula em anéis 100g; mariscos 100g; arroz arbóreo 350g; extrato de tomates 1 colher; parmesão ralado 80g; manteiga uma colher; tomates cereja 12 unidades; salsa meio maço; caldo de legumes 250ml e sal quanto baste.

Preparo:

1) Em uma panela colocar fritar os camarão, os cubos de peixe, os anéis de lula e omarisco.
2) Depois de tudo bem frito colocar o extrato e fritar mais um pouco, sempre mexendo.
3) Em seguida adicionar o arroz e continuar mexendo.
4) Acrescentar o caldo aos poucos até que o arroz fique no ponto (ao dente).
5) Então colocar o queijo mexendo bem para q fique cremoso.
6) Depois de bem misturado o queijo acrescente a manteiga mexa mais um pouco para darbrilho ao grão.
7) Servir imediatamente pois o arroz continuará cozinhando e assim pode passar do ponto.


Essa matéria foi publicada na versão impressa do Página 3. Para ler tudo BEM antes, assine o Página 3 aqui.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Aos 25 anos, o Chaplin Restaurante continua uma lenda da praia

Publicidade

Sexta, 30/6/2017 17:18.

Por Waldemar Cezar Neto

Às vésperas de completar 25 anos em setembro o Chaplin Restaurante é um marco da cidade porque serve comida boa, bebida boa e está localizado num ponto de passagem constante de moradores e turistas: a Avenida Atlântica em frente à ilha.

Gabriela Moro com o pai Julinho Moro.
Esse pequeno trecho da avenida reúne alguns dos restaurantes mais frequentados da cidade, o Chaplin, o Chaplin Bar (que fica do outro lado da rua), Mundo Selvagem e Mc Donald´s.

Considerado “excelente” e “muito bom” por quase 90% dos frequentadores que o avaliaram no guia TripAdvisor, o Chaplin serve pratos da culinária internacional, com toques caprichados do litoral catarinense.

O Chaplin foi fundado por Julinho Moro e sua ex-esposa Sila. Ele confessa que não tinha experiência no ramo, veio para Balneário incentivado por seu primo o ex-vice-prefeito Cláudio Dalvesco que já trabalhava com comida.

Depois de um tempo a casa se transformou em ponto de encontro de empresários e amigos, criando o que faz a diferença entre o sucesso e o fracasso para qualquer empresa na praia: público local.

As mesas do Chaplin são testemunhas de parte da história de Balneário Camboriú. Ali casamentos surgiram e outros foram desfeitos; amigos brigaram para nunca mais se falar e amizades sólidas floresceram.

Boa parte das decisões da cidade foram regadas com o chope inigualável e os uísques com Coca Cola da turma que considera beber uma arte a ser exercida lentamente. “É uma maratona, não uma corrida de cem metros” como definiu um experiente habituê.

Foi no Chaplin que comi o melhor filé à poivre da minha vida e com a honra de ter sido preparado pelo próprio dono, o Julinho.

Também foi no Chaplin que junto com o hoje Secretário do Meio Ambiente, Ike Gevaerd, afoguei a mágoa depois de ter meu carro, sem seguro, roubado -e nunca mais encontrado.

Ike, que encomendava suas refeições ao restaurante, foi sábio naquela noite: “quer ir para casa chorar ou no Chaplin tomar uma”, indagou.

Escolhida a segunda opção mais uma vez o Julinho, compadecido, nos serviu uma garrafa que estava guardando para consumo próprio. Esse tipo de solidariedade a gente nunca esquece.

Hoje o Chaplin Restaurante está na segunda geração, a chefe Gabriela Moro, toma as decisões do dia a dia e consulta o pai quando necessário.

Assim como todo o setor de hotelaria e alimentação a família Moro deposita confiança na inauguração do centro de eventos para espantar de vez a baixa temporada.

“Já foi pior, quando começamos aqui era uma tristeza o movimento de maio era 10% do da temporada” finalizou Julinho.

RECEITA DO CHEF

Um dos pratos mais pedidos no Chaplin é o Risoto de Frutos do Mar. A pedido a chefe Gabriela Moro compartilha a receita com os leitores.

Ingredientes:

Camarão 100g; cubos de peixe 100g; lula em anéis 100g; mariscos 100g; arroz arbóreo 350g; extrato de tomates 1 colher; parmesão ralado 80g; manteiga uma colher; tomates cereja 12 unidades; salsa meio maço; caldo de legumes 250ml e sal quanto baste.

Preparo:

1) Em uma panela colocar fritar os camarão, os cubos de peixe, os anéis de lula e omarisco.
2) Depois de tudo bem frito colocar o extrato e fritar mais um pouco, sempre mexendo.
3) Em seguida adicionar o arroz e continuar mexendo.
4) Acrescentar o caldo aos poucos até que o arroz fique no ponto (ao dente).
5) Então colocar o queijo mexendo bem para q fique cremoso.
6) Depois de bem misturado o queijo acrescente a manteiga mexa mais um pouco para darbrilho ao grão.
7) Servir imediatamente pois o arroz continuará cozinhando e assim pode passar do ponto.


Essa matéria foi publicada na versão impressa do Página 3. Para ler tudo BEM antes, assine o Página 3 aqui.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade