- Publicidade -
- Publicidade -
32.2 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Piso do magistério em Balneário Camboriú será discutido em audiência pública na Câmara Municipal 

“Não fiquei sabendo se a prefeitura vai enviar alguém para participar da audiência”, disse o secretário de educação, Marcelo Achutti

Está marcada para a próxima quinta-feira (18), às 19h, uma audiência pública para debater o piso nacional do magistério, que até hoje não está sendo pago pela prefeitura de Balneário Camboriú aos professores. A audiência será na Câmara de Vereadores e é aberta a todos.

O vereador Eduardo Zanatta, presidente da Comissão de Educação e Cultura, Saúde e Assistência Social, disse que a audiência será realizada a pedido da Associação de Professores de Balneário Camboriú. 

Ele e os dois vereadores que integram a comissão, Juliana Pavan e Arlindo Cruz, receberam membros da associação para discutir a situação do piso do magistério e viram a necessidade de fazer uma audiência. 

- Publicidade -

“O município está pagando R$ 841 a menos do piso do que dispõe a legislação nacional. O problema é que em janeiro o município fez um reajuste e profissionais da educação reinvindicaram o cumprimento do piso, que é lei, e não obtiveram sucesso. Queremos fazer o debate com pais, professores, alunos e governo municipal”, diz.

Zanatta pontua que os professores estão se sentindo desestimulados e que tem depoimento de professores mestres e doutores pensando em pedir exoneração, porque estão recebendo os 30% da regência em cima do P1 e não em cima da categoria que ocupam. 

“O professor qualificado se sente desvalorizado na rede municipal de ensino, a consequência é que não vamos conseguir estimular a classe a buscar especialização e o aluno irá perder a qualidade de ensino porque não vai valer a pena financeiramente para o professor especialista, mestre ou doutor continuar na rede municipal, sendo que, segundo uma pesquisa da Univali, mais de 70% dos profissionais na rede municipal de Balneário Camboriú possuem alguma especialização”, acrescenta.

Ele disse que esperam saber na audiência se o piso vai ser pago pela prefeitura ou não e ainda ouvir a comunidade — os professores estão se mobilizando para comparecer. 

“O secretário de Educação, Marcelo Achutti, foi convidado, assim como a Secretaria de Administração, Secretaria de Articulação e Procuradoria Geral. Mandamos convite há mais de um mês. O Sindicato dos Servidores Municipais de Balneário Camboriú (Sisembc) também foi convidado. 

A audiência é aberta e todos os atores que representam profissionais foram convidados. Tende a render uma boa discussão. Esperamos que a prefeitura envie um representante para participar”, comenta.

O que diz o secretário de Educação

- Publicidade -

Procurado pelo jornal para saber se irá comparecer na audiência pública, o secretário de Educação, Marcelo Achutti, questionou ‘como eu, como secretário de Educação, vou participar?’, lembrando que há uma comissão criada especialmente para discutir a questão do piso que vem se reunindo, formada pelo governo municipal e Sisembc – a Associação de Professores não participa. 

“Quem tem que estar presente não sou eu porque é relativo a números, finanças. O que eu vou falar do piso? Estamos falando do piso com o Sisembc, a discussão está avançando, vamos ter mais reuniões e inclusive a próxima deve ser com o prefeito Fabrício Oliveira. O Sisembc já sabe que para pagar o piso precisamos fazer alguns ajustes e estamos discutindo, com base em números. Não fiquei sabendo se a prefeitura vai enviar alguém para participar da audiência”, informou.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -