- Publicidade -
- Publicidade -
30 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Clube do Livro celebra autoras contemporâneas em Balneário Camboriú

O projeto “Lendo Elas” foi aprovado na LIC-BC e terá oito encontros gratuitos, aos domingos, na Arthousebc

“Lendo Elas – Narrativas da Contemporaneidade” tem como objetivo a divulgação e discussão de obras da literatura brasileira contemporânea escrita por mulheres em encontros de clube do livro, que acontecem em Balneário Camboriú, a partir do próximo dia 18.

Haverá um encontro em junho (dia 18); dois em julho (9 e 30); um em agosto (20); um em setembro (10); dois em outubro ( 1 e 22) e o último em novembro (5), todos a partir das 17h, na Arthousebc, Rua São Paulo 581 – 1, Bairro dos Estados. 

Para compor a programação foram selecionadas oito obras de autoras contemporâneas, abrangendo todos os gêneros, desde a poesia ao romance, sendo que uma obra será discutida a cada encontro realizado, sob seus vários aspectos estético-literários e em suas relações e implicações político-sociais.

- Publicidade -

Obras selecionadas

  • 18/06 – 17h – A pequena coreografia do Adeus (Romance – Finalista do Prêmio Jabuti e Prêmio São Paulo de Literatura de 2022) – Aline Bei
  • 09/07 – 17h – Risque esta palavra (Poesia – Finalista do Prêmio Oceanos 2022) – Ana Martins Marques
  • 30/07 – 17h – Tudo é Rio (Romance – Finalista do Prêmio Faz Diferença 2022) – Carla Madeira
  • 20/08 – 17h – Amora (Contos – Prêmio Jabuti de 2016) – Natália Borges Polesso
  • 10/09 – 17h – Como se estivéssemos em palimpsesto de putas (Romance – Prêmio APCA de Literatura 2017) – Elvira Vigna
  • 01/10 – 17h – Redemoinho em dia quente (Contos – Prêmio Biblioteca Nacional de 2022) – Jarride Arraes
  • 22/10 – 17h – Enterre Seus Mortos (Romance – Prêmio São Paulo de Literatura de 2019) – Ana Paula Maia
  • 05/11 – 17h – Um útero é do tamanho de um punho (Poesia – Finalista Prêmio Portugal Telecom 2013 e Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte de 2012) – Angélica Freitas

Entende-se assim que, pela escolha de um espectro de formas de expressão que fogem aos limites normativos e canônicos da literatura, muitos dos conflitos e questões sociais que envolvem as condições da mulher em nossa sociedade podem manifestar-se em toda a sua emergência e força. Mas, não somente isso, elas trazem também uma perspectivação a partir de existências periféricas ou marginalizadas. 

A pluralidade de vozes que compõe esse tecido de narrativas e de expressões estéticas, muitas vezes invisibilizadas, é parte fundamental da partilha do sensível da sociedade, onde confrontar-se com qualquer regime heteronômico é crucial para a formação do próprio sujeito e para sua emancipação.

Nisso, a literatura tem um papel fundamental. Por isso, serão oferecidas também uma oficina complementar de escrita literária como contrapartida. Os participantes serão assim chamados, não só à leitura da obras, mas a buscar desenvolver formas próprias de expressão de si mesmos.

As discussões serão todas gratuitas e abertas ao público, e serão mediadas por acadêmicos de literatura e filosofia. Serão reservados cinco livros de cada obra para pessoas que queiram participar das discussões, mas que possam ter dificuldades na sua aquisição.

O projeto concentra-se em autoras contemporâneas que tenham contribuído de alguma maneira com a investigação das identidades sociais, seja por meio de personagens, seja por questões temáticas. O contato com realidades diferentes potencializa nossa compreensão de mundo e contribui com nossa capacidade de identificação, sobretudo das mazelas e das múltiplas violências que circundam nossa sociedade.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -