- Publicidade -
- Publicidade -
19.6 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Atletas de Balneário Camboriú disputam Pan americano no Chile já pensando nos Jogos Olímpicos de Paris

Douglas Hernandez Mendes e Anny Caroline de Bassi são ‘crias’ do Instituto de Atletismo Balneário Camboriú (IABC)

“Estou muito ansioso e confiante, sei do nível e da importância dessa competição e acredito que sairá bons resultados. É a competição mais importante do ano para mim, bem no final da temporada, então tenho em mente bem claro meu objetivo, a meta é rumo às Olimpíadas 2024”.

A declaração é do velocista Douglas Hernandez Mendes, 22 anos, momentos antes de embarcar para Santiago do Chile, onde representará o Brasil em duas provas: 4x400m misto (dia 30) e 4x400m masculino (dia 4/11).

Divulgação/IABC

Anny Caroline de Bassi, 26 anos, convocada para representar o time Brasil no revezamento 4x100m feminino, no próximo dia 2, passou uma semana treinando com a seleção em Bragança Paulista e retorna a Balneário Camboriú nesta quinta-feira (26). A velocista viaja para o Chile na próxima segunda-feira (30). 

- Publicidade -

Dupla de multicampeões

Os dois únicos convocados de Balneário Camboriú para os Jogos Pan americanos tem muitos fatores em comum: ambos iniciaram carreira e pertencem até hoje ao IABC/FMEBC, onde são treinados por Diogo Gamboa, que viu o potencial desde o início e investiu forte nos dois atletas; ambos são velocistas, Douglas (400m rasos) e Anny (100m e 200m), e conquistaram todos os pódios municipais, regionais, estaduais, alcançando destaque nacional e internacional em poucos anos.

Douglas começou a treinar em 2017 e aos 22 anos encerra o ano 2023 competindo nos Jogos Pan americanos e faltando só uma competição para conquistar: os Jogos Olímpicos 2024.

Anny é nativa de Balneário Camboriú, começou a praticar nas escolinhas em 2016 e tornou-se uma referência na modalidade. Além de todos os títulos estaduais e nacionais, tornou-se tricampeã brasileira universitária e conquistou prata nos Jogos Mundiais Universitários este ano, na China. Em meados do ano quando retornou da China, disse que tinha dois objetivos, ser convocada para os Jogos Pan americanos e para a Olimpíada de Paris.

IABC=Centro de formação

Divulgação/IABC

Assim como Douglas e Anny, o IABC que nasceu em 2012, forma em média 200 crianças na escolinha de atletismo por ano. Depois da iniciação esportiva, os atletas são encaminhados para equipe de rendimento, quando começam a competir.

Atualmente o acervo do Instituto tem mais de 300 medalhas estaduais, mais de 30 nacionais, mais de 10 internacionais, muitos nomes consagrados nas pistas brasileiras, mais de 40 atletas no programa Bolsa Atleta e, desde 2019, é reconhecido como Centro Nacional Loterias Caixa de Formação de Atletismo, Categoria Ouro.

No país todo tem 60 destes Centros de Formação e apenas 20 na Categoria Ouro.

Apesar de todas estas conquistas, mérito da equipe técnica de profissionais, formada por Diogo Gamboa, Daiana Gamboa, Diego da Silva e Maurício de Paula, o IABC precisa de apoio e suporte financeiro para manter o projeto e ampliar sua atuação com investimentos públicos ou privados. 

- Publicidade -

Através da Lei de Incentivo ao Esporte o IABC pode receber verbas, através de isenção fiscal. A lei permite que empresas e pessoas físicas invistam parte do que pagariam de IR em projetos esportivos, aprovados pela Secretaria do Esporte do Ministério da Cidadania. Também é possível apoiar o IABC através de doações ou cotas de patrocinadores.

Interessados podem contatar (47) 999029746 – @iabc.atletismo

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -