- Publicidade -
- Publicidade -
25.6 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

‘Otimista’ em vencer no primeiro turno, Lula diz que irá dialogar com Centrão caso seja eleito

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira, 30, que está “muito otimista” de que a eleição presidencial irá se definir já neste domingo, dia 2. O candidato do PT ao Planalto disse já ter “pelo menos oito países” da União Europeia esperando a segunda-feira para começar a tratar de seu eventual próximo governo. Ele disse esperar por “quatro anos muito difíceis” pela frente, tanto pela situação do País quanto pelo receio de dificuldades na transição de governo. E também já se mostrou disposto a dialogar com o Centrão.

“O Centrão não é um partido político, é um conjunto de interesses”, declarou Lula, após fazer um pronunciamento de cerca de 30 minutos à imprensa em um hotel na zona sul do Rio. “Goste ou não goste, você precisa conversar com quem está lá no Congresso.”

Lula afirmou que as costuras políticas mudaram em relação ao passado. “Hoje você conversa com um presidente de partido e ele não manda mais nada”, avaliou. De acordo com o petista, a existência de várias legendas e as diferenças de pensamento dentro das próprias bancadas acaba obrigando que se tenha um diálogo maior com os parlamentares, ainda que “ninguém consegue governar forte sendo refém do Congresso”.

- Publicidade -

Líder em todas as pesquisas de intenção de voto, Lula se disse “muito otimista” com a possibilidade de vitória já no primeiro turno. Afirmou, no entanto, que espera uma transição muito difícil caso venha a ser eleito para seu terceiro mandato.

“Do ponto de vista político, é mais difícil que 2002”, comentou. Ele elogiou a postura de Fernando Henrique Cardoso e de sua equipe à época. “Não acho que a gente terá a mesma facilidade de transição com o Bolsonaro.”

Sobre planos para o seu eventual novo governo, Lula falou sobre reforçar os órgãos de proteção ao meio ambiente. “A gente vai recuperar todas as áreas indígenas e proibir garimpo ilegal e qualquer plantação de milho ou trigo em terras protegidas”, disse, citando a Amazônia.

Sem citar nomes, o candidato do PT declarou que há uma lista de oito países europeus prontos para tratar do País a partir da próxima semana. “Lá fora, é muita gente preocupada com o que pode acontecer com o Brasil”, afirmou. Depois, citou a importância de se ter uma boa relação na América Latina. “Você não pode ter um presidente afrontando a Argentina todos os dias. A Argentina é um dos nossos maiores parceiros comerciais. É uma burrice (afrontar)”

Debate

Lula conversou com a imprensa pouco mais de cinco horas após o término do debate na TV Globo. E ele começou seu pronunciamento criticando o horário em que o mesmo ocorreu. “É uma coisa inexplicável você levar um debate até 2h30 da manhã”, sustentou. “Achar que o povão que a gente quer falar está assistindo é uma enganação.”

Ainda nesta sexta-feira, o candidato do PT fará caminhadas com apoiadores em Salvador e Fortaleza. No sábado, dia 1º, ele fará um ato semelhante em São Paulo.

- Publicidade -

(Por Marcio Dolzan/AE)

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -