- Publicidade -
- Publicidade -
20 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Livro ‘O Praiano’, de Bola Teixeira, que conta a história do futebol de areia de Balneário Camboriú, será lançado nesta segunda-feira

Os primeiros 25 anos do campeonato oficial, que começou quando a cidade tinha dois anos apenas

O jornalista e historiador Nildo Teixeira (Bola) pesquisou durante alguns anos a origem do futebol de areia em Balneário Camboriú e escreveu sobre os primeiros 25 anos dos campeonatos, que acontecem até hoje na Praia Central. 

O livro ‘O Praiano’ será lançado na segunda-feira (18), na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú, durante Sessão Solene, em homenagem ao campeonato de futebol de areia, patrimônio cultural imaterial da cidade, proposição do vereador Alessandro Kuehne. 

Na solenidade 15 personagens serão homenageados, além da Fundação Municipal de Esportes, que realiza os campeonatos. 

- Publicidade -

Bola definiu o livro como ‘um registro histórico’, porque quando começou nos anos 40/50, era Praia de Camboriú. A primeira edição do campeonato oficial foi no verão de 1966, quando Balneário Camboriú tinha dois anos de emancipação política.

“O que me motivou foi o aspecto social dele, é um livro para memorizar uma época áurea da praia. Ele é bem bacana, tem ritmo de almanaque, textos de apoio e muitas fotos”, adiantou o autor.

Bola tem mais motivos para escrever sobre o tema, porque foi integrante dessa história na prática, a exemplo do seu pai, o craque Teixeirinha (in memoriam).

“Meu primeiro ano jogando em 1979, quando fui campeão pelo Tubarões”. Bola é o terceiro da esquerda para direita agachado. (Reprodução)

“Meu pai foi um dos pioneiros na segunda metade da década de 40. Eu comecei a jogar em 79, não recordo até quando joguei os campeonatos, mas deve ter atravessado o século”, brincou.

A busca de informações para escrever a história do futebol de areia começou há alguns anos, quando o autor começou a pesquisar os livros da história de Balneário Camboriú (ele já publicou dois volumes sobre Balneário Camboriú – Formação Social, Econômica e Política).

O forte time do Biguás de Itajaí comandado por Helinho Ramos, o terceiro agachado (Reprodução)

“Cada notícia relacionada a futebol de areia naquelas pesquisas, eu guardava numa pasta. Depois busquei entrevistar alguns dinossauros do futebol de areia, entre eles, Luiz Razzini, Ney Benthien, Ademar Silva, Tanaco Schlup, Vilson Vidigal, o médico Amilcar Ferreira, Lila Beduschi, procurador aposentado do Estado, Arninho Buerger até o Eduardo Pimpa Lins, filho do Genésio Miranda Lins, fui atrás dele, em Floripa”, contou.

Fotos do campeonato de 1975, publicadas no jornal O Estado, de Florianópolis (Reprodução)
(Reprodução)

Bola também pesquisou os jornais que circularam na época e que fizeram a cobertura do campeonato, periódicos de circulação estadual e regional, além de entrevistas com personagens que participaram dos jogos entre os times rivais das praias de Camboriú e Cabeçudas, líderes de times e alguns jogadores que foram destaque no período histórico compreendido entre 1966 e 1990. 

O time que todos queriam assistir, o multicampeão, Sereias, de Itajaí. (Reprodução)

Incentivo à Produção Literária

(Reprodução)

O livro foi aprovado no Prêmio Álvaro Antônio da Silva, edital de incentivo à produção literária, lançado em 2023 pela Fundação de Cultura de Balneário Camboriú. 

A presidente da Fundação Cultural, Denize Leite, disse que o edital de Literatura Álvaro Antonio da Silva oportunizou que sete escritores de Balneário Camboriú publicassem uma obra sobre a cidade, já que o objeto do edital tratava de publicações dedicadas aos temas da memória e do patrimônio histórico-cultural de Balneário Camboriú. 

“O resultado foi muito interessante. A obra do Nildo Teixeira (Bola), O Praiano, fala das origens do campeonato de futebol de areia, que acontece todos os anos, durante o verão. E fala dos primeiros 25 anos. É história pura. E ele recheou de ilustrações e fotos incríveis. O livro ficou bem bacana, e estamos muito orgulhosos”, afirmou Denize.

A diretora Lilian Martins disse que todos ficam muito felizes quando o Arquivo Histórico dá suporte à pesquisas como esta. 

“Temos um acervo incrível, aguardando pesquisadores sensíveis como o Bola – que é assíduo explorador do Arquivo, que relaciona fatos, dados e interesses especiais, para nos conectar com uma história pouco conhecida”, disse Lilian.

- Publicidade -

O Praiano tem o patrocínio da Fundação Cultural de Balneário Camboriú, Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú, Construtora H. Pio, Família de Álvaro Silva, Parque Unipraias e Fischer Group. 

Bola com Denize, Haydée e Lilian, na Fundação Cultural (Divulgação/FCBC)

Na segunda-feira (11), Bola apresentou o livro para a direção da Fundação Cultural, através da presidente Denize Leite, da diretora Lilian Martins e da servidora da Fundação,Haydée Assanti.

Serviço: 

  • Livro: O Praiano – as origens do futebol de areia em Balneário Camboriú e os primeiros 25 anos de campeonato. 
  • Autor: Nildo Teixeira 
  • Páginas: 112 
  • Tiragem: 500 exemplares 
  • Distribuição: gratuita 
  • Patrocínio: Fundação Cultural de Balneário Camboriú através do Prêmio Álvaro Antônio da Silva, Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú, Construtora H. Pio, Família de Álvaro Silva, Parque Unipraias e Fischer Group. 

Contato para entrevista e envio de fotografias: Nildo Teixeira (47) 99934-6993 (whats)

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -