- Publicidade -
- Publicidade -
16.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

MDB anuncia independência partidária de olho na majoritária: Probst e Achutti são pré-candidatos

A diretoria executiva do MDB de Balneário Camboriú decidiu nesta segunda-feira (13) que o partido agora é independente – apesar de, na teoria, continuar no governo de Fabrício Oliveira. 

A decisão vem porque o partido tem dois candidatos à majoritária – Marcelo Achutti e Nilson Probst, e por isso não irão declarar apoio ao pré-candidato de Fabrício, Peeter Lee. 

Sem apoio do MDB a Peeter, há chance de Fabrício optar por ‘desembarcar’ os emedebistas de sua base e consequentemente seus cargos comissionados.

- Publicidade -

Independência vem pela majoritária

Probst disse ao Página 3 que definiram com relação à candidatura ao governo municipal pela homologação dos dois pré-candidatos do MDB de Balneário Camboriú – ele próprio e Marcelo Achutti. 

A definição do nome será conhecido na convenção, quando também será decidido se haverá composição com outro(s) partidos. 

“Não participaremos de nenhum tipo de reunião com o candidato do PL, estamos independentes, com os nossos pré-candidatos trabalhando de forma própria. Não estamos saindo do governo e sim reafirmando que temos candidatura própria na questão partidária. Se o prefeito falar que temos que apoiar pré-candidato do PL, aí colocaremos nossos cargos à disposição”, disse.

O vereador salientou ainda que sabem que o PL está fazendo reuniões com outros partidos, mas que o MDB não participará porque também possui pré-candidatos. 

“Temos encaminhamento próprio do partido, vamos formalizar isso ao prefeito, que defendemos a nossa candidatura e na convenção definiremos encaminhamento sobre quem virá ou se haverá composição”, afirmou.

Achutti levantou possibilidade de chapa pura

Marcelo Achutti afirmou que a decisão foi baseada no fato de que há ele e Probst como pré-candidatos e que os dois precisam ‘trabalhar’. 

Achutti destacou que ‘ninguém vai bater chapa’, que os dois são pré-candidatos e que vão apoiar o nome que for escolhido na convenção (ele apoia Probst ou vice-versa). 

“Pode até acontecer de sair os dois juntos, por que não? Como já aconteceu em Itajaí e até mesmo aqui, como o Piriquito [Edson Renato Dias] e Ademar [Schneider]. Lembrando que continuamos no governo, ninguém está saindo. Sou base governista e até o momento temos o acordo com o PL, e acredito que vai ser cumprido e iremos indicar o nome para a composição da majoritária, por isso digo que ainda sou da base”, comentou, salientando ainda que ficou inclusive sabendo de outros partidos que também têm desejo de estar na majoritária e atualmente são da base de Fabrício.


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -