- Publicidade -
- Publicidade -
17.8 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Velho da Havan poderia dizer ao Bozo que as urnas eletrônicas são seguras e foram inventadas em Brusque

Há mais de 30 anos, a população de Brusque se orgulha que o seu município foi o pioneiro no Brasil na utilização de urnas eletrônicas. 

Foi um juiz eleitoral de Brusque, Carlos Prudêncio, o idealizador das urnas eletrônicas, inconformado com a lentidão da apuração e o potencial de fraudes na contagem manual.

- Publicidade -

Urnas eletrônicas foram usadas pela primeira vez no Brasil em 1989, quando 372 eleitores da 90a Zona Eleitoral de Brusque participaram da experiência pioneira no país. 

O fato é descrito em detalhes no excelente portal “Brusque Memória”, criado pelo designer Paulo Morelli, com apoio cultural da Sociedade Amigos de Brusque, do jornal O Município e da Sociedade Esportiva Bandeirantes, três “instituições” que se confundem com a história da própria cidade. 

A inovação brusquense assombrou o País, a ponto de diretores de tribunais eleitorais de todo o Brasil virem a Brusque, 32 anos atrás, para conhecer a revolucionária novidade.

O brusquense mais famoso na atualidade é o Velho da Havan, o empresário Luciano Hang que ainda não tem 60 anos, mas parece gostar do apelido que lhe ajuda a vender toalhas e tapetes.  

- Publicidade -

Luciano é também amigo do Bolsonaro, portanto poderia contar ao distinto que urnas eletrônicas, como todos sabem, são seguras e nunca houve, desde que começaram a ser usadas, um caso confirmado de fraude.

Por força da profissão de jornalista acompanhei as apurações de votos de muitas eleições e, no tempo das cédulas em papel, era comum o pessoal falar em fraudes. Se faltasse luz durante a apuração, como ocorreu numa eleição da Remi Osório, que lastimavelmente nos deixou dias atrás, os boatos eram robustecidos.

As pessoas que conviviam com Jaison Barreto, no seu posto-bar na Terceira Avenida, alimentavam o imaginário de urnas boiando em córregos, repletas de votos a seu favor, arremessadas por cupinchas do Amin no trajeto entre o local de votação e a apuração. 

- Publicidade -

Claro que nada disso é verdade, mas as pessoas falam, e inverdades repetidas acabam se tornando verdades, como tenta fazer agora o Bolsonaro, inspirado pelo Trump e pelos golpistas que cercavam aquele ex-presidente da gringolândia.

A história de Bolsonaro mostra que ele nunca aceitou as regras do jogo e por isso foi taxado por seus comandantes de mau militar, tendo a carreira nas casernas abreviada.

Tudo indica que ele vai perder de novo, pelos mesmos motivos que o elegeram, o repúdio do eleitorado ao governante da ocasião.

O fato dele tomar uma surra nas urnas -idealizadas em Brusque- nada tem a ver com evangélicos, católicos, machões, gays, comunistas ou neonazistas e sim ao custo de vida.

O povo sempre vota com o bolso, se os preços da carne, do arroz e do leite estão nos conformes o governo continua. Por isso o PT se reelegeu três vezes e por isso Bolsonaro não irá se reeleger.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
%d blogueiros gostam disto: