- Publicidade -
- Publicidade -
20.3 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Após denúncias da comunidade e de vereadora, prefeitura realiza manutenções nas escolas de Balneário Camboriú

Após o Página 3 noticiar a falta de manutenção nas escolas, denunciadas pela vereadora Juliana Pavan (relembre aqui), o novo secretário de Educação, Marcelo Achutti, iniciou um diagnóstico das principais demandas e algumas manutenções já foram realizadas na primeira semana de aulas. O trabalho deve seguir.

Emergências resolvidas em 10 dias

O secretário Achutti explicou ao jornal que, a partir do momento que assumiu o cargo, há exatos 10 dias (6), recebeu muitas demandas, as quais ele já conhecia, pois antes de se unir ao prefeito Fabrício Oliveira, era vereador pelo MDB, então oposição ao governo. 

“Sabia que tinha limpeza da caixa d’água para fazer, além de reformas na parte estrutural, elétrica, jardinagem/roçagem e tudo isso foi feito nesses 10 dias que estou à frente da Educação. Há problemas mais complexos na estrutura elétrica de algumas escolas e núcleos porque, quando foram construídos, tinham capacidade para x amperes, e não houve melhorias nesse sentido, e agora estamos fazendo intervenção, como foi o caso no NEI Pioneiros e no CEM Professor Armando Cesar Ghislandi”, disse.

- Publicidade -

Achutti defende que nos 10 dias que está como secretário conseguiu resolver os problemas ‘mais emergenciais’, mas reconhece que há muito mais para ser feito, a exemplo da situação do NEI Pioneiros – será construída uma nova unidade, nas proximidades, mas até que isso aconteça, precisam fazer obras de melhorias para que os alunos e profissionais que lá atuam tenham condições de estar diariamente no local.

“Focado nas manutenções e apagando incêndio”

Questionado sobre os questionamentos da vereadora Juliana Pavan sobre a ausência das manutenções nas escolas e núcleos, o secretário disse que prefere não entrar no mérito do que não foi feito e sim do que está sendo feito agora. “Estamos bem presentes, dando atenção, indo nas escolas com equipes de manutenção, ouvindo profissionais e comunidade. O que eu peço para a imprensa e para os vereadores é que me deem oportunidade, pois estou ouvindo a comunidade e gestores e o que ainda não foi identificado e que precisa de manutenção, será resolvido. Estamos focando no que é urgente, a exemplo do Ghislandi, que se não tivéssemos revisto a questão elétrica, estariam sem energia. Era uma questão antiga que foi resolvida. Não vou apontar dedo e falar que não foi feito durante o verão, e sim pontuar que estamos fazendo intervenções urgentes e que já fizemos muito em 10 dias. Estou aqui para trabalhar, focado nas manutenções e apagando incêndio porque compreendo as urgências”, completa, citando que há burocracia para fazer certas ações no serviço público, mas que está atuando com força-tarefa para solucionar as emergências das unidades. 

O que diz a vereadora Juliana

Juliana Pavan tem como uma das pautas de seu mandato como vereadora a Educação. Desde que assumiu na Câmara, em 2021, vem fiscalizando pessoalmente as escolas e núcleos. 

Ela destacou ao Página 3 que ‘não começou agora’ e que sempre cobrou ações imediatas nas escolas, e que não irá deixar de o fazer. 

“Ainda mais quando envolve a integridade física, envolve a vida das pessoas! É importante o poder público ter um planejamento de manutenção predial das escolas, conservação de calhas, cuidados com a parte hidráulica e elétrica, sem esquecer da questão de acessibilidade. A manutenção periódica reduz custos de reformas e construções”, comentou.

“O prefeito está no sétimo ano de mandato, ele conhece os problemas”

A vereadora aproveitou para defender que, por mais que o aluno consiga estudar e vá bem na escola, é imprescindível que estude em um local adequado, com as manutenções em dia, e por isso o ideal era que as manutenções estivessem acontecido durante o verão, para não prejudicar o retorno das aulas. O prometido pela prefeitura e pela então secretária de Educação, Marilene Cardoso, era que isso ocorreria [reformas durante o período de férias]. 

Juliana disse que o vereador é o político mais próximo do povo e que está na Câmara para cobrar e somar, lembrando que as situações citadas por ela são situações que estão há anos para serem resolvidas. 

- Publicidade -

“Me dizem para ter paciência porque o secretário Achutti assumiu agora, e é um fato que ele assumiu agora, mas o prefeito está no sétimo ano de mandato, ele conhece os problemas! Precisam trabalhar, precisam fazer. No NEI Pioneiros, várias mães reclamaram que estavam sem luz e sem água gelada e estava um calor danado, fora a piscina que há lá que estava com uma lona rasgada e toda suja. Alertei a prefeitura na tribuna e resolveram. Vou usar a tribuna quantas vezes for preciso para falar dos problemas e continuarei cobrando ações imediatas quando envolve a integridade física das pessoas, porque é irresponsabilidade do poder público não ter resolvido todas essas questões nas férias, como era o prometido. São só falácias”, acrescentou.

“Não somente aponto o erro, mas também vou atrás da solução”

A vereadora reconheceu que seu ex-colega de oposição e agora secretário está agilizando as manutenções, mas afirmou que se precisar ‘levantar a sua voz’ para que o governo municipal resolva urgências, irá fazer. 

“Mas não estamos trazendo somente reclamação ou apontando erros, estamos indo atrás de soluções, tanto que em 2021 fui em busca de recursos para ajudar nas reformas, como a do CEM Alfredo Domingos. Consegui verba de R$ 450 mil, que está nos cofres da prefeitura desde então, e agora em 2023 saiu a licitação. Estou feliz em poder contribuir. Não somente aponto o erro, mas também vou atrás da solução. Tenho mais dois anos de mandato e sigo em busca de mais recursos e para atender a demanda do povo de Balneário Camboriú”, completou.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -