- Publicidade -
- Publicidade -
19.3 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Douglas Hernandes Mendes é o primeiro atleta olímpico de Balneário Camboriú

“Ele é como uma estrela cadente, é difícil acontecer isso duas vezes”, disse o técnico que formou o atleta, Diogo Gamboa

Douglas Hernandes Mendes, 23 anos, velocista do Instituto Atletismo Balneário Camboriú (IABC), com apoio da Fundação Municipal de Esportes (FMEBC), é o primeiro atleta de Balneário Camboriú convocado para disputar uma Olimpíada. 

Esta semana Douglas, que recebeu a convocação da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), na sexta-feira (28), para disputar a prova de revezamento 4x400m masculino, disse ao Página 3 que ‘a ficha ainda não caiu’, porque disputar uma Olimpíada é o sonho de todo atleta e ele vem lutando por este sonho há alguns anos.

Paulista do interior, Douglas bateu no portão do Estádio das Nações em 2017, com 16 anos, para treinar atletismo por Balneário Camboriú.

- Publicidade -
Douglas e o ‘mestre’ de sua carreira, Diogo Gamboa (Foto Wagner Carmo/CBAt)

O técnico Diogo Gamboa não estava no estádio naquele momento, mas lembra até hoje do começo desta história.

“Foi bem engraçada essa história, porque ele chegou num horário em que eu não estava na pista. E a Daia (treinadora e esposa de Diogo) me ligou na hora, dizendo que apareceu um atleta muito forte e rápido e que eu iria ficar ‘de cara’…E realmente quando eu vi ele na pista, fiquei impressionado”, disse Diogo.

Dali em diante Douglas traçou seu caminho, sempre acompanhado do técnico Diogo, que se transformou em uma carreira meteórica, com menos de um ano de treinamentos, já estava figurando entre os destaques estaduais e nacionais. Sua especialidade: 400m rasos.

“O Douglas é uma jóia rara que apareceu aqui em 2017 já como medalhista da Olesc e começou a treinar conosco. Em 2018 já foi campeão brasileiro, foi para os Jogos Olímpicos da Juventude e desde então vem buscando medalhas, convocações, pódios, recordes além do âmbito estadual. Tornou-se recordista sul-americano do revezamento 4x400m masculino e também o misto. É uma imensa felicidade. Ele é como uma estrela cadente, é difícil acontecer isso duas vezes”, descreveu o técnico cheio de orgulho.

Ele acrescenta que além do talento natural, Douglas tem muita vontade de vencer e não se assusta com nada, independente do adversário. 

“Como treinador, você precisa mostrar o caminho para o atleta e acreditar que ele pode estar entre os melhores do mundo e hoje ele está”, disse.

(Foto Wagner Carmo/CBAt)

Nesta semana, entre treinamentos e a correria de últimos preparativos, Douglas encontrou um tempo para responder sobre esse momento tão esperado em sua vida e que demorou apenas sete anos para acontecer. Acompanhe:

- Publicidade -

JP3 – Primeira convocação olímpica: como descreve essa sensação? 

Douglas – A ficha ainda não caiu, parece que é tudo um sonho, porque esse é o sonho de qualquer atleta, acredito que assim que estiver indo para a Olimpíada, a ficha vai cair e vou começar a sentir toda a emoção dessa grande competição. 

JP3- Disputar uma Olimpíada é o sonho maior de todo o atleta. Quando você achou que estava pronto para alcançar esse sonho?

Douglas – Tivemos alguns contratempos nesse início de ano, desde então viemos trabalhando duro para conquistar essa vaga, acreditando que seria possível, essa vaga era meu principal objetivo esse ano, então estava trabalhando e acreditando nisso. 

JP3 – Além de receber a primeira convocação olímpica, você é o primeiro atleta de Balneário Camboriú convocado para uma Olimpíada. Mais um recorde em sua carreira! 

Douglas – Para mim é muito gratificante ser o primeiro atleta de Balneário Camboriú a estar nas Olimpíadas, trazendo o título para a cidade. 

JP3 – A 20 dias da maior competição do planeta, como é a preparação, treinos, alimentação, ansiedade, expectativa, como é trabalhar esse conjunto todo? 

Douglas – O foco continua o mesmo, estamos seguindo com o trabalho da melhor forma, cuidando da alimentação, e ajustando todos os detalhes para chegar da melhor forma.

JP3 – Naquele dia em que você foi ao Estádio das Nações e disse que tinha vontade de treinar atletismo, imaginou que em tão pouco tempo, seria um atleta olímpico? 

Douglas – No dia que iniciei no Estádio das Nações, cheguei querendo praticar o atletismo apenas por diversão, mas nunca imaginei que poucos anos depois iria me tornar um atleta de alto rendimento, com títulos tão expressivos. 

JP3 – Quais foram tuas conquistas mais importantes até aqui? 

Douglas – Todas têm uma grande importância em minha carreira, sendo como experiência ou com títulos, elas fazem parte da minha história. 

JP3 – Quais foram teus melhores tempos até hoje? 

Douglas – Meu dois melhores tempos foram 45’56 conquistado ano passado na Bolívia, estabelecendo um novo recorde da competição, e o outro desse ano com a marca de 45’32 aonde consegui a vaga olímpica, e o segundo lugar da prova no Troféu Brasil de Atletismo. 

JP3 – Qual a importância do técnico Diogo Gamboa em tua carreira? 

Douglas – O Diogo esteve comigo desde o início, criamos um vínculos dentro e fora das pistas, ele sempre me ajudou muito em todos os aspectos, ele tem total importância em todos os meus feitos, pois foi seguindo e confiando no trabalho dele que chegamos até aqui juntos.


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -