- Publicidade -
- Publicidade -
21.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Osteopatia e Pilates, combinação que auxilia as dores que aumentam com a chegada do inverno

Especialista diz que a queixa mais comum no frio é de pacientes com dores crônicas

Dores crônicas nas articulações, principalmente joelhos, pescoço, mãos, aumentam com a chegada do inverno. Com o frio as pessoas contraem a musculatura, as dores pioram e o movimento nas clínicas de Pilates e Osteopatia aumenta.

Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED), quase quatro em cada dez brasileiros convivem com alguma dor crônica.

Para saber mais sobre a influência dos dias frios sobre as dores, a reportagem consultou o fisioterapeuta, especialista em osteopatia, Rodolfo Maciel.

- Publicidade -
(Foto Mari Lermen)

Profissional reconhecido pelo Conselho Federal de Fisioterapia (COFFITO), membro da Associação dos Osteopatas do Brasil (AOB) e da Associação de Fisioterapeutas do Brasil, sócio-proprietário da Clínica Mommento Pilates e Osteopatia, fundada há 13 anos, em Balneário Camboriú, Rodolfo explica porque a combinação de Osteopatia e Pilates faz ‘milagres’ no inverno. Acompanhe:

JP3 – Qual é a maior demanda na Mommento?

Rodolfo Maciel – Podemos dizer que a nossa maior demanda é na Osteopatia, justamente pela qualificação profissional e especialidade na área, trazendo ótimos resultados aos pacientes que passam por aqui.

O que acontece é que muitos desses pacientes precisam dar continuidade à prevenção ou manutenção de suas dores através de uma atividade física, e o Pilates é muito bem recomendado.

Dentro do nosso estúdio de Pilates, os pacientes têm a supervisão do Osteopata. Por isso, Pilates + Osteopatia é a combinação perfeita.

JP3 – Qual é o perfil mais comum na clínica? Pessoas idosas, sedentárias?

RM – Temos alunos no Pilates de 9 a 85 anos, desde os que fazem do Pilates sua única atividade física, como aqueles que são atletas e buscam o Pilates como um complemento, já que o método traz muitos benefícios, como mobilidade, flexibilidade, respiração e postura.

- Publicidade -

Já na Osteopatia, atendemos desde recém nascidos até os mais idosos, respeitando sempre as características e necessidades de cada um. Hoje em dia a Osteopatia está bem difundida, com muitos estudos científicos e resultados benéficos, tratando não somente dores específicas, mas abrangendo também disfunções em gestantes, bebês e idosos.

(Foto Mari Lermen)

JP3 – Qual é a relação da fisioterapia com o inverno?

RM – Pacientes relatam que, com o frio, ficam mais encolhidos, em más posições e posturas, maior tempo deitados, praticando hábitos inadequados como alimentação mais prática e rápida e menos saudável. Com isso, o corpo gera uma sensibilidade no organismo, causando maior tensão muscular, contração dos vasos sanguíneos e redução do aporte nutritivo e oxigenação do nosso corpo e, principalmente, nas regiões que mais necessitam de reparação tecidual, como lesões e/ou disfunções antigas.

Além disso, o frio nos faz beber menos água e praticarmos menos atividades físicas e, com isso, ocorre uma diminuição da lubrificação das articulações.

Sendo assim, as dores reaparecem e os pacientes, na intenção de tratá-las, buscam pelos nossos serviços, tanto o Pilates como a Osteopatia.

JP3 – É verdade que os atendimentos aumentam durante o inverno por causa de dores crônicas?

RM – Sim, durante o inverno, muitas dores crônicas e inflamações pretéritas vem à tona pelo motivo que citamos acima. A maioria dos pacientes que buscam nossos serviços nesta época do ano se dividem entre os que mantem a vida saudável para se proteger desses desconfortos e fazer uma prevenção de lesões praticando o método Pilates. E os pacientes que se tornam mais sedentários pelo frio e buscam nossos serviços de Osteopatia para tratar as dores que surgem.
JP3 – Qual a principal demanda no consultório de osteopatia no inverno?

RM – Nesta época do ano, a maior parte das queixas é acerca das dores crônicas. Pacientes que já vivenciam com dores durante anos, afirmam que elas se intensificam durante o inverno, por falta de lubrificação e circulação, o que tende a enrijecer as articulações e os músculos.

JP3 – É diferente do verão?

RM – Sim, na época mais quente do ano e quando ela se aproxima, nossa demanda aumenta nos atendimentos de Pilates. Geralmente são alunos que buscam uma atividade física por conta da estética corporal. E na Osteopatia, são pacientes que, por ser uma época mais festiva, saem da rotina e apresentam disfunções relacionadas ao metabolismo, gerando dores físicas agudas.

JP3 – Quando é necessário procurar o osteopata e quem pode (ou deve) fazer osteopatia? O tratamento pode ser preventivo?

RM – A Osteopatia não tem contraindicações, porém precisa ser bem avaliado para saber quais técnicas utilizar. Pacientes com osteoporose, por exemplo, não se faz técnica de “thrust”, famoso “estalo”. É de suma importância respeitar a individualidade e necessidade do paciente.

Apesar de muitos pacientes buscarem um atendimento osteopático para alívio das dores, a ida ao Osteopata não precisa ter uma necessidade específica, sendo inclusive preventiva em muitos casos. A consulta de osteopatia é uma questão de qualidade de vida e bem estar.

A osteopatia não trata somente dores estruturais, como ciática, lombar ou cervical, mas também trata muitos casos de cefaleias, vertigens, cólicas menstruais e intestinais, refluxos, alterações metabólicas, dentre tantas outras.

JP3 – A osteopatia pode curar a dor em uma sessão?

RM – A osteopatia trata a causa da dor e não somente os sintomas, visando restabelecer o equilíbrio corporal e promover a autocura pelo próprio corpo. Assim, em muitos casos, é possível sim proporcionar este reequilíbrio em apenas uma sessão.

(Foto Mari Lermen)

JP3 – A fisioterapia, tanto Pilates quanto Osteopatia, são indicados para relaxamento muscular e melhorar a postura ou é mais procurada para problemas específicos?

RM – Como a nossa fisioterapia é bem específica, dividida entre Pilates e Osteopatia, em geral, os pacientes que procuram pela Osteopatia já vem com alguma queixa de dor ou desconforto a ser tratado. Já no Pilates a busca é pela melhora da postura, flexibilidade, tônus muscular e fortalecimento geral.

JP3 – O Pilates tem restrições?

RM – O Pilates não tem restrições ou contra indicações, mas deve ser bem indicado e executado com profissionais capacitados, para que o efeito seja o esperado. Caso contrário, a atividade que seria para melhorar, pode acabar piorando o caso.

JP3 – Problemas emocionais também causam dor física?

RM – Com certeza! São as chamadas dores psicossomáticas, ou seja, quando o sofrimento psicológico, as angústias, depressão e ansiedade, de alguma forma, se manifestam como dor ou doença física, causando dores, aparentemente, sem causa específica. Um grande exemplo, são as disfunções temporomandibulares, que em grande maioria dos casos são provenientes de bruxismos/tensão mandibular.

Nestes casos é preciso muita sensibilidade e percepção para entender e poder ajudar o paciente, sendo a Osteopatia um alívio dos sintomas.

JP3 – Espaço aberto….

RM – Existe uma frase do Joseph Pilates que gosto muito que diz que “Hábitos incorretos são responsáveis pela maioria de nossas doenças, se não, por todas elas”.

Se pararmos para pensar, tudo o que sentimos, seja para o bem ou para o mal, é criado dentro de nós mesmos e, da mesma forma, o corpo tem a capacidade para a autocura do que foi criado.

Este é o foco da Osteopatia, ou seja, manter o equilíbrio do corpo para que ele possa promover a autocura.

Quanto ao Pilates, é o que sempre digo: Todos deveriam praticar! Apesar de alguns mitos, o Pilates é uma atividade completa que desenvolve um corpo forte e flexível.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -