- Publicidade -
- Publicidade -
24.4 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Arquivo Histórico de Balneário Camboriú foi visitado por prefeito de Santo Amaro da Imperatriz

A cidade catarinense ainda não possui um Arquivo Histórico e pretende se inspirar em Balneário Camboriú

O Arquivo Histórico de Balneário Camboriú recentemente completou 30 anos e hoje é referência pela tecnologia que possui e o cuidado com o acervo de fotos, documentos, jornais, dentre outros. Ele está localizado em área específica dentro da Biblioteca Pública Machado de Assis e foi visitado nesta semana pelo prefeito de Santo Amaro da Imperatriz, Ricardo Lauro da Costa, que é parente distante do engenheiro civil Jurandir Knabben, o responsável pela criação do Arquivo Histórico de Balneário. 

Os dois possuem em comum outro parente – o historiador Silvio Knabben, que é dono do maior acervo fotográfico e documental de Santo Amaro.

Jurandir e Silvio convidaram o prefeito Ricardo para conhecer o Arquivo Histórico de Balneário Camboriú para se ‘inspirar’ e iniciar o processo de criação do Arquivo de Santo Amaro, que mesmo sendo uma cidade mais antiga do que Balneário, ainda não possui um. 

“O Sílvio tem boa parte da história, mas ele já é da minha idade, quase 80 anos, e ele tem muito acervo, muitas fotos! E não adianta ter com ele esse material… assim como eu, eu tenho todo o material de propaganda das eleições de Balneário e eu trouxe para o Arquivo porque não adianta ter comigo – eu posso ir embora amanhã e eu acho que tem que ser preservado, e incentivamos que Santo Amaro da Imperatriz também faça isso”, disse Jurandir.

- Publicidade -

O engenheiro pontuou que a história do Arquivo Histórico de Balneário Camboriú foi de luta, mas que é preciso começar – inclusive em uma roda de conversa realizada ao fim da visita do prefeito, ele disse que a cidade precisa pegar ‘uma salinha’ e não esperar simplesmente ter uma estrutura como a que Balneário tem hoje – principalmente porque não foi assim no início.

“A história de Balneário Camboriú começou muito antes dos 60 anos que vamos completar, assim como a de Santo Amaro da Imperatriz, que é até bem mais antiga, inclusive com a passagem do Rei do Pedro II por Santo Amaro. Eles têm uma rica história, muito mais do que nós. Porém, é bom lembrar que mesmo Balneário sendo uma cidade moderna, nova, tem muita coisa”, acrescentou.

Valorização da cultura

A presidente da Fundação Cultural de Balneário Camboriú, Denize Leite, e a diretora de Artes, Lilian Martins, também acompanharam a visita e destacaram a importância da valorização da história e da cultura, incentivando que a comitiva de Santo Amaro busque isso – e principalmente que tenham atuando no futuro Arquivo Histórico da cidade pessoas que gostem de história, para assim auxiliarem a preservar. 

A diretora Lilian Martins explica o funcionamento do Arquivo (Foto Renata Rutes)

“Foi muito importante receber o prefeito de Santo Amaro e a equipe dele, de Administração e Turismo, conseguimos compartilhar o nosso conhecimento e trabalho, e isso muito nos orgulha – saber que a equipe do Arquivo Histórico tem tanto cuidado e faz a diferença no cuidado com o nosso acervo, também possibilitando essa troca de experiências e auxílio a todo município que queira compartilhar do nosso conhecimento”, salientou a presidente Denize.

Roda de conversa com troca de experiências (Foto Renata Rutes)

‘Será uma prioridade’, diz prefeito

O prefeito de Santo Amaro não escondeu o contentamento em estar visitando o Arquivo de Balneário Camboriú, agradecendo o convite de Jurandir e citando Silvio, que é a pessoa que tem um arquivo fotográfico da cidade. 

“Nós temos a preocupação de manter a história viva do nosso município, que está hoje na posse do Silvio, com todo o material que ele conseguiu reunir. Ele me convidou para trazer essa delegação, trouxemos pessoas ligadas à Cultura, Arte e Turismo para estar junto e conhecer o trabalho de Balneário Camboriú e tentar tirar alguma ideia de como começar em Santo Amaro da Imperatriz”, explicou.

O historiador Silvio Knabben, dono do maior acervo documental/fotográfico de Santo Amaro, com Jurandir (Foto Renata Rutes)

Ricardo afirmou que criar o Arquivo Histórico da cidade é ‘muito importante’ e que será uma prioridade. 

“Eu aprecio muito a história e apoiamos muito a cultura lá em Santo Amaro, entendemos que um povo sem história é um povo sem memória. A nossa história é riquíssima, então estamos muito preocupados em trazer essa história escrita ou fotografada, estamos também resgatando um material de esculturas e poesias. Eu acho que é fundamental para o município se conhecer e quem conhece a história do município, ama o município… e temos muito material”, disse, pontuando ainda que se surpreendeu com a estrutura do Arquivo de Balneário, mas vendo que já há uma evolução de 30 anos. 

“Lá vamos ter que começar do zero, e por isso foi tão importante conhecer como Balneário começou e ver que é possível. Temos que começar, para aos poucos melhorar, trazer novidades e ir aprendendo… e nada melhor do que aprender com quem já conhece e pode nos ajudar a colocar em prática”, completou.

A comitiva de Santo Amaro que veio conhecer o Arquivo Histórico e foi recebida por Jurandir, Denize e Lilian (Foto Renata Rutes)
- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -