- Publicidade -
- Publicidade -
19.9 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Reunião sobre situação do transporte público de Balneário Camboriú nesta terça-feira

Acontece nesta terça-feira (7), às 9h, no Hotel Geranium, uma reunião aberta ao público para discutir a situação do transporte público de Balneário Camboriú, que está complexa, conforme anunciado pelo Página 3 na última semana (relembre aqui). 

A prefeitura e a empresa responsável pelo transporte coletivo da cidade, BC Coletivo (PGTur), esperam que a comunidade participe e dê sugestões.

- Publicidade -

O diretor-presidente da BC Trânsito, Ricieri Ribas disse que a reunião pública já havia sido moldada antes de a empresa tornar pública a delicada situação que vive, com número baixo de usuários e tendo prejuízos financeiros.

“Inicialmente iríamos tratar do transporte coletivo de maneira geral, sobre as alterações no sistema que trouxeram um pouco de insatisfação, mas que já esperávamos que acontecesse, mas defendemos que o transporte coletivo é essencial e necessário, e queremos que quem ainda não o utiliza, passe a utilizar, pensando no futuro de nossa cidade”, diz.

Ricieri aponta que a ‘virada de chave’ foi o apontamento da empresa sobre a situação que vive, e que por isso também vão tratar disso com mais ênfase, assim como sobre as faixas preferenciais e exclusivas e também sobre o sistema de linhas, que é adaptável e segue a demanda que a cidade possui. 

“Realmente está acontecendo a situação da empresa, que está tendo prejuízo. Temos a questão da gratuidade, que um terço de quem utiliza o ônibus é usuário que não paga. Em nível federal, a gratuidade é de 65 anos, mas o município aprovou há alguns anos 60, e esses cinco anos geram um impacto considerável, já que o sistema ainda não tem tanta busca. Iremos mostrar o histórico do transporte coletivo em Balneário e tudo o que aconteceu (antes da pandemia, durante e atualmente)”, acrescenta.

- Publicidade -

O diretor-presidente aproveita para contar que a prefeitura está analisando toda a situação repassada pela BC Coletivo e que possuem uma equipe responsável por esse assunto (com membros da BC Trânsito, das secretarias da Fazenda, Compras e Procuradoria Geral) e que há alternativas para auxiliar a empresa, que entrou no município via cessão através da Expressul. Há mais sete anos de contrato, com possibilidade de aumentar. 

“Por isso, precisamos que a sociedade civil organizada, sindicatos, associações, empresários e população geral participem conosco da reunião desta terça, para juntos discutirmos. Após a reunião, vamos analisar o contexto e decidir o que será feito, de acordo com as expectativas da sociedade. Será a primeira reunião, se for necessário, faremos mais encontros. Queremos que os moradores da cidade colaborem nas decisões. A prefeitura está trabalhando para solucionar, focamos nisso desde que a empresa assumiu – eles têm planos de investimento na nossa cidade também, mas é difícil investir sendo que hoje há prejuízo. Estamos pensando no futuro, procurando iniciar hoje algo que terá resultado a médio e longo prazo… em como Balneário estará daqui 20 anos, de maneira macro”, completa.

O que diz a BC Coletivo

Através de sua assessoria, a BC Coletivo (PGTur) informou que a situação permanece a mesma apontada pelo jornal via reportagem na última semana. 

- Publicidade -

A empresa lembra que a reunião foi idealizada pelo BC Trânsito e estava no radar antes mesmo da situação ser exposta. 

Assim como dito por Ricieri, a concessionária tem como objetivo discutir com o terceiro setor e com a comunidade algumas demandas que já haviam solicitado como a faixa de serviços e a participatividade das entidades na discussão sobre transporte público, bem como no sentido de incentivar os trabalhadores e população em geral a adotar este meio de locomoção. 

A possibilidade de subsídio por parte da prefeitura teria entrado de última hora na pauta, conforme apontamentos da BC Coletivo.

A empresa irá participar não só como ouvinte, mas também como parte do debate e a diretoria espera que a conversa evolua e assim seja possível realizar as mudanças necessárias, com o apoio dos vereadores e da sociedade civil organizada. 

“Todo e qualquer item da pauta que possa ter evolução, já será de grande valia para continuar com os serviços diante do atual cenário”, manifestou a direção.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
%d blogueiros gostam disto: