- Publicidade -
28.8 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Espetáculo ‘Cor de Quê’ que fala sobre racismo e diferenças estreia neste sábado

‘Cor de quê’ estreia neste sábado (18), na Casa da Cultura Dide Brandão, em Itajaí, em sessões com ingressos gratuitos (serão disponibilizados 40 por sessão) às 15h e às 17h. 

O objetivo é discutir de forma leve e divertida, temas como raça, racismo e as diferenças entre as crianças a partir de montagem de espetáculo teatral infantil de narrativa de histórias. 

Dirigido por Rodolfo Lemos e encenado por Ana Luiza Marcolina e Mariana Feitosa, ‘Cor de quê’ é um projeto aprovado na Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Itajaí, com patrocínio da Fundação Cultural de Itajaí e Prefeitura de Itajaí, e renúncia fiscal da Unimed Litoral. Com apoio da Vila Sete Zero Cinco – Casa de Arte.

O projeto contempla uma temporada de estreia de duas apresentações, no dia 18 de dezembro, com entrada gratuita, seguidas de roda de conversa. Além de quatro apresentações seguidas de debate em escolas periféricas de Itajaí. 

A dramaturgia proposta no espetáculo é autoral, criada a partir de entrevistas com crianças negras e outros clássicos da literatura. 

Na pesquisa também entraram referências de grandes mulheres negras como Dandara e Carolina Maria de Jesus. 

- Publicidade -

As histórias, todas inéditas, são de autoria de Rodolfo Lemos.

Atriz do espetáculo, Mariana Feitosa, diz que a discussão racial na infância sempre foi uma questão de interesse para ela enquanto artista.

 “Quando escrevemos esse projeto, a ideia era irmos entender nas escolas do município as relações raciais e ouvir as histórias de crianças negras. Com a pandemia, esses encontros com as crianças acabaram acontecendo online. Deste convívio, foi possível perceber a necessidade do entendimento sobre ancestralidade, do reforço da luta e da injeção de autoestima necessárias nessa idade, esses foram caminhos que trouxemos para o espetáculo. Através das histórias trazemos personagens mulheres guerreiras, princesas, meninas reconhecendo a beleza da sua cor e tentamos trazer a reflexão de que cor de pele são todas as cores e que, por isso, vamos lutar até a igualdade”, finaliza.

‘Cor de quê’ partiu de questionamentos como ‘Sua cor tem cor de quê?’, ‘Seu lápis cor de pele tem cor de qual pele?’, ‘A cor faz alguma diferença?’, ‘Que em mim me faz diferente ou igual ao outro?’, ‘Como é a relação da infância com raça, diferenças?’, ‘Como é o processo de crianças negras nas escolas primárias em Itajaí e como raça é discutido nas instituições?’, ‘Como fazê-lo através da arte?’. 

- Publicidade -

Todas estas questões foram motivações para iniciar o projeto de pesquisa com crianças itajaienses e que culminou na montagem de um espetáculo de narrativa de histórias para a infância.

Sinopse

Sua cor tem cor de quê? Qual a cor de um lápis cor de pele?

De lugares e tempos distantes vêm as histórias de meninas fortes, mulheres guerreiras, povos em busca dos seus direitos e crianças tentando reconhecer seu brilho na pele cor de noite.

Nesse espetáculo de narrativa de histórias para a infância, as personagens são trazidas uma a uma para mostrar que o que há de diferente em cada um nos torna únicos, e que igualdade é um fim pelo qual vale a pena lutar.

Ficha técnica

  • Atuação: Ana Luiza Marcolina e Mariana Feitosa
  • Direção, iluminação e histórias: Rodolfo Lemos
  • Criação, dramaturgia e cenário: Ana Luiza Marcolina, Mariana Feitosa e Rodolfo Lemos
  • Figurinos: Leandro Cardoso
  • Identidade visual: Luiza Helena
  • Assessoria de imprensa: Camila Gonçalves

Serviço 

  • O quê: Cor de quê
  • Quando: 18 de dezembro de 2021 (sábado), sessões às 15h e 17h
  • Onde: Casa da Cultura Dide Brandão
  • Como: Serão disponibilizados 40 ingressos gratuitos por sessão

Classificação indicativa livre

Fonte: Prosa Cultural

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -