- Publicidade -
- Publicidade -
22 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Petistas de Balneário analisam vitória de Lula; manifestações e bloqueios de estradas acontecem em SC

A vitória de Luiz Inácio Lula da Silva não foi bem aceita por parte dos eleitores do atual presidente, Jair Bolsonaro, o primeiro em 25 anos a não conseguir se reeleger. Em Balneário Camboriú, petistas foram atingidos com bala de borracha pela Guarda Municipal da cidade, e em Itapema um casal foi atacado no carro onde comemoravam.

Fotos Gerson Felippi/Rádio Menina.

Estradas na região de Balneário também estão bloqueadas por bolsonaristas, assim como acontece em pelo menos 11 estados.

O único vereador do PT na região da Amfri é de Balneário, Eduardo Zanatta, e foi ouvido pelo Página 3, assim como a ex-vereadora pelo partido, Marisa Zanoni, também de Balneário. Acompanhe.

- Publicidade -

“Um sentimento”

(Arquivo Pessoal)

O vereador Eduardo Zanatta aponta que a vitória de Lula foi um ‘recado’ da população – ele foi eleito com 50,9% dos votos (60,3 milhões), contra 49,10% de Bolsonaro (58,2 milhões). Em Santa Catarina, Bolsonaro foi mais votado (69,27% contra 30,73% de Lula), com seu candidato ao governo do Estado, Jorginho Mello, sendo eleito com 70,69% dos votos.

“A urna é onde as pessoas depositam sentimentos que tem sobre o país – sobre educação, economia… a base da democracia é o voto. Foi a primeira vez que um presidente tentou reeleição e não foi reeleito. É fundamental entender que é um sentimento, e que ele foi derrotado na urna pela maioria do povo”, diz.

Zanatta disse que faz vários debates na Câmara de Balneário dentro desse assunto, como quanto às reclamações sociais, citando a situação dos moradores de rua, falta de medicamento na Farmácia Municipal, cortes na educação (que afetou diretamente o IFC – Camboriú).

“Todo esse sentimento foi para a urna e foi voto de mudança, de esperança, para que a gente não deixe jovens fora da universidade, que foquemos nos micro e pequenos empresários e não só nos grandes que tiram fotos com o atual presidente”, afirma.

“Inadmissível”

O vereador aproveita para citar que considera ‘inadmissível’ o que aconteceu em Itapema, onde um casal petista foi agredido, e em Balneário Camboriú, onde a Guarda Municipal teria chegado atirando para dispersar petistas que comemoravam em frente à sede do partido, na Quarta Avenida (três pessoas se feriram, mas passam bem).

“Foi uma ação desproporcional contra pessoas que foram vitoriosas e estavam celebrando o resultado da eleição. Vou protocolar um pedido de informação. Temos que ter convivência harmoniosa, não importa se você é centro, direita ou esquerda, partido A, B ou C. A política é um instrumento de mudança para a vida das pessoas, e isso falou mais alto ontem: a população não quer mais viver nesse clima de ódio, intolerância e violência”, destaca.

Zanatta opina sobre manifestações

Desde a noite de domingo (30), seguindo nesta segunda-feira (31) estão acontecendo diversas manifestações com o bloqueio de estradas, inclusive em Itajaí, na altura do posto Santa Rosa, na BR-101, dos dois lados da rodovia – que causam filas sentido Curitiba e sentido Florianópolis.

- Publicidade -

“A livre manifestação é permitida pela constituição, temos que respeitar manifestações dos coletivos, mas tem que ser respeitado o resultado da urna. É ilegal se manifestar contra isso. Imagina se fosse o contrário [Bolsonaro vitorioso e petistas trancando as rodovias], com certeza já teriam agido para desbloquear. O resultado é consagrado, é limpo e transparente. Os maiores países do mundo já reconheceram a vitória do Lula. É inquestionável. Se estiverem manifestando pedindo intervenção militar também é ilegal. A Polícia Rodoviária Federal precisa tentar resolver de maneira pacífica. Já tem trabalhadores sendo prejudicados porque não conseguiram ir trabalhar”, explica.

Zanatta foi parabenizado por vereadores

Mesmo sendo o único vereador petista na Câmara de Balneário, Zanatta foi parabenizado pelos demais colegas, inclusive pelos declaradamente bolsonaristas.

“Me coloquei à disposição como o único mandato do PT em toda a região da Amfri. Vou articular em prol de Balneário e região, quero ser ponte com Brasília para trazer o maior número de recursos que precisamos. Nós derrotamos o Bolsonaro, sendo que pela primeira vez esse presidente usou todo o poderio da máquina do estado brasileiro e fake news para tentar garantir eleição e ainda assim perdeu. Essa violência do bolsonarismo na sociedade infelizmente ainda vamos levar um tempo para conseguir pacificar, porque ele fez isso durante todo o governo, essa política de ódio e violência”, completa.

Marisa Zanoni também opina

(Arquivo Pessoal)

A ex-vereadora de Balneário pelo PT e que foi candidata à deputada estadual pelo partido neste ano, Marisa Zanoni, afirmou que é o momento de celebrar a democracia e a vontade da maioria do povo brasileiro.

“É uma felicidade muito grande, mais de 60 milhões de brasileiros votaram. Vamos voltar a ser felizes de novo! Lembrando que SC não é o país e sim uma parte dele. Tenho orgulho do lado em que estamos, com muitas dificuldades, sob ameaça o tempo inteiro, com trabalhadores sendo coagidos, e hoje celebramos que vamos sair do mapa da fome, respeitando a ciência, buscando pela justiça social. Vamos unir este país novamente, em torno de um propósito maior, crescendo com justiça social”, diz.

Marisa analisa que o bolsonarismo tentou de tudo, criando fake news, buscando tumultuar a eleição, e por isso afirma que esperava que ações como o bloqueio das rodovias acontecesse.

“É o perfil desses eleitores radicais e raivosos, que tinham um presidente que tinha como gesto a arma. Precisamos devolver a eles a morosidade porque é o que precisam, e que as forças competentes nesses casos de obstruções, agressão física, dano ao patrimônio, ajam. Tem que agir, fazer o que está previsto na legislação. Se fosse o contrário, já teriam intervindo. A cena da Zambelli mostra o que eles são, e é problema do atual presidente resolver isso”, completa.

Nota da GM

O Página 3 procurou o Comando da Guarda Municipal para comentar a situação de domingo, mas não teve retorno até o fechamento desta matéria.

O órgão enviou a seguinte nota sobre o ocorrido:

“A Guarda Municipal informa que foi acionada, via 153, para atender uma ocorrência de obstrução de via, ocasionado em virtude da comemoração do resultado da eleição presidencial.

Chegando, a Polícia Militar já estava no local. O grupo que obstruía a via não quis se retirar, entoando gritos ofensivos contra os homens da guarnição presente. Diante dos fatos. bombas de efeito moral, foram utilizadas para dispersar a aglomeração que obstruía a via irregularmente”.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -