- Publicidade -
- Publicidade -
12.8 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Atleta paralímpico busca apoio para aquisição de nova cadeira de corrida

Fábio Luiz Vacari, atleta paralímpico de Balneário Camboriú, de 31 anos, tem uma jornada de superação que inspira. Desde os três anos, quando foi diagnosticado com câncer na medula, que resultou em paraplegia, ele tem enfrentado desafios com coragem e determinação.

Sua história no esporte começou aos 12 anos, quando se aventurou no basquete em cadeira de rodas, e logo se destacou também no atletismo, competindo em corridas de 100, 200 e 400 metros. 

Aos 15 anos, recebeu sua primeira convocação para representar o Brasil nos II Jogos Parapanamericanos Juvenis em Bogotá, Colômbia, onde conquistou duas medalhas de ouro e uma de prata. 

- Publicidade -
Fábio (de boné) no pódio paulista (Arquivo Pessoal)

Seu talento continuou a brilhar, levando-o a competir nos IWAS Junior World Games na República Tcheca, onde ficou em quarto lugar.

Por anos, Fábio se manteve entre os melhores atletas do Brasil em sua classe. No entanto, após uma pausa de 10 anos, em 2023, ele enfrentou outro desafio: o tratamento contra o alcoolismo. Com determinação e apoio médico especializado, ele iniciou seu processo de recuperação. Paralelamente, retomou seus treinos e competições ao ingressar no Instituto Catarinense de Esportes para Deficientes (ICED). 

“Eu entrei em contato com a Gevelyn [Almeida, técnica do ICED], uma amiga de longa data, e pedi para participar do Instituto, onde retornei aos treinamentos e competições. O esporte que eu tanto amo está sendo o melhor remédio contra ao álcool, já nesse mesmo ano [2023] acabei ficando em 3° lugar no ranking nacional. Agora em 2024, no dia 18 de abril, eu retornei para a primeira competição internacional. Em São Paulo, aconteceu o Open Internacional Paralímpico de Atletismo, onde conquistei duas medalhas de bronze nas provas de 100 e 400 metros. Me sentindo muito feliz e orgulhoso pelos meus resultados”, diz.

No entanto, Fábio precisa de suporte com o seu equipamento esportivo, sua cadeira de corrida, que o acompanha há mais de uma década e não se ajusta mais às suas necessidades. “Comecei uma rifa, com o prêmio sendo uma scooter elétrica, para arrecadar o valor de R$ 30.000,00 para aquisição de uma cadeira de corrida nova e rodas de carbono. Esse scooter foi adquirido com a ajuda do meu pai e do meu irmão. Esse ano estou muito confiante com as futuras competições”, completa.

Para adquirir os bilhetes da rifa (o bilhete custa R$ 30) e auxiliar Fábio, basta entrar no grupo no WhatsApp através deste link (clique aqui) ou PIX para [email protected].

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -