- Publicidade -
- Publicidade -
15.7 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Escritor Enéas Athanázio, de Balneário Camboriú, lança o quarto volume da série Livro sobre Livros 

São contos inéditos e artigos de autores brasileiros e estrangeiros

Por Guilherme Queiroz de Macedo

Recebi com muita satisfação e surpresa, o mais recente livro de autoria de Enéas Athanázio. O livro foi lançado neste mês de abril de 2023, com o título de “Livro sobre Livros” – Volume 4 – Contos e Artigos (Balneário Camboriú: Minarete, 2023, 190 p), contendo 6 contos inéditos em livro e 32 artigos dos autores brasileiros Humberto de Campos (3 artigos), Gilberto Amado (4 artigos) e Guimarães Rosa (7 artigos) e dos autores estrangeiros Vargas Vila (2 artigos), Stefan Zweig (2 artigos) e Georges Simenon (14 artigos). 

Mais uma vez, Enéas Athanázio, autor de 76 obras (61 livros e 15 opúsculos) nos surpreende com o lançamento de mais um livro, no qual nos revela as suas escolhas em contos e artigos muito bem selecionados, para o deleite dos leitores.

- Publicidade -

Aproveitei as horas vagas para ler o livro, sobre os quais relato as minhas impressões e comentários de leitura a seguir. 

A leitura da obra foi realmente uma grata surpresa, e o seu lançamento que pode ser considerado como um marco comemorativo dos cinquenta anos de trajetórias e percursos literários do autor catarinense, cuja obra de estréia – a coletânea de contos “O Peão Negro”, foi lançada em março de 1973, na mesma época do transcurso do aniversário de Athanázio, em 28 de março.

O livro, de autoria de Enéas Athanázio, com mais uma sugestiva e evocativa capa de Jean Pierre Valim, em fundo azul (as capas dos volumes 1, 2 e 3 da série foram publicadas com as cores, respectivamente, marrom, verde e vermelho), o lançamento marca também o aniversário de 30 anos de criação da Editora Minarete, confirmando mais uma vez a dinamicidade e a proficuidade do articulismo cultural e literário de Enéas Athanázio, que assina colunas literárias no Jornal Página 3, na Revista Rio Total Coojornal e na Revista Blumenau em Cadernos, dentre outros Suplementos Literários e Culturais espalhados por todos os Estados e regiões do Brasil.

A obra contém 32 artigos que retratam e abordam as diversas facetas e aspectos inéditos de obras literárias de autores nacionais –Humberto de Campos e Gilberto Amado – pouco conhecidos da maioria do público brasileiro e Guimarães Rosa – este mais conhecido dos leitores brasileiros, em suas múltiplas e variadas abordagens. 

O quarto volume da série enfoca, mais uma vez, de forma diversa, a diversidade e a pluralidade das facetas do fazer literário, ressaltando e resgatando de forma bastante oportuna, a importância da circulação do livro entre os leitores, através da publicação de resenhas críticas, ensaios e artigos.

O próprio autor inseriu, novamente, no prólogo da obra, a famosa citação do dramaturgo, romancista e contista britânico Somerset Maughan, afirmando que: “Somerset Maugham, leitor aficcionado, nunca ficava sem ler. Na falta de outra coisa, se entregava até à leitura de livros sobre livros, segundo ele os mais inúteis que existem. Pensando bem, ainda que essa leitura possa ter algum encanto, de que serve ler livros que falam de outros livros? Não seria mais lógico ler os próprios? Para mim, embora reconhecendo que sou dos poucos, essa leitura tem bons atrativos e não me canso de ler coletâneas de ensaios literários que nunca deixam de fazer surpreendentes revelações. 

É por isso que convido o leitor para me acompanhar nas páginas desse volume” (p. 5). A leitura de livros que falam de outros livros não é algo inútil, sendo de grande valia, na medida em que incentiva e contribui para despertar o interesse dos leitores, na leitura das obras analisadas, bem como a conhecerem e a pesquisarem mais sobre os autores enfocados, contribuindo para uma maior divulgação e circulação das obras literárias.

- Publicidade -

A primeira parte da obra traz seis contos do autor, inéditos em livro, intitulados: A honra da família, Incidente natalino, O Cavalo do buraco, O exterminador, Taquara verde e Compensação, nos quais o autor nos brinda com maestria no gênero literário que o consagrou – o conto.

Na segunda e terceira parte da obra, Athanázio proporciona aos leitores um maior conhecimento das obras do escritor maranhense Humberto de Campos em três artigos, intitulados “O Conselheiro XX” e do escritor e diplomata sergipano Gilberto Amado, abordado em quatro artigos (O brasileiro Gilberto Amado, Gilberto Amado – memorialista, Gilberto Amado e Gilberto Amado, ainda), uma vez que ambos merecem serem resgatados do esquecimento a que estão relegados atualmente, o que tornam oportuna e pertinente as escolhas dos dois autores por Enéas para integrarem o livro.

Na quarta parte da obra, Enéas nos revela as suas leituras da obra do escritor mineiro João de Guimarães Rosa, autor de um das obras clássicas da literatura brasileira – Grande Sertão Veredas – em sete artigos, intitulados “O Sertão de Riobaldo” e “Viventes do Sertão”, que nos revelam as figuras (viventes) e lugares (o sertão), presentes em suas obra, sendo uma excelente oportunidade para os leitores de Rosa ampliarem seus conhecimentos e para que os novos leitores possam adquirir um conhecimento inicial da obra roseana.

Na quinta e sexta parte da obra, Enéas aborda dois autores estrangeiros – o colombiano Vargas Vila, pouco conhecido entre os leitores brasileiros e o escritor austríaco Stefan Zweig, um pouco mais conhecido do público brasileiro, por ter vivido no Brasil, onde publicou os livros Brasil País do Futuro e O mundo que eu vi e cuja morte trágica foi tema das biografias de Alberto Dines (Morte no Paríso) e de Donald Prater, bem como do filme Lost Zweig, dirigido por Sylvio Back.

A sétima e última parte da obra constitui, juntamente com a parte inicial, em seus pontos culminantes, para o qual Athanázio reservou um destaque especial (p. 135 a 190), nos brindando com quatorze artigos sobre as obras do escritor belga Georges Simenon, um dos mais famosos autores do gênero da literatura policial, destacando o seu célebre personagem – o Comissário Jules Maigret. 

Os 14 artigos, intitulados: A derrota de Maigret, A vida imita a arte, As águas de Simenon, Caso simples, na aparência, Estranhos no sótão, O furioso da Rue Popincourt, O método de não ter método, O morador da Avenue Marigny, Os escrúpulos de Maigret, Sapatos amarelos, Simenon, novos títulos, Tão popular e tão bom, Um ladrão preguiçoso e Maigret, nos revelam as diversas aventuras de Maigret narradas com maestria por Simenon, um dos autores mais lidos e traduzidos no mundo, cujas obras no Brasil foram publicadas recentemente em 64 livros de bolso da LP & M Editores, que ainda publicou as coletâneas de contos, totalizando 70 obras e em livros pela Companhia das Letras, em um total de 18 títulos.

O lançamento do quarto volume da série “Livro sobre Livros”, de Enéas Athanázio é sobremaneira importante e oportuna, pois mostra a importância das resenhas literárias e ensaios críticos para a circulação do livro e a formação e ampliação do público leitor. 

Os seis contos e 32 artigos integrantes da coletânea são verdadeiras lições em torno do fazer literário em suas mais variadas facetas e dimensões. Alguns dos contos e artigos enfeixados no volume já haviam sido publicados em outros livros e colunas do autor anteriormente, sobretudo nas colunas Literatura do Jornal Página 3, de Balneário Camboriú – SC, onde o autor reside há mais de 30 anos e na Revista Rio Total.

A obra Livro sobre Livros – Contos e Artigos – Volume 4 nos revela uma pequena, mas significativa amostragem dos percursos e a trajetórias literárias de de Enéas Athanázio, nos últimos 50 anos, durante os quais publicou de 76 obras – 61 livros e 15 opúsculos.

Guilherme Queiroz de Macedo é licenciado em História e Pedagogia – UFMG


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -