- Publicidade -
- Publicidade -
15 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Chuvas devem aumentar no RS e avançar para Santa Catarina e Paraná

As chuvas não darão trégua ao Rio Grande do Sul nos próximos dias, de acordo com Estael Sias, metereologista da empresa MetSul. “Na quinta, com a passagem de uma frente fria, serão mais 100 a 150 mm. E haverá um segundo momento de chuva forte entre sexta e sábado, com mais 100 mm”. A previsão é baseada no último boletim do MetSul, divulgado na tarde de quarta (1º).

Nos últimos cinco dias, os acumulados de chuva registraram entre 300 mm e 500 mm, principalmente no centro e no norte do estado, causando ao menos dez mortes. Ainda há 21 pessoas desaparecidas. “É possivelmente mais grave que a primavera do ano passado, e numa área maior. É uma calamidade”, afirma Sias.

Essas regiões já estão enfrentando inundações, especialmente o centro do estado, os vales, a Grande Porto Alegre e a Serra Gaúcha. Esta última região, inclusive, é onde nascem vários dos rios que descem para os vales, como Caí, Paranhana e Taquari -que enfrentam cheias históricas e tendem a se elevar nos próximos dias.

- Publicidade -

“Os rios gaúchos são complexos. Portanto, provavelmente estaremos falando em enchentes até o fim da segunda semana de maio, podendo ultrapassar o número de mortes do ano passado”, disse Estael Sias. A metereologista inclusive cita que, se tudo isso confirmar, será necessário fechar as comportas do lago Guaíba, situação que ocorreu somente duas vezes desde 1970.

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) prevê que entre esta quarta (1º) e quinta (2), uma ampla área de baixa pressão atmosférica favorecerá a formação de novas áreas de instabilidade, juntamente com a formação e deslocamento de uma frente fria.

Na sexta, essas instabilidades devem avançar para os estados de Santa Catarina e Paraná (sul e oeste do estado), ocasionando temporais, alguns podendo ser de forte intensidade.

Até quinta, ainda são previstos ventos fortes com rajadas acima dos 80 km/h, ocorrência de descargas elétricas, queda de granizo e chuvas ainda volumosas podendo superar os 200 mm entre o Rio Grande do Sul e o sul de Santa Catarina.

No início da semana, a Defesa Civil do Rio Grande do Sul expediu uma nova advertência para chuvas extremas no território gaúcho.

Conforme o governador Eduardo Leite (PSDB), a projeção é que o estado entre no grau “severo” do alerta meteorológico da Sala de Situação. Isso representa grave risco à vida e integridade das pessoas, com possibilidade de temporais intensos, chuvas que causam alagamentos, queda de raios, granizo e ventania.

O governador também disse que “ainda não é possível precisar todos os efeitos que acontecerão em rios” ou onde vão ocorrer vendavais. Até tornados podem atingir o solo gaúcho devido à atuação das áreas de instabilidade, declarou Leite.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -