Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Variedades
André Larrêa expõe no Brava Beach

Terça, 12/11/2019 16:53.
André Larrêa

Publicidade

Fotógrafo de aventura e esportes radicais lança sua nova marca, a Ar Fotográfico

Por Sandro Gomes

Amante dos esportes radicais, o fotógrafo André Larrêa abre nesta quarta-feira (13) a exposição “Pura Vida”, no Brava Beach. O evento integra o programa do Campeonato Brasileiro e Sul Americano de Hydrofoil, que segue até domingo na praia Brava, em Itajaí. Paralelamente Larrêa lança a “Ar Fotográfico”, nova assinatura de seu trabalho.

Montada em dois contêineres, a exposição traz imagens do festival de Kite Surf 2018, além de fotografias publicadas ao longo de seus 12 anos de carreira. Neste ano Larrêa registra o evento com viés artístico, para a produção de um livro com o patrocínio do laboratório fotográfico Via Color.

“Pura Vida”, que batiza a exposição, é a saudação usada pelos nativos da Costa Rica para receber turistas atraídos pelas ondas do istmo na América Central, banhado pelo oceano Pacífico e o mar caribenho do Atlântico. Em 2007 Larrêa esteve por lá e clicou surfistas nas praias de Roca Bruja, Pavones, Ganacaste, Playa Negra, entre outras.

Foi sua primeira reportagem solo com fotos e texto para a revista Sul Sports, de Porto Alegre. Depois vieram centenas de registros nas revistas Wake Up, Solto, Fluir Stand Up, Via Legal, Sports Mag e Mundo Summer, inclusive com capas da cobertura do Mountain Du, no Costão do Santinho e do Iron Mann, em Floripa.

Primeiro fotógrafo do sul do Brasil a emplacar capa sobre o Stand Up Padle, competiu no primeiro Campeonato Brasileiro de Sup Race, uma corrida dentro da nova modalidade, em Osório, no Rio Grande do Sul. Cobriu festivais internacionais de Balonismo e o WCT - Campeonato Mundial de Surf.

Em Ushuaia, na Patagônia argentina, acompanhou abaixo de neve o treinamento de André Torelly, campeão brasileiro de Sup Unlimit. Fez ainda coberturas de esportes radicais no Peru, El Salvador, Estados Unidos, Nova Zelândia, Austrália e Indonésia.

Passou por maus bocados no arquipélago de Abrolhos, onde enfrentou violenta tempestade de cinco dias. A reportagem seria sobre mergulho, mas tornou-se lembrança do pânico em alto-mar. Para compensar, registrou as belezas em cavernas de Bonito, no Mato Grosso e na Chapada dos Viadeiros, em Goiás.

Preocupação ambiental e social nas lentes

Larrêa participou da mostra Ciclo H20, que acompanhou o ciclo da água no arroio Dilúvio, das nascentes cristalinas até desembocar quase sem vida no lago Guaíba. As fotos ilustraram a Semana Interinstitucional do Meio Ambiente de Porto Alegre.

Em 2013, quando estudantes de Porto Alegre protestaram contra o aumento de R$ 0,20 nas passagens de ônibus, ele estava entre os fotojornalistas que registraram o conflito com a brigada militar. Da cena surgiu o documentário Manifesto, vencedor de prêmios de fotojornalismo no Rio Grande do Sul.

Na revista Via Legal, da TV Justiça, atuou em várias reportagens de cunho sócio ambiental, como a situação dos índios no Morro do Osso, em Porto Alegre; da APA das Baleias Franca em Santa Catarina, a mineração e o assoreamento do rio Jacuí (RS).

Recentemente trouxe o fotógrafo Alexandro Auler para exibir o documentário “Faces de um Conflito”, em Balneário Camboriú. O filme aborda a participação das mulheres na guerra em Kobane, entre a Síria e Afeganistão. Larrêa e Alexandro se conheceram no cesto de um balão, no Festival Internacional de Balonismo de Torres, considerada a Kapadócia brasileira.

Larrêa ama fotografar balões. Para 2020, com o apoio do amigo André Ibanhes da Paulista Balões, ele prevê a finalização de um documentário sobre a explosão do balonismo no Brasil, o Ballon Storm.

Na trilha dos óleos

Ainda para 2019, o porto-alegrense de 48 anos que vive na Brava há seis, projeta expedição de Salvador ao Maranhão, percorrendo o litoral de carro e pranchões para verificar os estragos do vazamento de óleo que já atingiu quase 500 praias brasileiras.

“Queremos ver como estão as comunidades ribeirinhas. Acredito que muitos não podem mais pescar, não podem tirar o caranguejo dali”, avalia.

Estará acompanhado do mestre em engenharia ambiental Marco Goraeib, seu amigo desde o primeiro Campeonato Brasileiro de Stand Up Padle, integrante da Associação Brasileira de Cannabis Medicinal. A expedição encerra no portal da Amazônia, no Maranhão, na tribo dos Guajajara, que plantam cannabis há 200 anos e produzem óleo medicinal à base do cânhamo indiano.

Serviço

O quê: Exposição fotográfica Pura Vida, do fotógrafo André Larrêa, em paralelo ao Campeonato de Kite Surf. Onde: Brava Beach. Av. José Medeiros Viêira, 1876 - Praia Brava, Itajaí. Quanto: Entrada gratuita. Visitação das 11 às 18 horas. Quando: De 13 a 17 de novembro de 2019.

O fotógrafo André


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
André Larrêa

André Larrêa expõe no Brava Beach

Publicidade

Terça, 12/11/2019 16:53.

Fotógrafo de aventura e esportes radicais lança sua nova marca, a Ar Fotográfico

Por Sandro Gomes

Amante dos esportes radicais, o fotógrafo André Larrêa abre nesta quarta-feira (13) a exposição “Pura Vida”, no Brava Beach. O evento integra o programa do Campeonato Brasileiro e Sul Americano de Hydrofoil, que segue até domingo na praia Brava, em Itajaí. Paralelamente Larrêa lança a “Ar Fotográfico”, nova assinatura de seu trabalho.

Montada em dois contêineres, a exposição traz imagens do festival de Kite Surf 2018, além de fotografias publicadas ao longo de seus 12 anos de carreira. Neste ano Larrêa registra o evento com viés artístico, para a produção de um livro com o patrocínio do laboratório fotográfico Via Color.

“Pura Vida”, que batiza a exposição, é a saudação usada pelos nativos da Costa Rica para receber turistas atraídos pelas ondas do istmo na América Central, banhado pelo oceano Pacífico e o mar caribenho do Atlântico. Em 2007 Larrêa esteve por lá e clicou surfistas nas praias de Roca Bruja, Pavones, Ganacaste, Playa Negra, entre outras.

Foi sua primeira reportagem solo com fotos e texto para a revista Sul Sports, de Porto Alegre. Depois vieram centenas de registros nas revistas Wake Up, Solto, Fluir Stand Up, Via Legal, Sports Mag e Mundo Summer, inclusive com capas da cobertura do Mountain Du, no Costão do Santinho e do Iron Mann, em Floripa.

Primeiro fotógrafo do sul do Brasil a emplacar capa sobre o Stand Up Padle, competiu no primeiro Campeonato Brasileiro de Sup Race, uma corrida dentro da nova modalidade, em Osório, no Rio Grande do Sul. Cobriu festivais internacionais de Balonismo e o WCT - Campeonato Mundial de Surf.

Em Ushuaia, na Patagônia argentina, acompanhou abaixo de neve o treinamento de André Torelly, campeão brasileiro de Sup Unlimit. Fez ainda coberturas de esportes radicais no Peru, El Salvador, Estados Unidos, Nova Zelândia, Austrália e Indonésia.

Passou por maus bocados no arquipélago de Abrolhos, onde enfrentou violenta tempestade de cinco dias. A reportagem seria sobre mergulho, mas tornou-se lembrança do pânico em alto-mar. Para compensar, registrou as belezas em cavernas de Bonito, no Mato Grosso e na Chapada dos Viadeiros, em Goiás.

Preocupação ambiental e social nas lentes

Larrêa participou da mostra Ciclo H20, que acompanhou o ciclo da água no arroio Dilúvio, das nascentes cristalinas até desembocar quase sem vida no lago Guaíba. As fotos ilustraram a Semana Interinstitucional do Meio Ambiente de Porto Alegre.

Em 2013, quando estudantes de Porto Alegre protestaram contra o aumento de R$ 0,20 nas passagens de ônibus, ele estava entre os fotojornalistas que registraram o conflito com a brigada militar. Da cena surgiu o documentário Manifesto, vencedor de prêmios de fotojornalismo no Rio Grande do Sul.

Na revista Via Legal, da TV Justiça, atuou em várias reportagens de cunho sócio ambiental, como a situação dos índios no Morro do Osso, em Porto Alegre; da APA das Baleias Franca em Santa Catarina, a mineração e o assoreamento do rio Jacuí (RS).

Recentemente trouxe o fotógrafo Alexandro Auler para exibir o documentário “Faces de um Conflito”, em Balneário Camboriú. O filme aborda a participação das mulheres na guerra em Kobane, entre a Síria e Afeganistão. Larrêa e Alexandro se conheceram no cesto de um balão, no Festival Internacional de Balonismo de Torres, considerada a Kapadócia brasileira.

Larrêa ama fotografar balões. Para 2020, com o apoio do amigo André Ibanhes da Paulista Balões, ele prevê a finalização de um documentário sobre a explosão do balonismo no Brasil, o Ballon Storm.

Na trilha dos óleos

Ainda para 2019, o porto-alegrense de 48 anos que vive na Brava há seis, projeta expedição de Salvador ao Maranhão, percorrendo o litoral de carro e pranchões para verificar os estragos do vazamento de óleo que já atingiu quase 500 praias brasileiras.

“Queremos ver como estão as comunidades ribeirinhas. Acredito que muitos não podem mais pescar, não podem tirar o caranguejo dali”, avalia.

Estará acompanhado do mestre em engenharia ambiental Marco Goraeib, seu amigo desde o primeiro Campeonato Brasileiro de Stand Up Padle, integrante da Associação Brasileira de Cannabis Medicinal. A expedição encerra no portal da Amazônia, no Maranhão, na tribo dos Guajajara, que plantam cannabis há 200 anos e produzem óleo medicinal à base do cânhamo indiano.

Serviço

O quê: Exposição fotográfica Pura Vida, do fotógrafo André Larrêa, em paralelo ao Campeonato de Kite Surf. Onde: Brava Beach. Av. José Medeiros Viêira, 1876 - Praia Brava, Itajaí. Quanto: Entrada gratuita. Visitação das 11 às 18 horas. Quando: De 13 a 17 de novembro de 2019.

O fotógrafo André


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade