- Publicidade -
- Publicidade -
25 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Figue Diel, surfista de Balneário Camboriú, conquistou o bicampeonato mundial de parasurf

O surfista de Balneário Camboriú, Elias Ricardo Diel, mais conhecido como Figue Diel, se manteve na primeira colocação em todas as baterias da categoria e levou o ouro no último sábado (10), durante o ISA World Parasurfing Championship, que aconteceu na praia Pismo Beach, na Califórnia (EUA).

(Foto ISA/Jersson Barboza)

Esta é a competição internacional mais importante do surf adaptado. Figue se manteve em primeiro lugar nas baterias classificatórias e conquistou o lugar mais alto no pódio. 

O atleta de Balneário Camboriú venceu a final que disputou com Thomas Da Silva (França), Kirk Watson (Austrália) e Ben Neumann (Alemanha). 

- Publicidade -

Figue fechou a bateria com 13.04 pontos, na frente do francês (11.50 pontos). O australiano somou 10.16 pontos, já o alemão fez 5.24 pontos.

O surfista compete na categoria Deficientes Visuais Totais (VI-1) devido à cegueira causada por um acidente de carro que sofreu, aos 16 anos. 

O ISA World Parasurfing Championship é um campeonato que reúne atletas de alto nível do mundo todo, realizado pela Associação Internacional de Surf (ISA), em parceria com a Associação de Surfistas Adaptados dos Estados Unidos (AmpSurf). 

Para Figue, o resultado é uma soma de vários fatores individuais e coletivos. 

“Existe o desempenho individual, pois treinamos diariamente para manter um bom rendimento na água. Existe, ainda, uma ordem perfeita em cada detalhe e essa noção vai além dos resultados dentro da água. Nós cumprimos com o objetivo que é surfar da melhor maneira e recebemos o fruto, que dessa vez foi a alegria de conquistar novamente o primeiro lugar na minha categoria”, disse.

É nas ondas tubulares da Praia Brava, em Itajaí, e nas ‘valas’ de Balneário que Figue encontra diariamente os amigos na água. 

Nos campeonatos, quem veste a lycra da mesma cor do campeão é o surfista Bruno Barbieri, o guia das ondas. 

- Publicidade -

Nesse ano, a dupla conquistou o primeiro lugar no Campeonato Brasileiro de Surf Adaptado, em Recife (PE), e levou ouro no Hawaii Adaptive Surfing Championshiops, no Havaí (EUA).

(Foto ISA/Jersson Barboza)

O bicampeão mundial

A história do surfista cego da Praia Brava é de superação. Figue enxergava as ondas antes de um acidente de carro. Não só perdeu a visão como o interesse pela vida ainda na adolescência. 

Depois de um período em depressão, Figue encontrou nos esportes um novo caminho para a vida. 

É bicampeão mundial de surf, faixa preta em jiu-jitsu, escalador de montanhas, professor de yoga e pai da Joana e da Maria Laura. 

A participação de Figue e a conquista dos títulos mundiais é possível por meio do patrocínio de grandes marcas da região comprometidas com o incentivo ao esporte: Portonave, Santacosta, Lora Surfboards, Oceanic Aquarium, Rockfeller Balneário Camboriú, Truzz e Ashvatta Yoga.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -