- Publicidade -
29 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Paratleta Arthur Teixeira estreou com vitórias na Paralimpíada Escolar em São Paulo

O paratleta Arthur Cauê Teixeira Camargos @arthurcaueteixeira , 15 anos, do Instituto Catarinense de Esportes para Deficientes (ICED), de Balneário Camboriú, estreou nas Paralimpíadas Escolares, realizadas em São Paulo (22 a 27/11), com duas vitórias. 

Ele integrou a seleção catarinense de atletismo. Foi o melhor nos 250m e nos 75m com o tempo de 16’77” por milésimos de segundo, não bateu o recorde da prova na categoria Sub-16.

Arthur já faz planos para o próximo ano voltar a esta competição.

“Participei da minha primeira paralimpíadas escolares onde depois de muito tempo viajei de avião e sem problemas de acessibilidade. Nos dias 24 e 25 de novembro fiz minhas provas de 75m e 250m onde tive excelentes resultados, por conta dos treinos de força e resistência que fiz durante esse ano. Logo após as competições fiz um teste de aptidão física, nele os resultados foram positivos. Mesmo com todos os problemas de ida para a competição, eu e a delegação de Santa Catarina tivemos um excelente desempenho. Espero muito que ano que vem eu esteja lá, competindo pelo atletismo e viver toda essa experiência incrível” destaca Arthur.

A técnica de Arthur, Gévelyn de Almeida que incentivou o menino a praticar esportes, disse que é importante salientar que Arthur venceu uma disputa prévia com vários atletas de Santa Catarina, para ir ao evento. 

“Um dos critérios era ter participado de eventos oficiais escolares e ter porcentagem de Índice Técnico nas provas onde o para-atleta obteve próximo aos 90% nas provas de velocidade, a disputa aconteceu contra atletas dos municípios de Joinville, Florianópolis, Blumenau e Lages”, explicou.

Gévelyn segue contando que muita expectativa antecedeu o evento em São Paulo.

“Até a véspera da viagem os para-atletas não tinham certeza devido a uma situação de inscrição da Fesporte junto ao CPB. Nós do ICED e diversas lideranças da causa PCD lutamos em diversas frentes estaduais para fazer valer o direito desses para-atletas participarem do grande evento nacional que reuniu todos os estados do Brasil com equipes  formadas por paratletas de 11 a 18 anos das diversas modalidades paralímpicas”, afirmou a presidente do ICED.

Ela agradeceu ao técnico Caike Jacob Rodrigo por todo suporte que deu a Arthur durante a competição.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -