- Publicidade -
- Publicidade -
22.5 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Balneário Camboriú tem 179 pessoas em situação de rua

Abordagem Social duplicou equipe para o verão

Com a aproximação da temporada, aumenta muito o número de pessoas em situação de rua, o que levou a prefeitura, através da Secretaria de Inclusão Social, dobrar a equipe que atua na Abordagem Social, trabalhando diretamente com os andarilhos. Hoje, a cidade tem 179 pessoas vivendo em suas ruas (dados de segunda-feira, 5).

(Divulgação/PMBC)

Equipe duplicada = aumento do trabalho na rua

A secretária de Inclusão Social de Balneário Camboriú, Christina Barichello disse que há várias ações integradas programadas para o verão, inclusive algumas com as forças de segurança. 

A Abordagem Social, departamento da Inclusão que é focado nas abordagens a pessoas em situação de rua, segue fazendo suas rondas 24h, todos os dias, inclusive aos domingos e feriados, como já realizam durante o ano. 

- Publicidade -

“Agora estamos com um número maior de efetivo – foram chamados 40 agentes sociais e 10 fiscais de rua. Quase duplicamos a nossa equipe. Queríamos triplicar, mas foram chamados os profissionais via seletivo e não se apresentaram mais. Até agora, temos 50 a mais, que vieram a somar. Com isso, aumentamos o número de equipes na rua, que vão ficar nos pontos críticos orientando, prestando auxílio, encaminhando para lugares de origem ou para tratamento do vício em álcool e/ou drogas”, diz.

Comunidade e turistas não devem dar esmola

Christina explica que há vezes em que a própria confunde pessoa em situação de rua com infrator, e que a Abordagem Social não tem competência de trabalhar com a parte da infração, por isso contam com o suporte da Polícia Militar e Guarda Municipal – inclusive ao longo do ano diversas prisões de foragidos foram realizadas e nesta semana um morador de rua foi morto por outros dois andarilhos, que foram presos. 

“O nosso servidor é psicólogo, assistente social ou agente social, e trabalhamos a questão social da pessoa. O que vemos é que Balneário Camboriú, e principalmente o turista, incentiva que a pessoa permaneça na rua porque dá esmola. O ano inteiro falamos o quanto isso é prejudicial, porque acaba fazendo com que venham pessoas em situação de rua em maior número e não vai ajudar a vida deles. A esmola que ganham é para comprar drogas, ou seja, ajuda o tráfico”, pontua, citando que, segundo dados da prefeitura, 99% da população de rua tem algum tipo de vício – álcool e/ou drogas (principalmente crack).

Prefeitura ajuda pessoas em situação de rua

A secretária aponta que são mentiras as histórias contadas por pedintes sobre ter filho com doença ou que não tem comida – prática comum nos sinais de Balneário Camboriú. 

“Temos um serviço focado nisso, temos cartão maternidade, auxílio social. Quem precisa de ajuda, deve ir no CRAS, pois temos uma rede muito solidificada na área da Saúde e Inclusão Social, gastamos uma imensidão de verba pública auxiliando essas pessoas e até mesmo internando quem possui algum vício, inclusive de pessoas que nem são de Balneário. Por isso, pedimos: quer ajudar de alguma forma? Não dê esmola. Se te ameaçarem, denuncie para a PM 190 ou Guarda Municipal 153. É um trabalho incansável que realizamos, a gente não desiste nunca, mas precisamos do apoio dos moradores e turistas”, acrescenta.

O que fazer?

Se você viu alguma pessoa em situação de rua ou sabe de alguém que precisa de suporte, acione a Abordagem Social via 156. O trabalho é 24h, todos os dias, incluindo domingos e feriados. Balneário Camboriú oferece passagem rodoviária para a cidade de origem da pessoa e ainda internação, auxílio para voltar ao mercado de trabalho e abrigo (na Casa de Passagem, espécie de albergue municipal).

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -