- Publicidade -
- Publicidade -
16.7 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Casa do Autista inaugura nesta sexta-feira para atendimento de pacientes nível 1 e 2

Casa 2 deve inaugurar até o fim do ano, com atendimento para nível 3 e diagnósticos tardios

Com investimento municipal de quase R$ 9 milhões, a Casa do Autista de Balneário Camboriú será inaugurada nesta sexta-feira (28), às 10h, no Bairro dos Municípios,  com solenidade aberta à comunidade e visitação orientada. Participam autoridades, como o governador Jorginho Mello, Berenice Piana, militante co-autora da lei 12.764, sancionada em 28 de dezembro de 2012, que leva seu nome: a Lei Berenice Piana, que instituiu a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com transtornos do espectro autista, e ainda a ex-primeira dama, Michelle Bolsonaro.

A estrutura da Casa

A secretária de Inclusão Social de Balneário Camboriú, Ivanir Maciel, salienta que a inauguração da Casa do Autista é uma conquista para a cidade e que será um ‘centro de referência no autismo’, em acolhimento, diagnóstico e suporte nutricional e familiar. 

“A Casa foi pensada há mais de três anos, quando o prefeito Fabrício Oliveira falou na época com a secretária Christina Barichello. Fomos conhecer em todos os lugares do Brasil e até fora o atendimento de excelência e adotamos o Processo ABA (Análise do Comportamento Aplicada, traduzido para o português – o b é behavior, comportamento em inglês), com terapias neurossensoriais, por isso teremos o Jardim Sensorial, todo equipado para o desenvolvimento e parte lúdica do autista. Está tudo muito lindo. É muito emocionante ver acontecer, ver mães que aguardavam na fila da Saúde e que agora os filhos vão ter atendimento”, explica Ivanir.

(Divulgação/PMBC)

O Jardim Sensorial vem sendo anunciado como o maior da América Latina, segundo a ex-secretária Christina, que está como voluntária na Casa do Autista. 

“A prefeitura já contatou o Guinness Book, mas ainda não chegou a certificação. O Jardim tem 1.260m e foi todo projetado dentro da neuro-ambientação com plantas, cheiros, folhagens, elementos e também brinquedos adaptados para o autista e até outros tipos de deficiência. Teremos mini cidade, porque toda a temática é baseada para regular o autismo e preparar o autista para o mundo”, salienta Christina.

- Publicidade -

A secretária Ivanir acrescenta que os atendimentos serão no contraturno e que a expectativa é atender 200 crianças (100 por turno) dentro de quatro meses. O acesso da comunidade autista infantil à Casa do Autista vai respeitar o cadastro único mantido na rede municipal de saúde. 

Atualmente, a listagem reúne 519 crianças, 436 delas com diagnóstico de autismo nível 1 ou 2.  A relação está disponível para consulta no site do município (bc.sc.gov.br – menu Serviços/Lista de Espera Saúde). Novos interessados (com ou sem diagnóstico médico) no suporte especializado oferecido no contraturno escolar pela Casa do Autista devem procurar alguma Unidade Básica de Saúde da cidade para os encaminhamentos necessários. 

“A convocação das crianças cadastradas será progressiva até o limite de vagas, de 3 a 12 anos de idade, com diagnóstico de autismo nível 1 ou 2. Se a criança estuda de manhã, vai à tarde e vice-versa. Na Casa fará todas as terapias, com fonoaudióloga, psicóloga, terapeuta ocupacional, profissional de educação física e nutricionista. Também haverá a Sala de Rotinas, onde vai ter espaço como se fosse uma casa, para a criança aprender algumas funções como arrumar a cama, auxiliar nas tarefas domésticas, etc. Foram quase R$ 9 milhões de investimento de recursos municipais”, pontua.

Christina detalhou mais sobre o acompanhamento nutricional, onde as crianças e seus pais poderão ter acesso a um laboratório de nutrição, que terá curso para os pais. 

“Uma característica bem importante de pessoas com espectro é a parte nutricional – comorbidades associadas como epilepsia, se for seguido o protocolo de dieta sem glúten e lactose diminui crises e faz autorregulação. Por isso, na Casa será servida essa dieta e aconselhado que os pais a sigam também”, comenta a voluntária.

Autismo nível 3 será atendido na Casa 2

(Divulgação/PMBC)

Os atendimentos na Casa do Autista iniciam na segunda-feira (1), e Ivanir informa que o local servirá também como apoio à AMA Litoral (Associação de Pais e Amigos do Autista SC), fundada em Balneário Camboriú em 2007, e que inaugurou sede própria no último dia 18, Dia Mundial do Orgulho Autista), que inclusive fica bem próximo da Casa.

No momento, a Casa do Autista não atenderá autistas nível 3, estes serão atendidos somente na AMA Litoral.

“No início, atenderemos nível 1 e 2 – têm 519 crianças na fila da Saúde, 436 são nível 1 e 2, 83 são nível 3. Neste momento, faremos a inauguração do Jardim e da Casa do Autista 1. Mas já está em fase de projetos de iniciar a licitação para a Casa do Autista 2, ao lado da 1. Já temos a casa que vai ser requalificada. E na 2 vai ser atendido autista nível 3 e clínica para atender jovens e adultos que ainda não possuem laudo ou que tiveram diagnóstico tardio. Esperamos inaugurar a Casa 2 até o fim do ano. Será outra modalidade e não centro de convivência, e sim centro de suporte e apoio emocional, com demais áreas”, completa a secretária Ivanir.


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -