- Publicidade -
- Publicidade -
24 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Novo diretor da Emasa apresentou obras para melhorar tratamento de esgoto em reunião do Sinduscon

O diretor-geral da Empresa Municipal de Água e Saneamento de Balneário Camboriú (Emasa), Cel. Julimar Dagostin, participou de reunião no Sindicato da indústria da Construção Civil (Sinduscon) de Balneário Camboriú, nesta terça-feira (30), para falar sobre as obras que vão melhorar o tratamento de esgoto e o abastecimento de água na cidade. 

Dagostin esteve acompanhado do diretor técnico da empresa, Alexandre Motta. 

Obras concluídas

(Foto Ivan Rupp)

Dagostin falou sobre as obras concluídas e outras em andamento, com destaque para a recuperação da lagoa de aeração. 

- Publicidade -

A Emasa completou nesta semana a instalação dos aeradores na lagoa de aeração prolongada da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Nova Esperança, que já está em operação, bem como o novo decantador, que somado aos outros dois já em funcionamento, melhoram substancialmente o tratamento do efluente que chega à estação.

A Lagoa de Aeração Prolongada é onde o processo biológico ocorre. O efluente fica na lagoa, em média, por 30 horas. A aeração tem por finalidade proporcionar oxigênio aos microrganismos (a biomassa), e evitar a decantação dos flocos bacterianos, mantendo o lodo em suspensão, a fim de misturá-lo homogeneamente com o efluente, que segue, posteriormente, da lagoa para os decantadores. 

A capacidade da lagoa de aeração da Emasa é de 54 milhões de litros.

O novo decantador da estação já está em operação. Com ele, são três os decantadores da ETE em funcionamento. É nos decantadores que ocorre a separação da água e do lodo. O decantador faz ainda a clarificação do efluente e promove a recirculação para o processo biológico. O excedente é enviado para a Estação de Tratamento de Lodo (ETL).

Na ETL, o lodo é prensado em um equipamento projetado para a separação de partículas sólidas e líquidas. Após esta separação, o líquido retorna para o tratamento, e o lodo compactado é colocado em caçambas e destinado a um aterro sanitário industrial.

O tanque de contato é a etapa final do processo de tratamento. Nele, o líquido clarificado que vem do decantador passa pela etapa de desinfecção com a utilização de cloro-gás, e, somente após esta última etapa, o efluente tratado é devolvido ao meio ambiente.

Tratamento&Produção

A Emasa trata diariamente, em média, 30 milhões de litros de efluentes, além de produzir e distribuir, por dia, a média de 50 milhões de litros de água tratada para o abastecimento de Balneário Camboriú.

- Publicidade -

Fonte: Assessoria de Imprensa/Emasa

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -