- Publicidade -
- Publicidade -
16.7 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Mãe vende sopas para pagar despesas do filho nadador que vai a Copa Pacífico, no Equador 

Enzo Lessa Aoki, de 15 anos, nada desde 2019. A paixão pelo esporte se desenvolveu de forma rápida – em seis meses ele já participou dos primeiros campeonatos. Hoje, já representou o Brasil em competições internacionais, como a Copa Pacífico, que acontece anualmente em Salinas, no Equador. Quem o apoia é a mãe, Patrícia que, para conseguir dinheiro, vende sopas e doces.

Patrícia conta que por 12 anos teve restaurante. Ela é natural de Curitiba, e quando Enzo tinha oito anos se mudaram para Joinville, porque ele tinha problemas respiratórios. O que auxiliou muito foi justamente a natação. 

Com seis meses no esporte, ele foi para o primeiro campeonato, na academia, e se destacou.

Enzo com a mãe Patrícia (Divulgação/Arquivo Pessoal)

“O professor da época disse que ele tinha potencial e pediu que fizesse teste na pré-equipe de Joinville e já acabou selecionado para a equipe oficial”, relembra.

- Publicidade -

Um técnico do Instituto Nadar, que hoje tem parceria com o Instituto César Cielo, de Itajaí, viu Enzo no campeonato estadual e tentou convencê-lo a se mudar para Itajaí. Na época, ele tinha 11 anos, e os dois aceitaram o desafio. Por seis meses, faziam diariamente o trajeto entre Joinville e Itajaí para Enzo treinar, mas em um dia chuvoso, após sofrerem um susto na estrada, resolveram se mudar para Itajaí, já em outubro/2021. 

“Fechei meu restaurante em Joinville, abri um café na Brava que também acabei fechando e comecei a fazer bolos e brigadeiros na escola (Univali). Se não é futebol e grandes clubes, não têm apoio financeiro, mas nos primeiros seis meses em Itajaí, o Enzo foi campeão estadual de nado costas. íamos no suor mesmo, cada venda de doce era uma festa, cada encomenda que tinha… ele ajudava com os doces também, no pouco tempo que tem, vende também. E no inverno, por experiência do restaurante, vendo sopas”, explica.

As pessoas vêm abraçando a causa de Enzo e Patrícia, já fizeram rifa para ajudá-los (sem eles saberem) para que o atleta conseguisse ir em 2023 para a Copa Pacífico, no Equador. 

Enzo hoje nada na categoria águas abertas e em maio participou de três seletivas para o mundial, Copa Pacífico e Pan-Americano. Por quatro segundos ele ficou fora do Pan, mas ainda tem possibilidade de ser chamado se houver alguma desistência. 

Ele participou do nacional, em Fortaleza, no fim de maio – ficou em segundo lugar nos 10km e 5km. Ele está há um ano e meio nadando em águas abertas (mar). 

“Foi convidado para a Copa Pacífico que acontece em agosto, mas nós temos que bancar. 5h da manhã todos os dias ele está no treino, 7h vai pra escola, 13h30 treino de novo até 15h30, 17h fisio, 18h15 funcional… é a rotina diária dele. Como vou falar que não vai participar? Faria tudo de novo, a luta é por ele. Não só pelo desempenho, mas por manter ele longe das coisas ruins. O esporte salva vidas”, acrescenta.

Para ajudar e comprar as sopas de Patrícia, basta chamar no WhatsApp (41) 99986-2020 ou Instagram @comafeto_ca ou @patrycialessa.


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -