- Publicidade -
21.4 C
Balneário Camboriú

Bombeiros preocupados com segurança de banhistas perto da draga do alargamento em Balneário Camboriú

A obra do alargamento retornou nesta quinta-feira (23) e segue agora para o centro

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

A draga Galileo Galilei que foi abastecer em Paranaguá retornou nesta quinta-feira e retomou a obra de alargamento da faixa de areia da praia central de Balneário Camboriú. Fez uma descarga na madrugada e outra de manhã, e agora segue a descarga da areia entre as ruas 3.700 e 2.200, rumo ao Pontal Norte.

A draga foi abastecer em Paranaguá e voltou na tarde dessa quinta-feira (22) (Foto Divulgação/PMBC)

Apesar de ser proibida a navegação, permanência, banho e surf no perímetro da obra, o Corpo de Bombeiros manifestou preocupação e pede uma área de segurança.

O Comandante do 13º Batalhão de Bombeiros Militar (BBM) de Balneário Camboriú, José Ananias Carneiro, conta que estão preocupados com a obra de alargamento – tanto com a possível mudança das correntes, profundida, como ainda o isolamento de onde está a draga.

(Foto Renata Rutes)

“Queremos que seja feito um plano de segurança, com isolamento de onde está a draga, porque isolaram a areia, mas o banhista pode ir pela correnteza. E como a obra segue até novembro, já estarão muitos turistas na cidade, e por isso é preocupante. Em Florianópolis [Canasvieiras] houve afogamento, porque a draga forma um ‘redemoinho’; já falamos sobre com o prefeito Fabrício Oliveira e ele também demonstrou preocupação sobre isso. Queremos evitar que algum dano aconteça”, diz.

40 guarda vidas + prevenção

(Foto Renata Rutes)
- Publicidade -

A Operação Veraneio começa oficialmente em novembro, mas em Balneário ela sempre é antecipada por conta da quantidade de turistas, e isso deve acontecer neste ano também.

“Estamos sabendo por empresários do turismo que devem vir muitos visitantes, por isso queremos ter pelo menos 40 guarda-vidas atuando por dia em nossas praias. Agora com o alargamento ainda não sabemos como ficará a praia, por isso trabalharemos muito em cima da prevenção, mas também contamos com a empresa da obra para nos auxiliar a fazer a segurança perto de onde estão trabalhando”, acrescenta.

Outra preocupação dos bombeiros é a distância maior que haverá entre os postos dos guarda-vidas até o mar – mais 60 metros por conta do alargamento.

- Publicidade -

“60 metros é bastante coisa e, para quem está se afogando, um minuto é muito. Por isso queremos reforçar o número de guarda-vidas, e vamos fazer os cadeirões na areia, para assim ficarmos mais próximos da água”, completa.

Prefeitura alerta

A prefeitura de Balneário reforça que a navegação, banho de mar, surf e permanência no perímetro da obra de recuperação da praia central estão proibidos – incluindo a Barra Sul, que segue fechada para o público até liberação de engenheiros responsáveis pela obra.

O governo municipal reforça que a circulação de pessoas e de embarcações na orla está proibida até que a dragagem esteja concluída e a tubulação retirada da água. O espaço impedido de movimentação está sinalizado.

Material esportivo da praia está sendo retirado

A equipe da Secretaria de Obras iniciou na quarta-feira (22) a retirada de postes e equipamentos na areia da praia central que são utilizados para atividades esportivas como Vôlei, Beach Soccer, Beach Tennis e Futevôlei.

(Reprodução)

Os equipamentos serão armazenados na sede da Secretaria de Obras.
Representantes das associações de praia foram avisados do procedimento com antecedência. A retirada é necessária para não serem danificados durante a obra de alargamento.

Obra retornou

(Reprodução)

O preenchimento da Rua 3.700 em direção ao centro iniciou nesta quinta-feira (23) e vai até a altura da Rua 2.200. Quando o preenchimento chegar na 2.200, a tubulação que traz a areia da draga até a praia será flutuada e removida a ponta que fica em terra até o trecho de praia diante desta rua, começando em seguida a dragagem daquele ponto em direção ao Pontal Norte, até completar o preenchimento de toda praia. Essa remoção da ponta da tubulação principal da 3.700 até a 2.200 é necessária para que o material que vem impulsionado da draga chegue mais rápido e facilmente até o Pontal Norte.

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -