- Publicidade -
- Publicidade -
20 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Audiência de reurbanização da Atlântica teve plenário lotado, vaias e aplausos

Aconteceu na noite de terça-feira (19), véspera do aniversário de 58 anos de Balneário Camboriú, a audiência pública para apresentação do projeto conceitual de reurbanização da Avenida Atlântica, elaborado pelo Escritório Índio da Costa. 

Público lotou o plenário (Foto Renata Rutes)
Vereador Meirinho quem chamou a audiência (Foto Renata Rutes)

O vereador André Meirinho, que pedia a realização da audiência desde 2021, questionou o orçamento da obra, como será paga e quando iniciará. 

- Publicidade -

A reportagem do Página 3 cobriu a audiência e traz os detalhes mais importantes. Acompanhe:

Praia será um parque, um jardim urbano

O projeto foi apresentado pelos arquitetos Índios da Costa (pai e filho, mas principalmente pelo filho, Guto Índio da Costa), que manifestaram ‘a satisfação, orgulho e prazer’ que tiveram em trabalhar no processo que iniciou em 2019, através do Instituto + BC (formado por empresários da cidade, que doaram o projeto conceitual para a prefeitura).

O projeto conceitual (Foto Renata Rutes)

Guto pontuou que o projeto está sendo finalizado neste mês, mas que na tarde de terça-feira (19) já entregaram todas as plantas da praia para a prefeitura. 

Foi citado ainda que ouviram a comunidade e que a principal percepção que tiveram é que o público quer que a praia seja um parque, um jardim urbano – foi através deste conceito (“O nosso parque é a praia”) que o Escritório trabalhou. 

Informações do tamanho do Calçadão, ciclovia, pista de corrida (Foto Renata Rutes)
Detalhes da arborização (Foto Renata Rutes)
- Publicidade -

“Será um parque na beira do mar, ao invés de um simples calçadão. Inclusive teremos o plantio de mais 300 árvores, além de manter as atuais. Não teremos restinga alta, será rasteira, sem causar insegurança e sem prejudicar a visibilidade da praia. Teremos 38 acessos à praia, três com acessibilidade e quatro para veículos de limpeza”, pontuou. Os decks de acesso à praia terão 6m de largura e passarão por cima da restinga.

Segurança também

Novo posto dos guarda-vidas (Foto Renata Rutes)

No projeto, constam novos postos de guarda-vidas (10 ao total) e ainda três pontos para as polícias e Guarda Municipal trabalharem.

Pesca artesanal, surf e bocha

Foi citado brevemente que os três pontos da pesca artesanal existentes hoje na Praia Central vão continuar, assim como as escolinhas de surf e as 10 canchas de bocha, que serão mantidas e serão mais confortáveis.

Parquinhos infantis, dog parks e academias

- Publicidade -

Haverá na orla 11 parques infantis, seis dog parks e 16 estações de ginástica (sendo cinco academias) para as famílias desfrutarem.

Mobilidade

A mobilidade urbana foi bastante questionada. No projeto a calçada foi estendida em direção à areia com o objetivo da pista de corrida e ciclovia irem para dentro dela, não ficando mais ao lado da rua. Foi pensada na possibilidade de um VLT, mas hoje isso não é viável para Balneário e uma opção é o ônibus elétrico e investir na micromobilidade (bicicleta, patinetes, skate, etc).

Iluminação

Guto destacou que a iluminação que consta no projeto é o que há de mais novo e belo. “Será uma iluminação cênica, bela e sofisticada, com efeitos luminotécnicos para que o nosso parque fique lindo também à noite”, afirmou.

Área central: o destaque

Área central (Foto Renata Rutes)
A nova praça Almirante Tamandaré (Foto Renata Rutes)

A área central (os arredores da praça Almirante Tamandaré) ganhou uma atenção especial: a sugestão do Escritório Índio da Costa é de que a praça seja ‘levemente’ elevada, onde poderá ser instalado o parque de águas.

Quiosques e banheiros

A situação dos quiosques e banheiros ainda não foi definida porque precisam ser analisados pela Superintendência do Patrimônio da União (SPU). Mas pelo projeto, haverá ‘mais de 20 quiosques’ na orla, e também banheiros ‘decentes’, segundo o prefeito Fabrício Oliveira, que inclusive deverão ter depósitos subterrâneos. Isso tudo estaria em fase de concepção, porque precisarão ser construídos em cima da calçada.

Ministério Público também participou

O procurador da república, Marcelo Godoi, participou da audiência e pediu que os questionamentos sejam encaminhados ao MP. Ele salientou que o órgão tem acompanhado de perto a obra, que definiu como ‘complexa’ e que foram feitos muitos estudos ambientais. “Tivemos muitas conversas e há muitos profissionais acompanhando. É uma obra pensando no desenvolvimento sustentável, entendemos que a cidade precisa se desenvolver, mas também precisamos preservar o meio ambiente”, disse.

“Balneário na vanguarda, como referência”

A composição da mesa (Foto Renata Rutes)

O prefeito Fabrício Oliveira explicou diversas vezes que a audiência é um protocolo legal e que a reurbanização é focada na beleza paisagística da orla de Balneário, que ‘é única no Brasil e no mundo’. 

Ele citou ainda que o próximo governo municipal terá que dar continuidade, assim como ele ‘herdou’ o projeto dos ex-prefeitos da cidade (destacou os mais recentes e que estavam presentes – Piriquito, Rubens Spernau (que estava ao seu lado, como representante da Secretaria de Planejamento Urbano) e Leonel Pavan, que elogiou o projeto e a realização da audiência pública, lembrando que Balneário sempre se preocupou com o meio ambiente, tendo sido daqui a primeira Secretaria do Meio Ambiente do Brasil). 

“A reurbanização será mais uma obra que vai colocar Balneário na vanguarda, como referência. De maneira alguma o poder público ‘se curva’ a alguém e sim fazemos o que acreditamos que precisa ser feito. Sei que o debate é polêmico, mas é também enriquecedor. Em poucos meses iniciaremos a obra, que será um novo momento para a nossa cidade, que cresce não somente em infraestrutura, mas também no suporte ao meio ambiente”, comentou Fabrício. Ele afirmou ainda que governar está ‘cada vez mais difícil’ por conta de imposições e leis, mas que o seu estilo é dialogar. “É o que faz estarmos nesse patamar atual”, acrescentou.

Audiência do projeto executivo também vai acontecer

Fabrício disse também que fez ‘várias’ audiências com a sociedade civil organizada e empresários da cidade para debater o projeto conceitual (o que vereadores da oposição questionaram, porque a audiência na Câmara foi a primeira onde viram o projeto). 

“Agora estamos fazendo o projeto executivo, que será entregue em 45 dias, então faremos uma nova audiência para falar do orçamento. Hoje, pensamos no custeio via operação pública, é o que se mostra mais viável. Há também a opção da terceirização de equipamentos via publicidade, poderemos fazer isso com os banheiros e quiosques, com contrapartida de manutenção”, afirmou.

Demolição de equipamentos não deve acontecer agora

O prefeito também foi questionado e respondeu sobre a situação da demolição de equipamentos, como quiosques de milho e churros e canchas de bocha – ele disse que isso vai acontecer conforme o andamento da obra, para que a Atlântica não fique sem equipamentos.

Piriquito e Hang contra a restinga

Hang e Piriquito contra a restinga (Foto Renata Rutes)

O ‘ponto alto’ da noite para quem gosta de ver confusão foi a fala do ex-prefeito Edson Renato Dias, o ‘Piriquito’, que a plenos pulmões defendeu o quanto é contrário à restinga (e dunas, que, segundo ele, estariam sendo licitadas) e que aprová-la é algo que vai ser ruim para o futuro de Balneário Camboriú. 

Ele se exaltou e gritou mesmo com o seu tempo de fala encerrado, o que gerou vaias por parte do público, deixando Piriquito ainda mais irritado. 

No momento, o prefeito Fabrício Oliveira somente dizia ‘o senhor não precisa disso, estava indo tão bem, o senhor não precisa disso’, repetidamente.

Luciano Hang também teve seu tempo de fala, após Piriquito (que inclusive estava sentado ao seu lado), e disse que adorou o alargamento da faixa de areia, mas que estava lá para lutar contra a restinga, que foi uma ‘imposição do IMA’ e é um ‘absurdo’. 

Hang disse ao Página 3 que conversou com turistas de Sepetiba, no Rio de Janeiro, onde colocaram restinga e que ‘acabaram com a praia’. 

“Balneário é um sucesso hoje porque aqui se acreditou no cidadão, na capacidade de se fazer sempre o melhor. Nós não aceitamos as imposições feitas pelos órgãos ambientais, por isso que nós temos a roda gigante, o teleférico, o alargamento da areia que foi um trabalho! A imposição de colocar restinga é inaceitável!”, disse.

Secretária do Meio Ambiente desmentiu situação da restinga

Detalhes da restinga que será usada, todas rasteiras (Foto Renata Rutes)

A secretária do Meio Ambiente de Balneário, Maria Heloísa Lenzi, presente na audiência, desmentiu por diversas vezes as falas sobre a restinga, afirmando que ela é importante para a contenção da erosão costeira e também como paisagismo. “Será um jardim urbano, não será a restinga igual a das praias agrestes e a manutenção será feita. São espécies apropriadas e não procede a situação de insegurança e proliferação de animais peçonhentos”, afirmou. Ela disse que as mudas que foram plantadas na Praia Central são um ‘experimento’ e serão levadas para as praias agrestes.

O arquiteto Guto Índio da Costa também desmentiu a situação das dunas, pontuando que a areia será plana e que se elevará naturalmente. 

Primeiro, a obra de macrodrenagem

A vereadora Juliana Pavan questionou sobre a obra de macrodrenagem, que foi licitada após o alargamento da faixa de areia e ainda não foi feita. O engenheiro Rubens Spernau disse que de fato contrataram o projeto, mas que ele não está ‘concluso’. 

“Estamos divergindo com a empresa que fez, que é de São Paulo. Mas não vamos fazer a reurbanização sem a drenagem. É uma obra cara [a drenagem], mas é fundamental. Primeiro teremos que fazer ela, e depois a reurbanização”, pontuou.

Plenário lotado

O plenário da Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú estava lotado, com a participação de quase todos os vereadores. Havia fila para entrar e uma funcionária ‘barrando’ porque não havia condições de mais pessoas entrarem. Porém, como a audiência durou várias horas (das 18h30 até quase 21h30), ao final a maioria já havia ido embora. Mesmo assim, houve a votação e foi deliberado que o projeto da reurbanização continuará seus trâmites legais.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -