- Publicidade -
21.7 C
Balneário Camboriú

GARCÍA LORCA

Diplomata, escritor, linguista e tradutor, o goiano William Agel de Mello está me oferecendo novo trabalho e que eu não conhecia. Trata-se de uma Antologia Poética contendo poemas selecionados da tradução completa das poesias do vate espanhol Federico García Lorca (1898/1935) por ele realizada. Deu preferência, segundo informa, aos poemas mais significativos e aos mais populares, aqueles que caíram no gosto do povo. O livro foi publicado em edição bilíngue e com esmerada apresentação pela Editora Martins Fontes (S. Paulo – 2010).

O volume é aberto com um excelente prefácio interpretativo e biográfico do poeta de autoria do tradutor. Ele ressalta a celebridade crescente de Lorca como poeta e dramaturgo, não apenas no país natal mas também nos Estados Unidos, na Argentina e Cuba onde faz turnês de conferências e apresentações sempre com imenso aplauso popular e crítico. Isso desperta intensa inveja contra ele por parte dos ultraconservadores que o consideram comunista, anticlerical e homossexual. O clima no país se agrava, a guerra civil é inevitável, ele é aconselhado a ficar na capital ou exilar-se do país. Pablo Neruda e Salvador Dali são alguns dos amigos que se preocupam com sua situação. Não obstante, é retirado da casa de amigos e fuzilado de forma sumária na madrugada de 17 ou 18 de agosto. Foi mais um dos monstruosos crimes do franquismo que dominaria a Espanha por longos anos. Mas a obra de Lorca permaneceu imperecível, sendo considerado o maior poeta espanhol.

Na segunda parte do prefácio William se estende a respeito da técnica da tradução, revelando-se dono do assunto. Dentre as traduções, creio que a da poesia é a mais complexa e exigente. Depois de analisar os diferentes métodos de traduzir, explica que se manteve o mais fiel possível ao pensamento e ao sentimento do poeta. A mesma preocupação de Monteiro Lobato, um dos mais operosos tradutores brasileiros. Observe-se ainda que a Antologia Poética contém numerosos poemas, metrificados oi livres, em 300 páginas.

Artesão da palavra, Lorca aproximou o regional ao universal, escrevendo em espanhol com acento andaluz. Alegre e carismático, conquistava as pessoas e deixou numerosos amigos nos lugares por onde passou.
Muito bem fez William Agel de Mello ao reunir neste belo volume um punhado de poemas variados de García Lorca que agrada a todos os gostos e relembra a genialidade de um dos maiores poetas da literatura universal.

- Publicidade -
Enéas Athanázio
Promotor de Justiça (aposentado), advogado e escritor. Tem 59 livros publicados em variados gêneros literários. É detentor de vários prêmios e pertence a diversas entidades culturais. Assina colunas no Jornal Página 3, na revista Blumenau em Cadernos e no site Coojornal - Revista Rio Total.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -