Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Variedades
Influenciadores digitais: conheça os formadores de opinião de Balneário e região

Quinta, 16/5/2019 17:53.

Publicidade

Renata Rutes

Nos tempos de internet está cada vez mais em alta, principalmente entre os mais jovens, sonhar em ser influenciador digital. Muitas pessoas compram seguidores, mas isso não mantém o público, já que é preciso ter seguidores reais e de fato impactá-los com a produção de conteúdo. Há influenciadores nos mais diversos segmentos, como moda, maquiagem, kids, esporte e até gastronomia. O Página 3 conversou com alguns dos digitals influencers da região e inclusive com uma agência especializada em reuni-los, que fica em Itajaí.

IT, a agência dos influenciadores da região

Leo entre influenciadoras da região.

A ITGroup 360 é uma startup que começou como revista e se tornou aceleradora digital, e hoje é uma das maiores agências de influenciadores digitais do Brasil. Um dos proprietários, Leo Ribeiro, conta que a ideia nasceu exatamente por perceber a necessidade do mercado em conectar aqueles que hoje são referências entre os consumidores, os influenciadores digitais, com as empresas que querem divulgar seus produtos de forma segmentada.

“Antigamente era apenas a atriz da novela das 21h que ditava o que deveria ser consumido, hoje são centenas de pessoas que em diversas partes do país compartilham com seus seguidores seus hábitos, suas preferências e seu olhar. Não é mais a Xuxa dizendo que usa Monange, os influenciadores só divulgam marcas que acreditam e tem sintonia com seus valores, pois sabem que se perderem a credibilidade, seu público já era”, explica.

Ao identificar a necessidade das empresas, Leo Ribeiro começou a ‘convocar’ os influenciadores, sendo hoje a maior agência do segmento de Santa Catarina e uma das 10 maiores do Brasil.

A IT possui hoje o cadastro de 80 influenciadores catarinenses, sendo 25 de Itajaí, 20 de Balneário, 10 de Florianópolis, cinco de Camboriú, cinco de Joinville, cinco de Brusque e de demais cidades.

Modelo e influenciadora digital desde pequena

Quem vê o Instagram da Natalia Neves, de apenas nove anos, se surpreende. A loirinha de olhos azuis tem uma desenvoltura em frente às câmeras que encanta. Não é por menos, ela modela desde os cinco anos. A mãe Adriana conta que a filha sempre gostou do mundo da moda, desde a produção fotográfica como de desfilar.

“Parece que foi algo natural, que nasceu com ela”, diz.

Desde que o Instagram surgiu, em 2016, Natalia possui uma conta na rede social (www.instagram.com/natalia.neves_). No começo, as fotos eram produzidas por fotógrafos, mas atualmente a maioria é a própria Adriana que tira, já que com todos esses anos ‘pegou a manha’.

Hoje, ela acumula quase 30 mil seguidores do país inteiro, e inclusive a pequena serve de inspiração para outras crianças, que gostam do estilo dela e de seus looks. Ela tem parcerias com lojas de comida (lanches, doces) e marcas, que podem enviar os produtos, como roupas e calçados, e ela publica as fotos divulgando-os. Ela também faz presença vip nas marcas parceiras, em lançamentos de cardápio ou de novas coleções, por exemplo.

“Surgiu tudo meio por acaso, mas deu super certo. Começamos pegando roupas emprestadas em loja, roupas próprias dela, mas logo as empresas começaram a procurar, e através dessa plataforma, a Natalia também começou a receber convites para desfiles e trabalhos. Ela adora esse mundo, recebe presentes, é convidada para lançamentos”, explica a mãe.

Ela contou que a menina adora ser reconhecida pelo público, o que já aconteceu em alguns passeios da família e eventos.

Os conteúdos são todos produzidos pela mãe e filha. Natalia interage com os seguidores pelos stories, os vídeos curtos do Instagram, onde mostra seu dia a dia e coisas que gosta, como slime, a goma colorida, sensação entre a criançada.

“Isso demanda tempo e dedicação, temos que estar sempre interagindo com o público e com as marcas. Procuramos sempre agregar valor, como pegar uma roupinha de malha mais simples e fazer a foto junto com outro item, como um óculos, uma meia diferente, deixando o look mais legal, mostrando que uma peça mais simples pode sim chamar a atenção”, completa.

O amor pela moda veio de infância e segue até hoje

A consultora de imagem e criadora de conteúdo Yasmim Fassbinder, 26 anos, mora em Balneário Camboriú. Desde pequena, influenciada pelas avós, que são costureiras, se viu apaixonada pelo universo da moda. Ainda aos 10 anos, decidiu que gostaria de trabalhar na área. Aos 16 já estava cursando Moda. Foi na faculdade que percebeu que gostava de passar informação sobre o assunto e decidiu criar um blog.

“Meu propósito sempre foi interagir de forma fácil e didática, para que todo mundo pudesse compreender e aplicar com as peças que já tinham no guarda-roupa. Hoje a moda está ainda mais democrática, temos mais acesso. É muito mais fácil comprar rapidamente algo que acabou de ser lançado em qualquer lugar do mundo. Quando eu era adolescente as coisas demoravam muito mais para chegar no Brasil e compras online não eram tão comum”, lembra.

Yaah, como é conhecida, acumula hoje quase 85 mil seguidores em seu Instagram (www.instagram.com/yaah_), onde diariamente compartilha dicas e momentos de sua rotina. Ela conta que costuma planejar o conteúdo a ser postado com pelo menos 15 dias de antecedência.

“Claro que sempre possuem os conteúdos espontâneos, mas os temas do #7LooksChallenge (desafio que faço no meu Instagram, onde a cada semana escolho uma peça ou um tema e monto sete looks de acordo com isso) normalmente são decididos com antecedência, até para que eu possa apresentar o conteúdo para possíveis marcas patrocinadoras”, explica.

Yasmim tenta sempre estar antenada no que os seguidores gostam e querem ver, tanto para desafios quanto para outros conteúdos que compartilha no Instagram e no YouTube.

“Para mim é super importante trazer conteúdos que meu público realmente vá se interessar e interagir, pois esse relacionamento que criamos com eles é uma das coisas mais legais de se trabalhar nesse meio”, afirma.

Normalmente, marcas ou agências procuram a digital influencer para trabalhos, mas também acontece de ela montar projetos e apresentar para marcas com quem deseja trabalhar. “Eu amo viajar a trabalho e, se pudesse, isso seria o que eu faria sempre. Viajar para criar conteúdo ao redor do mundo, tanto sobre moda, quanto turismo e lifestyle, é o que ainda quero conquistar”, acrescenta.

Hipotireoidismo o fez começar a correr, e agora ele ‘coleciona corridas’

Said Ali, 30 anos, é conhecido nas redes como Colecionador de Corridas (www.instagram.com/colecionadordecorridas e www.colecionadordecorridas.com.br). Tudo começou em 2013, quando em um exame de rotina por ter dificuldades para emagrecer Said descobriu ter uma doença auto-imune que afeta o metabolismo, o hipotireoidismo. Ele precisava, como parte do tratamento, fazer algum esporte. Foi aí que ele descobriu uma paixão, a corrida de rua. Seis anos se passaram e desde então ele já disputou 66 provas.

“A corrida de rua trouxe só coisas boas para a minha vida. Com ela emagreci, ganhei saúde, autoestima, confiança, fiz muitos amigos e superei desafios. Queria que outras pessoas também se sentissem assim, por isso decidi dividir minhas experiências no meio online”, explica.

Said é noivo da também digital influencer Thamiriz Garcia, que foi o incentivo que ele precisava para criar seu Instagram. O nome vem exatamente da quantidade de provas e medalhas que já conquistou – dentre elas, a famosa São Silvestre.

O objetivo de Said é diferente de boa parte dos influenciadores digitais, ele não divide com seus mais de 13 mil seguidores apenas a rotina e sim procura incentivá-los a ter vontade de aprender e começar a correr. Por isso, compartilha seus treinos, alimentação, equipamentos que usa e as provas que disputa.

“Sempre enfatizo que para ser um corredor não precisa ser um super atleta, basta ter disciplina e força de vontade. O esporte exige rotina saudável, mas todos conseguem, não precisa ‘pirar’. De vez em quando faço uma ‘gordice’, tomo minha cerveja também. O equilíbrio é importante. Por isso, divido meus conteúdos em blocos, sendo que um dia da semana dou dicas de equipamentos, no outro de saúde e aos fins de semana falo sobre alguma prova que participei. No site, também compartilho notícias do mundo da corrida e também entrevisto outros atletas”, destaca.

O ‘Colecionador’ acaba sendo reconhecido também nos eventos, e inclusive é abordado para bater papo ou até tirar foto. Ele confessa que não imaginava que tomaria essa proporção, mas espera que isso só aumente, pois adora o carinho que recebe do público.

“E, claro, esse engajamento também atrai marcas que tem afinidade com meu segmento. Meus seguidores, percebendo meus resultados, querem usar o que eu uso, tentam se inspirar na minha alimentação e participam de provas que eu indico. Isso para mim é a influência”, pontua.

Maquiava as amigas e hoje é profissional

Mirtes maquiando uma cliente.

A itajaiense Mirtes Cordeiro, 22 anos, conta que sempre foi apaixonada por maquiagem e que sua trajetória profissional não foi planejada e sim um caminho natural. Desde adolescente costumava maquiar as amigas e familiares e há seis anos isso se tornou oficialmente sua profissão. Quando ela começou na área existia apenas o Facebook, onde divulgava seus trabalhos, mas logo surgiu o Instagram, para onde migrou e já com sua conta profissional (www.instagram.com/mirtescordeiro_makeup).

“Eu sou fascinada por moda e maquiagem e adoro seguir outras influencer e maquiadores, como a Mari Saad, Niina Secrets, Flávia Pavanelli e Brigitte Calegari. Vejo muitos tutoriais no YouTube também. Eu busco passar para minhas seguidoras coisas que estão em alta e que eu realmente esteja amando, então sempre faço tutoriais nos stories, mostro produtos. As meninas gostam muito desse tipo de conteúdo”, explica.

Mirtes também está se mudando e compartilhando coisas a respeito de sua casa nova no Instagram. Ela confessa que adora receber o feedback de quem a segue, contando ainda que procura manter uma relação de amizade com elas. E, segundo Mirtes, isso inclui os parceiros: ela busca atender apenas marcas com as quais se identifica. “Eu só indico o que eu uso e gosto muito. Uma vez que se perde a confiança é muito difícil conquistar novamente. Geralmente sou convidada pela marca para conhecer o produto e contar o que eu achei, e só levo a público depois de testar e realmente gostar”, salienta.

Casal de influencers também dá dicas de gastronomia e viagens

Said e Thamiriz, já citados na reportagem, também possuem o Instagram Rota do Casal (www.instagram.com/rotadocasal) onde dão dicas de viagens e restaurantes que frequentam. Miriz já está no meio digital há alguns anos, e em sua conta (www.instagram.com/blogdamiriz) costumava dividir com os seguidores as viagens que fazia com o noivo, Said, o Colecionador de Corridas.

A primeira viagem deles, para o Chile, acumula mais de 70 mil visualizações no YouTube. Por isso, os dois resolveram criar um espaço somente dividir essas experiências. Mesmo com pouco tempo (a conta foi criada em outubro), o casal já acumula quase 2 mil seguidores, que já os conhecem e interagem em suas publicações.

“Os seguidores adoram doces, é incrível! Quando a gente mostra um lugar legal na região para comer doces diferentes, eles adoram. Eles também amam quando postamos sobre as viagens! Já a nossa comida preferida com certeza é hambúrguer, a gente adora conhecer novos locais de hambúrguer”, conta Miriz.

O contato com o público é direto. Os seguidores marcam amigos para ver as dicas, tiram dúvidas com Miriz e Said e até indicam lugares para o casal conhecer.

“É uma troca deliciosa! A gente hoje vai a locais que queríamos muito conhecer e também fazemos algumas parcerias, mas não temos regra. É tudo bem natural, todo trabalho de influenciador tem que ser assim!”, afirma.

Alguns restaurantes já os procuram para parcerias, convidando os dois para irem até o local e depois darem o ‘parecer’ nas redes, a exemplo do Outback.

“Experimentamos e damos nossa opinião sincera. Semana passada estávamos em São Paulo e fomos conhecer as empanadas da Masterchef Paola. Provamos, não achamos “aquilo tudo” e dissemos isso! A credibilidade é tudo! A gente recebe muito feedback de pessoas indo em locais que indicamos, por isso a importância de sermos sinceros. É legal demais saber que tem um monte de gente que confia na nossa opinião, isso não tem preço!”, conclui.

Se tornou influencer de forma natural

Apesar de nunca ter tido vontade de ser um influenciador digital, Matheus Franklin, 24 anos, acumulou naturalmente um número expressivo de seguidores, isso se impulsionou mais ainda após o tempo que manteve um canal no YouTube. Hoje, Franklin acumula quase 35 mil seguidores no Instagram (www.instagram.com/matheusfranklin) e diz que procura tratar quem o segue como um amigo.

“Tento ser o mais orgânico possível no que vou postar nos storys. No feed eu tento manter uma coisa agradável aos olhos, então priorizo cores com as fases que estou vivendo no momento. Converso, troco ideias e dicas. Quando acho que algo é legal de compartilhar eu compartilho, quando tenho alguma dúvida eu pergunto”, destaca.

O jovem é assumidamente gay e inclusive divide com os seguidores momentos com o namorado, mas ele afirma que não se vê como representante de algo em si, já que seu público é variado.

“Mas vejo que os meus seguidores são muito abertos ao que falo e sempre recebo relatos de gente que se espelhou em mim ou minha família para se abrir sobre a sexualidade. Me sinto incrível, é muito louco pensar que o que a gente faz afeta os outros de uma maneira tão grande”, explica.

Quando o assunto é parceria, Matheus define que não indica e não usa o que não acredita ou o que não gosta.

“As marcas precisam ter a minha cara e eu a delas, acredito que temos que ser verdadeiros no que fazemos. Eu não vejo que essa é a minha profissão, mas já ganhei muitas coisas através dela, como ingressos para eventos. Quando eu morava em SP rolavam mais convites para festas e viagens, agora que voltei para Santa Catarina fica mais complicado. Mas não me arrependo de ter voltado, amo muito nossa cidade. Acho que as coisas têm que acontecer naturalmente e espero crescer dessa forma”, completa.

Mesmo com deficiência visual, Mari é influencer e DJ

Quem vê as fotos de Mariana Alves Cândido, 15 anos, não imagina a história dela. Mari, como é conhecida, é deficiente visual. Ela nasceu prematura de 26 semanas de gestação, com 890g e 27cm, em Londrina/PR. Ficou na UTI neonatal por 45 dias e mais 15 no berçário. Mari teve descolamento de retina, retinopatia da prematuridade, com perda de 100% da visão. Nada disso impediu que ela seguisse seus sonhos. Hoje ela é digital influencer, acumulando quase 26 mil seguidores no Instagram (www.instagram.com/marialvescandido) e está estudando para ser DJ. Há até seguidores que se surpreendem quando descobrem que ela é cega. Outros sabem e mandam mensagens questionando como ela mexe nas redes sociais. “São várias dúvidas e tento sempre responder a todos. Minha mãe me ajuda nas postagens do Instagram, pois nem tudo é acessível. Uso as redes sociais com VoiceOver do Iphone. Ele lê todas as mensagens que eu recebo e as que envio, também diz algo sobre fotos. Uso Instagram, Facebook, YouTube, Google, Spotify entre outros com facilidade. Só fotos que os aplicativos não descrevem com precisão. Quando não entendo o que é a foto postada tenho que recorrer a quem está ao meu lado ou mando para minha mãe pelo WhatsApp, se ela não está por perto”, explica.

Mari atua como qualquer outra influenciadora: posta nas redes sociais seus ‘recebidos’ (presentes enviados por marcas), atualidades, looks do dia, tendências, moda, encontros que tem com amigos e famosos (ela tem contato frequente com o DJ Bhaskar, irmão de Alok, por exemplo), eventos que vai e informações sobre o curso de discotecagem que faz na AIMEC.

“Tenho bastante retorno, graças a Deus! Muitas pessoas sempre me mandam mensagens de apoio, elogios e dicas. Ser influenciadora com uma deficiência em um dos sentidos é algo desafiante a todo instante, mas mostro as coisas com meu mundo, da forma com que entendo. Tenho alguns parceiros fixos, como o Balneário Shopping, e recebo vários presentes e convites de lojas e marcas”, diz.

Porém, ela acredita que as pessoas são muito mais do que as roupas e maquiagens que usam, ou os eventos em que vão. Por isso ela apoia alguns projetos sociais, como a campanha Lacre Amigo, que arrecada lacres de latinha de alumínio e doa cadeira de rodas para quem precisa, além de também ajudar a cuidar de animais de rua.

“Agora estou empenhada em ajuda a Advir (Associação de Deficientes Visuais de Itajaí e Região) a arrecadar recursos para se manter e para a construção da nova sede. Estamos buscando parceiros para isso”, acrescenta.

Sobre o futuro, Mari afirma que ainda tem muito para aprender e que deseja fazer novos cursos, inclusive para conseguir se maquiar sozinha.

“Quero ir ao São Paulo Fashion Week, conhecer novas cidades, ir em vários shows e festivais de música eletrônica que ainda não fui, aprender mais sobre o mundo da moda e ser uma DJ reconhecida”, destaca.

Onde ir BC: o maior Instagram de dicas gastronômicas de BC e região

A brasiliense Geovanna Mell Pontes Ramos Zeidan, 21 anos, mora há cinco anos em Balneário, e há mais de dois anos mantém o Instagram Onde ir BC (www.instagram.com/ondeirbc), com dicas de restaurantes da cidade e da região, além de fazer sorteios para seus seguidores. Aliás, ela já acumula mais de 44 mil. E a jovem sonha alto, junto da mãe, Camila Pontes Ramos, 36 anos, que a ajuda com a conta, sonha em se tornar uma referência estadual e futuramente nacional, para poder viajar para outros lugares dando dicas de onde ir.

“Sempre gostei e sou muito antenada nas redes sociais, e como gostava muito de sair pra comer, tive a ideia de criar o perfil para indicar locais que fugissem do comum. Quando eu recebia alguma indicação sempre eram dos restaurantes da Atlântica, e eu queria conhecer outros lugares”, explica.

Diferente dos outros influenciadores, Mell, como é conhecida, não costuma mostrar seu rosto. O foco é sempre na comida e bebidas que indicam.

“Nossa intenção nunca foi nos autopromover e sim dar dicas de comidas mesmo. No nosso outro Insta, que surgiu há pouco tempo (Onde ir BC Serviços) às vezes aparecemos, mas é bem raro (risos)”, diz. Mell foi reconhecida uma vez em um restaurante, mas por sua voz. Ela confessa que ficou tímida, mas que gostou do contato com a seguidora, ‘que foi uma fofa’. Os seguidores do Onde ir BC, segundo ela, pedem dicas de tudo, desde comida indiana e mineira, como locais para comer de madrugada e até restaurantes românticos.

“Mas quando postamos doces eles ficam enlouquecidos (risos). Eu sou viciada em doces, uma verdadeira formiga, mas amo um bom risoto. E vale contar o que eu não como também? Não como frutos do mar, sempre que temos essa opção a Camila que come, ou levamos outra pessoa pra degustar”, conta.

A mãe e a filha são convidadas para ir em muitos lugares por conta do Instagram, e no momento de lazer também optam por comer, mas apreciam uma opção mais caseira e não descartam o bom churrasco.

Mell opina que a gastronomia é uma constante evolução e por isso sempre busca mostrar as novidades que encontra na região.

“Durante as visitas escolhemos tudo, damos todos os detalhes possíveis que alguém gostaria de saber antes de entrar em algum lugar: preços, cardápio completo, promoções, descontos especiais pra quem é seguidor e fazemos as fotos de tudo que pedimos, pra mostrar a realidade mesmo, nada de fotos prontas de fotógrafo. Acho que foi daí que veio a nossa credibilidade, nunca precisamos ficar falando mal de lugares, priorizamos experiências positivas”, salienta.

União do amor pela patinação, lifestyle e moda

Camilla Guerra, 30 anos, é uma influenciadora diferente, ela busca colocar em suas produções o seu amor pela patinação artística, que já é algo herdado da mãe, que também é grande apreciadora do esporte. Ela patina desde novinha, em Londrina/PR. Quando tinha um ano, a mãe se inscreveu em aulas de patinação e fez um patins para ela, e ela imediatamente começou a patinar.

“Eu era uma patinadora de um ano e meio, com fralda e chupeta, que ficava dando volta na quadra enquanto ela treinava (risos)”, lembra.

Com três anos, já em Curitiba, Camilla passou a ter aulas de verdade de patinação, participando inclusive de campeonatos. A mãe, Chris, a acompanha até hoje, e inclusive fez cursos de fotografia para saber fotografá-la.

Ela também tem outro amor: as câmeras, e sempre sonhou em ser atriz, inclusive nos seus ’20 e poucos anos’ morou no Rio de Janeiro, onde se formou em atuação. Por isso, antes de ter a conta no Instagram, Camilla abriu uma conta no YouTube (www.youtube.com/camillaguerra), onde hoje tem 175 mil inscritos. Ela acabou voltando para Santa Catarina, onde se formou em administração, mas nunca deixou de sonhar em produzir vídeos e seu próprio conteúdo.

“O YouTube unia tudo o que eu queria: eu falaria do que eu gosto, ganharia dinheiro e seria dona do meu próprio negócio. Era eu comandando tudo no meu próprio ritmo, inclusive uma coisa que me irritava em ser atriz no RJ era ter que ficar puxando o saco dos outros”, diz.

Até então, o Instagram não era tão comercial, mas ela já possuía uma conta na plataforma, e quando este começou a ‘bombar’ ela entrou na dança.

“Eu já gostava de produzir fotos, de organizar meu feed, e continuei a investir nisso”, acrescenta.

Camilla continuou apostando na patinação, ‘comprou a causa’ de seu amor de infância e seguiu nisso, respondendo dúvidas e dando dicas para os seguidores. Hoje, no Insta (www.instagram.com/camilla.guerra), ela tem quase 100 mil seguidores e também dá dicas de viagens, moda (outra paixão) e compartilha sua rotina.

No momento, ela está na Califórnia, onde passará 100 dias com o namorado, que é americano.

“Eu planejo alguns posts, mas tem coisas que aparecem hoje e que resolvo postar no momento, principalmente no Instagram, que é mais imediatista. Os vídeos de patinação para o YouTube, por exemplo, eu acabo adiantando, pois posto um por semana, mas nem tudo dá para ser planejado. Porém, tenho um Excel com previsão do que posto durante a semana, para ter uma projeção e ir me guiando. Eu adoro me organizar, sou capricorniana e administradora, eu tento, mas nesse mundo é difícil”, afirma.

A influenciadora acredita que o que cativa os seguidores é a sinceridade. Mesmo que não compartilhe toda a sua vida pessoal, ela tenta mostrar momentos e bons e ruins, pois isso mostra verdade e foge do padrão de perfeição, que não existe na vida de ninguém.

“Eu gosto de passar experiências para frente, sejam elas boas ou ruins. Tudo o que eu posso ensinar, eu tento. As coisas mais importantes eu coloco foto e texto. No YouTube aprofundo isso ainda mais. Os comentários mostram o retorno real disso, likes não importam muito, pois às vezes a pessoa clicou e só passou. Tenho muitos seguidores fiéis, que reconheço, e sempre surgem novos, que interagem, questionam, pedem dicas. Isso é o que me move, muito mais do que números”, destaca.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Influenciadores digitais: conheça os formadores de opinião de Balneário e região

Publicidade

Quinta, 16/5/2019 17:53.

Renata Rutes

Nos tempos de internet está cada vez mais em alta, principalmente entre os mais jovens, sonhar em ser influenciador digital. Muitas pessoas compram seguidores, mas isso não mantém o público, já que é preciso ter seguidores reais e de fato impactá-los com a produção de conteúdo. Há influenciadores nos mais diversos segmentos, como moda, maquiagem, kids, esporte e até gastronomia. O Página 3 conversou com alguns dos digitals influencers da região e inclusive com uma agência especializada em reuni-los, que fica em Itajaí.

IT, a agência dos influenciadores da região

Leo entre influenciadoras da região.

A ITGroup 360 é uma startup que começou como revista e se tornou aceleradora digital, e hoje é uma das maiores agências de influenciadores digitais do Brasil. Um dos proprietários, Leo Ribeiro, conta que a ideia nasceu exatamente por perceber a necessidade do mercado em conectar aqueles que hoje são referências entre os consumidores, os influenciadores digitais, com as empresas que querem divulgar seus produtos de forma segmentada.

“Antigamente era apenas a atriz da novela das 21h que ditava o que deveria ser consumido, hoje são centenas de pessoas que em diversas partes do país compartilham com seus seguidores seus hábitos, suas preferências e seu olhar. Não é mais a Xuxa dizendo que usa Monange, os influenciadores só divulgam marcas que acreditam e tem sintonia com seus valores, pois sabem que se perderem a credibilidade, seu público já era”, explica.

Ao identificar a necessidade das empresas, Leo Ribeiro começou a ‘convocar’ os influenciadores, sendo hoje a maior agência do segmento de Santa Catarina e uma das 10 maiores do Brasil.

A IT possui hoje o cadastro de 80 influenciadores catarinenses, sendo 25 de Itajaí, 20 de Balneário, 10 de Florianópolis, cinco de Camboriú, cinco de Joinville, cinco de Brusque e de demais cidades.

Modelo e influenciadora digital desde pequena

Quem vê o Instagram da Natalia Neves, de apenas nove anos, se surpreende. A loirinha de olhos azuis tem uma desenvoltura em frente às câmeras que encanta. Não é por menos, ela modela desde os cinco anos. A mãe Adriana conta que a filha sempre gostou do mundo da moda, desde a produção fotográfica como de desfilar.

“Parece que foi algo natural, que nasceu com ela”, diz.

Desde que o Instagram surgiu, em 2016, Natalia possui uma conta na rede social (www.instagram.com/natalia.neves_). No começo, as fotos eram produzidas por fotógrafos, mas atualmente a maioria é a própria Adriana que tira, já que com todos esses anos ‘pegou a manha’.

Hoje, ela acumula quase 30 mil seguidores do país inteiro, e inclusive a pequena serve de inspiração para outras crianças, que gostam do estilo dela e de seus looks. Ela tem parcerias com lojas de comida (lanches, doces) e marcas, que podem enviar os produtos, como roupas e calçados, e ela publica as fotos divulgando-os. Ela também faz presença vip nas marcas parceiras, em lançamentos de cardápio ou de novas coleções, por exemplo.

“Surgiu tudo meio por acaso, mas deu super certo. Começamos pegando roupas emprestadas em loja, roupas próprias dela, mas logo as empresas começaram a procurar, e através dessa plataforma, a Natalia também começou a receber convites para desfiles e trabalhos. Ela adora esse mundo, recebe presentes, é convidada para lançamentos”, explica a mãe.

Ela contou que a menina adora ser reconhecida pelo público, o que já aconteceu em alguns passeios da família e eventos.

Os conteúdos são todos produzidos pela mãe e filha. Natalia interage com os seguidores pelos stories, os vídeos curtos do Instagram, onde mostra seu dia a dia e coisas que gosta, como slime, a goma colorida, sensação entre a criançada.

“Isso demanda tempo e dedicação, temos que estar sempre interagindo com o público e com as marcas. Procuramos sempre agregar valor, como pegar uma roupinha de malha mais simples e fazer a foto junto com outro item, como um óculos, uma meia diferente, deixando o look mais legal, mostrando que uma peça mais simples pode sim chamar a atenção”, completa.

O amor pela moda veio de infância e segue até hoje

A consultora de imagem e criadora de conteúdo Yasmim Fassbinder, 26 anos, mora em Balneário Camboriú. Desde pequena, influenciada pelas avós, que são costureiras, se viu apaixonada pelo universo da moda. Ainda aos 10 anos, decidiu que gostaria de trabalhar na área. Aos 16 já estava cursando Moda. Foi na faculdade que percebeu que gostava de passar informação sobre o assunto e decidiu criar um blog.

“Meu propósito sempre foi interagir de forma fácil e didática, para que todo mundo pudesse compreender e aplicar com as peças que já tinham no guarda-roupa. Hoje a moda está ainda mais democrática, temos mais acesso. É muito mais fácil comprar rapidamente algo que acabou de ser lançado em qualquer lugar do mundo. Quando eu era adolescente as coisas demoravam muito mais para chegar no Brasil e compras online não eram tão comum”, lembra.

Yaah, como é conhecida, acumula hoje quase 85 mil seguidores em seu Instagram (www.instagram.com/yaah_), onde diariamente compartilha dicas e momentos de sua rotina. Ela conta que costuma planejar o conteúdo a ser postado com pelo menos 15 dias de antecedência.

“Claro que sempre possuem os conteúdos espontâneos, mas os temas do #7LooksChallenge (desafio que faço no meu Instagram, onde a cada semana escolho uma peça ou um tema e monto sete looks de acordo com isso) normalmente são decididos com antecedência, até para que eu possa apresentar o conteúdo para possíveis marcas patrocinadoras”, explica.

Yasmim tenta sempre estar antenada no que os seguidores gostam e querem ver, tanto para desafios quanto para outros conteúdos que compartilha no Instagram e no YouTube.

“Para mim é super importante trazer conteúdos que meu público realmente vá se interessar e interagir, pois esse relacionamento que criamos com eles é uma das coisas mais legais de se trabalhar nesse meio”, afirma.

Normalmente, marcas ou agências procuram a digital influencer para trabalhos, mas também acontece de ela montar projetos e apresentar para marcas com quem deseja trabalhar. “Eu amo viajar a trabalho e, se pudesse, isso seria o que eu faria sempre. Viajar para criar conteúdo ao redor do mundo, tanto sobre moda, quanto turismo e lifestyle, é o que ainda quero conquistar”, acrescenta.

Hipotireoidismo o fez começar a correr, e agora ele ‘coleciona corridas’

Said Ali, 30 anos, é conhecido nas redes como Colecionador de Corridas (www.instagram.com/colecionadordecorridas e www.colecionadordecorridas.com.br). Tudo começou em 2013, quando em um exame de rotina por ter dificuldades para emagrecer Said descobriu ter uma doença auto-imune que afeta o metabolismo, o hipotireoidismo. Ele precisava, como parte do tratamento, fazer algum esporte. Foi aí que ele descobriu uma paixão, a corrida de rua. Seis anos se passaram e desde então ele já disputou 66 provas.

“A corrida de rua trouxe só coisas boas para a minha vida. Com ela emagreci, ganhei saúde, autoestima, confiança, fiz muitos amigos e superei desafios. Queria que outras pessoas também se sentissem assim, por isso decidi dividir minhas experiências no meio online”, explica.

Said é noivo da também digital influencer Thamiriz Garcia, que foi o incentivo que ele precisava para criar seu Instagram. O nome vem exatamente da quantidade de provas e medalhas que já conquistou – dentre elas, a famosa São Silvestre.

O objetivo de Said é diferente de boa parte dos influenciadores digitais, ele não divide com seus mais de 13 mil seguidores apenas a rotina e sim procura incentivá-los a ter vontade de aprender e começar a correr. Por isso, compartilha seus treinos, alimentação, equipamentos que usa e as provas que disputa.

“Sempre enfatizo que para ser um corredor não precisa ser um super atleta, basta ter disciplina e força de vontade. O esporte exige rotina saudável, mas todos conseguem, não precisa ‘pirar’. De vez em quando faço uma ‘gordice’, tomo minha cerveja também. O equilíbrio é importante. Por isso, divido meus conteúdos em blocos, sendo que um dia da semana dou dicas de equipamentos, no outro de saúde e aos fins de semana falo sobre alguma prova que participei. No site, também compartilho notícias do mundo da corrida e também entrevisto outros atletas”, destaca.

O ‘Colecionador’ acaba sendo reconhecido também nos eventos, e inclusive é abordado para bater papo ou até tirar foto. Ele confessa que não imaginava que tomaria essa proporção, mas espera que isso só aumente, pois adora o carinho que recebe do público.

“E, claro, esse engajamento também atrai marcas que tem afinidade com meu segmento. Meus seguidores, percebendo meus resultados, querem usar o que eu uso, tentam se inspirar na minha alimentação e participam de provas que eu indico. Isso para mim é a influência”, pontua.

Maquiava as amigas e hoje é profissional

Mirtes maquiando uma cliente.

A itajaiense Mirtes Cordeiro, 22 anos, conta que sempre foi apaixonada por maquiagem e que sua trajetória profissional não foi planejada e sim um caminho natural. Desde adolescente costumava maquiar as amigas e familiares e há seis anos isso se tornou oficialmente sua profissão. Quando ela começou na área existia apenas o Facebook, onde divulgava seus trabalhos, mas logo surgiu o Instagram, para onde migrou e já com sua conta profissional (www.instagram.com/mirtescordeiro_makeup).

“Eu sou fascinada por moda e maquiagem e adoro seguir outras influencer e maquiadores, como a Mari Saad, Niina Secrets, Flávia Pavanelli e Brigitte Calegari. Vejo muitos tutoriais no YouTube também. Eu busco passar para minhas seguidoras coisas que estão em alta e que eu realmente esteja amando, então sempre faço tutoriais nos stories, mostro produtos. As meninas gostam muito desse tipo de conteúdo”, explica.

Mirtes também está se mudando e compartilhando coisas a respeito de sua casa nova no Instagram. Ela confessa que adora receber o feedback de quem a segue, contando ainda que procura manter uma relação de amizade com elas. E, segundo Mirtes, isso inclui os parceiros: ela busca atender apenas marcas com as quais se identifica. “Eu só indico o que eu uso e gosto muito. Uma vez que se perde a confiança é muito difícil conquistar novamente. Geralmente sou convidada pela marca para conhecer o produto e contar o que eu achei, e só levo a público depois de testar e realmente gostar”, salienta.

Casal de influencers também dá dicas de gastronomia e viagens

Said e Thamiriz, já citados na reportagem, também possuem o Instagram Rota do Casal (www.instagram.com/rotadocasal) onde dão dicas de viagens e restaurantes que frequentam. Miriz já está no meio digital há alguns anos, e em sua conta (www.instagram.com/blogdamiriz) costumava dividir com os seguidores as viagens que fazia com o noivo, Said, o Colecionador de Corridas.

A primeira viagem deles, para o Chile, acumula mais de 70 mil visualizações no YouTube. Por isso, os dois resolveram criar um espaço somente dividir essas experiências. Mesmo com pouco tempo (a conta foi criada em outubro), o casal já acumula quase 2 mil seguidores, que já os conhecem e interagem em suas publicações.

“Os seguidores adoram doces, é incrível! Quando a gente mostra um lugar legal na região para comer doces diferentes, eles adoram. Eles também amam quando postamos sobre as viagens! Já a nossa comida preferida com certeza é hambúrguer, a gente adora conhecer novos locais de hambúrguer”, conta Miriz.

O contato com o público é direto. Os seguidores marcam amigos para ver as dicas, tiram dúvidas com Miriz e Said e até indicam lugares para o casal conhecer.

“É uma troca deliciosa! A gente hoje vai a locais que queríamos muito conhecer e também fazemos algumas parcerias, mas não temos regra. É tudo bem natural, todo trabalho de influenciador tem que ser assim!”, afirma.

Alguns restaurantes já os procuram para parcerias, convidando os dois para irem até o local e depois darem o ‘parecer’ nas redes, a exemplo do Outback.

“Experimentamos e damos nossa opinião sincera. Semana passada estávamos em São Paulo e fomos conhecer as empanadas da Masterchef Paola. Provamos, não achamos “aquilo tudo” e dissemos isso! A credibilidade é tudo! A gente recebe muito feedback de pessoas indo em locais que indicamos, por isso a importância de sermos sinceros. É legal demais saber que tem um monte de gente que confia na nossa opinião, isso não tem preço!”, conclui.

Se tornou influencer de forma natural

Apesar de nunca ter tido vontade de ser um influenciador digital, Matheus Franklin, 24 anos, acumulou naturalmente um número expressivo de seguidores, isso se impulsionou mais ainda após o tempo que manteve um canal no YouTube. Hoje, Franklin acumula quase 35 mil seguidores no Instagram (www.instagram.com/matheusfranklin) e diz que procura tratar quem o segue como um amigo.

“Tento ser o mais orgânico possível no que vou postar nos storys. No feed eu tento manter uma coisa agradável aos olhos, então priorizo cores com as fases que estou vivendo no momento. Converso, troco ideias e dicas. Quando acho que algo é legal de compartilhar eu compartilho, quando tenho alguma dúvida eu pergunto”, destaca.

O jovem é assumidamente gay e inclusive divide com os seguidores momentos com o namorado, mas ele afirma que não se vê como representante de algo em si, já que seu público é variado.

“Mas vejo que os meus seguidores são muito abertos ao que falo e sempre recebo relatos de gente que se espelhou em mim ou minha família para se abrir sobre a sexualidade. Me sinto incrível, é muito louco pensar que o que a gente faz afeta os outros de uma maneira tão grande”, explica.

Quando o assunto é parceria, Matheus define que não indica e não usa o que não acredita ou o que não gosta.

“As marcas precisam ter a minha cara e eu a delas, acredito que temos que ser verdadeiros no que fazemos. Eu não vejo que essa é a minha profissão, mas já ganhei muitas coisas através dela, como ingressos para eventos. Quando eu morava em SP rolavam mais convites para festas e viagens, agora que voltei para Santa Catarina fica mais complicado. Mas não me arrependo de ter voltado, amo muito nossa cidade. Acho que as coisas têm que acontecer naturalmente e espero crescer dessa forma”, completa.

Mesmo com deficiência visual, Mari é influencer e DJ

Quem vê as fotos de Mariana Alves Cândido, 15 anos, não imagina a história dela. Mari, como é conhecida, é deficiente visual. Ela nasceu prematura de 26 semanas de gestação, com 890g e 27cm, em Londrina/PR. Ficou na UTI neonatal por 45 dias e mais 15 no berçário. Mari teve descolamento de retina, retinopatia da prematuridade, com perda de 100% da visão. Nada disso impediu que ela seguisse seus sonhos. Hoje ela é digital influencer, acumulando quase 26 mil seguidores no Instagram (www.instagram.com/marialvescandido) e está estudando para ser DJ. Há até seguidores que se surpreendem quando descobrem que ela é cega. Outros sabem e mandam mensagens questionando como ela mexe nas redes sociais. “São várias dúvidas e tento sempre responder a todos. Minha mãe me ajuda nas postagens do Instagram, pois nem tudo é acessível. Uso as redes sociais com VoiceOver do Iphone. Ele lê todas as mensagens que eu recebo e as que envio, também diz algo sobre fotos. Uso Instagram, Facebook, YouTube, Google, Spotify entre outros com facilidade. Só fotos que os aplicativos não descrevem com precisão. Quando não entendo o que é a foto postada tenho que recorrer a quem está ao meu lado ou mando para minha mãe pelo WhatsApp, se ela não está por perto”, explica.

Mari atua como qualquer outra influenciadora: posta nas redes sociais seus ‘recebidos’ (presentes enviados por marcas), atualidades, looks do dia, tendências, moda, encontros que tem com amigos e famosos (ela tem contato frequente com o DJ Bhaskar, irmão de Alok, por exemplo), eventos que vai e informações sobre o curso de discotecagem que faz na AIMEC.

“Tenho bastante retorno, graças a Deus! Muitas pessoas sempre me mandam mensagens de apoio, elogios e dicas. Ser influenciadora com uma deficiência em um dos sentidos é algo desafiante a todo instante, mas mostro as coisas com meu mundo, da forma com que entendo. Tenho alguns parceiros fixos, como o Balneário Shopping, e recebo vários presentes e convites de lojas e marcas”, diz.

Porém, ela acredita que as pessoas são muito mais do que as roupas e maquiagens que usam, ou os eventos em que vão. Por isso ela apoia alguns projetos sociais, como a campanha Lacre Amigo, que arrecada lacres de latinha de alumínio e doa cadeira de rodas para quem precisa, além de também ajudar a cuidar de animais de rua.

“Agora estou empenhada em ajuda a Advir (Associação de Deficientes Visuais de Itajaí e Região) a arrecadar recursos para se manter e para a construção da nova sede. Estamos buscando parceiros para isso”, acrescenta.

Sobre o futuro, Mari afirma que ainda tem muito para aprender e que deseja fazer novos cursos, inclusive para conseguir se maquiar sozinha.

“Quero ir ao São Paulo Fashion Week, conhecer novas cidades, ir em vários shows e festivais de música eletrônica que ainda não fui, aprender mais sobre o mundo da moda e ser uma DJ reconhecida”, destaca.

Onde ir BC: o maior Instagram de dicas gastronômicas de BC e região

A brasiliense Geovanna Mell Pontes Ramos Zeidan, 21 anos, mora há cinco anos em Balneário, e há mais de dois anos mantém o Instagram Onde ir BC (www.instagram.com/ondeirbc), com dicas de restaurantes da cidade e da região, além de fazer sorteios para seus seguidores. Aliás, ela já acumula mais de 44 mil. E a jovem sonha alto, junto da mãe, Camila Pontes Ramos, 36 anos, que a ajuda com a conta, sonha em se tornar uma referência estadual e futuramente nacional, para poder viajar para outros lugares dando dicas de onde ir.

“Sempre gostei e sou muito antenada nas redes sociais, e como gostava muito de sair pra comer, tive a ideia de criar o perfil para indicar locais que fugissem do comum. Quando eu recebia alguma indicação sempre eram dos restaurantes da Atlântica, e eu queria conhecer outros lugares”, explica.

Diferente dos outros influenciadores, Mell, como é conhecida, não costuma mostrar seu rosto. O foco é sempre na comida e bebidas que indicam.

“Nossa intenção nunca foi nos autopromover e sim dar dicas de comidas mesmo. No nosso outro Insta, que surgiu há pouco tempo (Onde ir BC Serviços) às vezes aparecemos, mas é bem raro (risos)”, diz. Mell foi reconhecida uma vez em um restaurante, mas por sua voz. Ela confessa que ficou tímida, mas que gostou do contato com a seguidora, ‘que foi uma fofa’. Os seguidores do Onde ir BC, segundo ela, pedem dicas de tudo, desde comida indiana e mineira, como locais para comer de madrugada e até restaurantes românticos.

“Mas quando postamos doces eles ficam enlouquecidos (risos). Eu sou viciada em doces, uma verdadeira formiga, mas amo um bom risoto. E vale contar o que eu não como também? Não como frutos do mar, sempre que temos essa opção a Camila que come, ou levamos outra pessoa pra degustar”, conta.

A mãe e a filha são convidadas para ir em muitos lugares por conta do Instagram, e no momento de lazer também optam por comer, mas apreciam uma opção mais caseira e não descartam o bom churrasco.

Mell opina que a gastronomia é uma constante evolução e por isso sempre busca mostrar as novidades que encontra na região.

“Durante as visitas escolhemos tudo, damos todos os detalhes possíveis que alguém gostaria de saber antes de entrar em algum lugar: preços, cardápio completo, promoções, descontos especiais pra quem é seguidor e fazemos as fotos de tudo que pedimos, pra mostrar a realidade mesmo, nada de fotos prontas de fotógrafo. Acho que foi daí que veio a nossa credibilidade, nunca precisamos ficar falando mal de lugares, priorizamos experiências positivas”, salienta.

União do amor pela patinação, lifestyle e moda

Camilla Guerra, 30 anos, é uma influenciadora diferente, ela busca colocar em suas produções o seu amor pela patinação artística, que já é algo herdado da mãe, que também é grande apreciadora do esporte. Ela patina desde novinha, em Londrina/PR. Quando tinha um ano, a mãe se inscreveu em aulas de patinação e fez um patins para ela, e ela imediatamente começou a patinar.

“Eu era uma patinadora de um ano e meio, com fralda e chupeta, que ficava dando volta na quadra enquanto ela treinava (risos)”, lembra.

Com três anos, já em Curitiba, Camilla passou a ter aulas de verdade de patinação, participando inclusive de campeonatos. A mãe, Chris, a acompanha até hoje, e inclusive fez cursos de fotografia para saber fotografá-la.

Ela também tem outro amor: as câmeras, e sempre sonhou em ser atriz, inclusive nos seus ’20 e poucos anos’ morou no Rio de Janeiro, onde se formou em atuação. Por isso, antes de ter a conta no Instagram, Camilla abriu uma conta no YouTube (www.youtube.com/camillaguerra), onde hoje tem 175 mil inscritos. Ela acabou voltando para Santa Catarina, onde se formou em administração, mas nunca deixou de sonhar em produzir vídeos e seu próprio conteúdo.

“O YouTube unia tudo o que eu queria: eu falaria do que eu gosto, ganharia dinheiro e seria dona do meu próprio negócio. Era eu comandando tudo no meu próprio ritmo, inclusive uma coisa que me irritava em ser atriz no RJ era ter que ficar puxando o saco dos outros”, diz.

Até então, o Instagram não era tão comercial, mas ela já possuía uma conta na plataforma, e quando este começou a ‘bombar’ ela entrou na dança.

“Eu já gostava de produzir fotos, de organizar meu feed, e continuei a investir nisso”, acrescenta.

Camilla continuou apostando na patinação, ‘comprou a causa’ de seu amor de infância e seguiu nisso, respondendo dúvidas e dando dicas para os seguidores. Hoje, no Insta (www.instagram.com/camilla.guerra), ela tem quase 100 mil seguidores e também dá dicas de viagens, moda (outra paixão) e compartilha sua rotina.

No momento, ela está na Califórnia, onde passará 100 dias com o namorado, que é americano.

“Eu planejo alguns posts, mas tem coisas que aparecem hoje e que resolvo postar no momento, principalmente no Instagram, que é mais imediatista. Os vídeos de patinação para o YouTube, por exemplo, eu acabo adiantando, pois posto um por semana, mas nem tudo dá para ser planejado. Porém, tenho um Excel com previsão do que posto durante a semana, para ter uma projeção e ir me guiando. Eu adoro me organizar, sou capricorniana e administradora, eu tento, mas nesse mundo é difícil”, afirma.

A influenciadora acredita que o que cativa os seguidores é a sinceridade. Mesmo que não compartilhe toda a sua vida pessoal, ela tenta mostrar momentos e bons e ruins, pois isso mostra verdade e foge do padrão de perfeição, que não existe na vida de ninguém.

“Eu gosto de passar experiências para frente, sejam elas boas ou ruins. Tudo o que eu posso ensinar, eu tento. As coisas mais importantes eu coloco foto e texto. No YouTube aprofundo isso ainda mais. Os comentários mostram o retorno real disso, likes não importam muito, pois às vezes a pessoa clicou e só passou. Tenho muitos seguidores fiéis, que reconheço, e sempre surgem novos, que interagem, questionam, pedem dicas. Isso é o que me move, muito mais do que números”, destaca.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade