- Publicidade -
- Publicidade -
22.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

A CPI da Emasa é extremamente necessária para lançar luz sobre fatos obscuros

O prefeito Fabrício Oliveira emitiu nota na manhã desta quinta-feira (6) criticando a CPI da Emasa, aprovada na quarta-feira pela Câmara de Vereadores, alegando que se trata de um ato político. 

É evidente que se trata de um ato político. 

Tudo que o Executivo e o Legislativo fazem são atos políticos, o que de certa forma acaba prejudicando a sociedade, pois as conveniências dessas figuras costumam se sobrepor aos interesses da população.

- Publicidade -

A CPI da Emasa, por exemplo, só não foi instaurada pelo menos quatro anos atrás, devido a atos políticos, porque o prefeito obteve maioria na Câmara de Vereadores, basicamente cedendo cargos na máquina pública. 

Essa CPI é necessária, assim como a luz do sol, para clarear situações bastante obscuras. 

Por exemplo, o ex-diretor-geral, Douglas Costa Beber, defendia abertamente que a Emasa ou parte dela fosse privatizada, visando ter recursos para investir.

Ao mesmo tempo em que a Emasa contraía empréstimos, boa parte dos seus recursos foi desviada para outras áreas da prefeitura e entender como e porque isso ocorreu é necessário.

Felizmente teremos essa CPI da Emasa, o que deveria ser hábito, seja qual prefeito estiver no comando, porque os vereadores são pagos para fiscalizar, mas não o fazem. Custam caro demais à sociedade para colocar nomes em ruas, nomes em praças ou se meter com as opções de vida das pessoas (vários têm fixação no sexo alheio -e Freud explica).

Os vereadores ganham salários elevados e não fiscalizam nada do que acontece no Executivo. A CPI será uma exceção a esse comportamento vergonhoso.

E, provavelmente, será um diploma de bom gestor e de homem ilibado ao prefeito Fabrício, cuja primeira reação à instauração da CPI foi a pior possível.

- Publicidade -

Quem não tem rabo preso -e acho que Fabrício não tem-  está pouco ligando para CPIs, mas com certeza o governo terá dificuldade de explicar porque tratou como normal vários anos de fedor e temporada com praia imprópria.

Menos prefeito, fique na boa, desça do salto, porque sua gestão foi desastrosa em saneamento e isso é sim. ao contrário do que você afirma, um fato bem determinado.

Leia a nota que o prefeito divulgou nesta quinta-feira   

Sobre a farsa de uma CPI

  1. ⁠O oportunismo eleitoral se fez presente. Representantes de uma candidatura de oposição ao nosso governo, em uma aliança de alma entre o PSD e o PT em nosso município, tentam macular a nossa gestão com ilações, mentiras e acusações absolutamente infundadas.
  2. ⁠Propõem uma CPI sem qualquer fato determinado e a partir de temas que já foram objeto de TAC da Empresa com o Ministério Público. Ou seja, uma iniciativa que não terá qualquer resultado concreto. Servirá, quando muito, como um espetáculo na tentativa de desgastar a imagem do nosso governo, em um movimento claramente eleitoreiro.
  3. ⁠O nosso governo não teme qualquer investigação. Mostramos durante esses mais de 7 anos a correção de nossos atos. Contudo, não admitiremos que seja utilizado desse instrumento como palanque para projetar alguns insignificantes e atacar a nossa honra. 
  4. ⁠Aos oportunistas e aos vendilhões reservaremos a verdade sobre EMASA com a lança que destruirá a sua sanha pelo poder a qualquer custo e os frágeis posicionamentos políticos que se movem ao sabor dos ventos e do tilintar de trinta moedas.

Fabrício Oliveira
Prefeito de Balneário Camboriú

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -