- Publicidade -
18.7 C
Balneário Camboriú

Campanha rendeu uma cadeira de rodas e uma handbike para o paratleta Arthur Caiê, de Balneário Camboriú

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

O paratleta Arthur Caiê Teixeira, 13 anos, recebeu seu presente de Natal antecipado, no sábado (12): a cadeira de rodas nova comprada com doações de campanha (Vakinha) e mais uma surpresa, uma handbike (bicicleta adaptada), que foi possível adquirir com o montante da arrecadação.

No sábado, uma equipe da Fundação Municipal de Esportes (FMEBC), liderada pela técnica de Arthur, Gévelyn Almeida e acompanhada por guardas municipais levaram os dois equipamentos até a casa de Arthur.

A equipe que o surpreendeu no sábado

“Fiquei feliz e surpreso, mas um pouco desconfiado… mas quando veio aquele pessoal todo, fiquei aliviado, porque esta cadeira eu precisava há muito tempo. Quando vi a cadeira chegando com todas aquelas pessoas e mais uma handbike, que há algumas semanas eu nem conhecia, mas quando a conheci queria muito ter uma, quando vi que tudo aquilo era real, fiquei muito, muito feliz e grato a estas pessoas que doaram um pedacinho do seu sábado para fazer esta surpresa e a todos pela mobilização da campanha, que permitiu comprar as duas cadeiras”, disse Arthur ao Página3.

Arthur tem Artrogripose, uma deficiência física nos membros inferiores e se locomove em cadeira de rodas. A cadeira que tinha estava velha, pequena para ele e cheia de problemas e o menino queria praticar uma atividade esportiva.

- Publicidade -

A mãe de Arthur, Thais Cristina da Silva Teixeira, que não pode trabalhar, porque além de Arthur tem outra filha, de 17 anos, com deficiência intelectual severa, inscreveu o menino no Instituto Catarinense de Esportes para Deficientes (ICED). Ele iniciou os treinamentos mas quando a pandemia chegou, ele não pôde mais se deslocar para praticar esportes.

Arthur continuou se preparando em casa, recebia orientações da professora Gévelyn de forma remota e no mês passado estreou nos Jogos Paradesportivos da APESBLU, com três medalhas de ouro nas provas de 100m, 200m e 400m.

Arthur foi um dos 14 atletas do ICED na competição e ali conheceu a corrida com handbike, através de Antonio Carlos Sanches (Toninho), um multicampeão no paraciclismo local, estadual e nacional.

Independência

- Publicidade -

Thais disse que os dois equipamentos mudarão a vida do menino.

“Com o uso da cadeira nova, o Arthur está conseguindo ter uma qualidade de vida bem melhor, ele vai à padaria,foi à pastelaria, ele está com autonomia, independência, e isso não tem preço. Sobre a handbike, ela foi pensada como mais uma atividade, porque ele gosta de corrida e o Antonio foi muito importante, porque buscou a handbike comigo, levou para casa, pintou ela, deu uma melhorada, deixou ela com aparência de nova. Quero agradecer a todos que tornaram tudo isso possível”, disse a mãe.

Thais faz questão de ‘prestar contas’ dos valores arrecadados:

  • 4310,00 = vakinha do Arthur
  • 2816,00 = doação anônima. O doador pagou direto para o fabricante da cadeira.
  • 808,00 = vakinha do Ezequiel da Luz Geraldo

Somando esses valores = 7934,00.

Menos 6500,00 da cadeira = 1.434,00.

Handbike usada ficou por 1.070,00 + 120,00 = 1.190,00.

Uma sobra de 244,00 custeou um agasalho personalizado do ICED (cada atleta comprou o seu) e capacete e luva para uso da handbike.

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -