- Publicidade -
33.5 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Estudantes do IFC Camboriú conquistam o segundo lugar em Hackathon internacional

Com o projeto “e-Libras”, os alunos Lucas Borges, Charles da Luz, Roger Benevenutti, do curso de Tecnologia em Sistemas para Internet, e João Salomão, do Bacharelado em Sistemas de Informação, orientados pelo professor André Fabiano de Moraes, conquistaram o segundo lugar no evento internacional II Hack4Edu. 

Organizado pela Pro Futuro e Universidade de Salamanca (Espanha), com a colaboração da Rede de Cátedras Telefónica, a competição contou com 130 participantes, de 12 universidades, e seis países (Espanha, Argentina, Peru, Colômbia, Panamá e Brasil). 

O evento foi realizado em formato híbrido, na segunda quinzena de novembro, e reuniu estudantes universitários para construir projetos digitais com o intuito de melhorar a educação.

O júri internacional, composto por especialistas em tecnologia do meio acadêmico e empresarial, selecionou sete projetos premiados pela capacidade de resolver problemas reais, criatividade, inovação das soluções e grau de qualidade dos projetos apresentados.

O projeto e-Libras 

Com o projeto “e-Libras”, a equipe do IFC Camboriú recebeu a premiação de 700 euros e o segundo lugar na categoria “Sênior – Innovadora”.

De acordo com o professor Rafael de Moura Speroni, o projeto e-Libras partiu da ideia da continuidade de um trabalho do Projeto Integrador do curso, que tem por objetivo a criação de uma plataforma para disponibilização e busca de conteúdos em Libras para auxiliar no processo de aprendizagem de estudantes surdos. 

“A proposta prevê a criação de um repositório de materiais em texto ou vídeos, com suas interpretações em Libras, bem como faz uso da ferramenta governamental V-Libras, para auxiliar no processo de tradução de conteúdos”, destacou o docente.

- Publicidade -

A segunda edição do Hack4Edu contou com 130 participantes de 12 universidades: a Universidade de Salamanca (USAL), a Universidade de Valladolid (UVA), a Universidade de Deusto, a Universidade Católica Salta (Argentina), a Universidade Continental do Peru, a Pontificia Universidad Javeriana (Colômbia), a Universidade de Manizales (Colômbia), a Universidade do Distrito Francisco José de Caldas (Colômbia), a Universidade San Martín de Porres (Peru), o Tecnológico Universidade do Panamá e Instituto Federal Catarinense, do Brasil. 

Neste ano, os países envolvidos foram seis: Espanha, Argentina, Peru, Colômbia, Panamá e Brasil. 

Além disso, foram recebidos 33 desafios relacionados à educação digital, da América Latina e da Espanha.

- Publicidade -

Fonte: Cecom/IFC/Camboriú

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -