- Publicidade -
- Publicidade -
23.9 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Educação: 200 alunos da rede municipal de Balneário Camboriú estão fora da faixa escolar

50 deles foram inscritos no CEJA, para corrigir a distorção idade-série

A Secretaria de Educação de Balneário Camboriú iniciou uma força-tarefa para corrigir a distorção idade-série, no Ensino Fundamental da rede municipal, para incentivar que alunos que repetiram de ano mais de uma vez, ou por alguma outra dificuldade de ordem social, se inscrevam no Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA). 

Hoje, a prefeitura estima que cerca de 200 alunos da rede ficam fora da faixa etária escolar, o que lhes causa desconforto e, muitas vezes, constrangimento, pela diferença de idade com os demais colegas de classe.

O secretário de Educação, Marcelo Achutti disse que fizeram reuniões nos colégios para discutir o assunto diretamente com os pais dos alunos que vivem a distorção idade-série. 

- Publicidade -

Os encontros, que tiveram boa aceitação por parte dos responsáveis, ocorreram no Centro Educacional Municipal (CEM) Ariribá, e reuniu pais dos CEMs Presidente Médici, Professor Antônio Lúcio, Governador Ivo Silveira e do Ariribá, no CEM Jardim Iate Clube, que sediou o encontro dos pais dos alunos dos CEMs Tomaz Francisco Garcia, CEIC Ayrton Senna, e Iate Clube, no CEM Nova Esperança, unindo ainda Dona Lili e Alfredo Domingos, e no CEM Professor Armando Cesar Ghislandi, com os pais dos alunos dos CEMs Vereador Santa e do próprio Ghislandi. 

“Cerca de 50 alunos se matricularam e já estão começando a estudar. Vai beneficiar alunos que tenham a partir de 15 anos. Por lei, o aluno pode cursar a escola regular até os 17 anos, mas se ele vai para o CEJA, consegue adiantar os estudos e ir logo para o Ensino Médio. É uma força-tarefa que estamos fazendo, explicando os benefícios, e estamos tendo boa aceitação”, diz.

Achutti afirmou que estão ‘bem confiantes’ com o andamento das reuniões, e que o ensino no CEJA é presencial e semipresencial, para que os adolescentes que trabalham também possam estudar. 

“O intuito é incentivar que estudem e que consigam antecipar, já que muitos talvez até abandonariam a escola por conta da distorção idade-série, que prejudica o desempenho escolar”, acrescenta.

Uma das dificuldades enfrentadas era que o adolescente passa agora a estudar no CEJA, que fica na Rua 3.020, no Centro da cidade, e não mais na escola perto da sua residência. Pensando nisso, a Secretaria de Educação disponibilizou transporte escolar para esses alunos.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -