- Publicidade -
- Publicidade -
16.7 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Cléber Machado, Jota Júnior e até Galvão: veja quem saiu da Globo em reformulação

O quadro de funcionários do Esporte da Globo está passando por uma série de reformulações nos últimos tempos. Nomes famosos, como Jota Júnior, Casagrande e até mesmo Galvão Bueno, deixaram a emissora carioca após longo período de casa. nesta quarta-feira, foi a vez do narrador Cleber Machado ser desligado do canal após 35 anos.

Cléber Machado, atualmente com 60 anos, era o responsável pela transmissão dos jogos dos times do futebol paulista. Nos últimos anos, o locutor perdeu prestígio interno no canal, deixando, inclusive, o posto de narrador número dois da emissora para Luís Roberto. Ele sequer viajou para o Catar na cobertura da Copa do Mundo.

“Cleber esteve presente nos principais eventos esportivos nacionais e internacionais ao longo das últimas décadas e contribuiu para alimentar a paixão do brasileiro pelo esporte, especialmente o futebol”, disse a emissora, em nota, ressaltando estar aberta para projetos futuros com o narrador.

- Publicidade -

Confira outros nomes que deixaram o Esporte da Globo recentemente:

GALVÃO BUENO

Após narrar a eliminação do Brasil para a Croácia na Copa do Mundo do Catar, Galvão Bueno se despediu da Globo na transmissão da final entre Argentina x França, a sua décima decisão de um Mundial da Fifa. O narrador estava na emissora há 41 anos e não renovou o contrato, mas nem por isso vai deixar o microfone de lado.

Aos 72 anos, a nova empreitada de Galvão Bueno será no Youtube com o “Canal GB”, uma parceria com a plataforma de criação de conteúdos em vídeo Play 9. A estreia será no sábado, com a transmissão do amistoso entre Marrocos e Brasil, às 18h30.

Segundo o narrador, seu canal não irá se limitar ao futebol e também terá conteúdos voltados para o automobilismo. Os vídeos vão contar com a parceria do filho de Galvão, o piloto Cacá Bueno, da Stock Car.

Galvão Bueno ganhou notoriedade como narrador oficial da seleção brasileira na TV Globo, participando da cobertura do tetracampeonato mundial, em 1994, e do penta, em 2002. Versátil, ficou conhecido por narrar as vitórias do Ayrton Senna na Fórmula 1 e, mais recentemente, foi a voz do ouro de Rebeca Andrade na Olimpíada de Tóquio.

JOTA JÚNIOR

- Publicidade -

Dono de um estilo ímpar de narração, Jota Júnior anunciou sua dispensa da Globo no dia 14 de março. O locutor estava na emissora desde 1999 e completaria 24 anos de casa neste mês. Nos últimos anos, o narrador deixou de ser escalado para os principais jogos dos torneios transmitidos pelo SporTV, o canal de esporte fechado da Rede Globo.

“No mês em que completo 24 anos de casa, estou deixando o SporTV Acabo de ser comunicado. Pouco a dizer, mas agradecer a todos que me acompanharam em meus trabalhos. As páginas da vida vão sendo viradas e novos capítulos estão sempre a nossa disposição. Que outros desafios apareçam, pois para a frente é que se anda”, escreveu o narrador em sua página no Facebook.

O narrador trabalhou ainda em rádios de Americana e Campinas antes de migrar para a capital paulista, onde fez sucesso na Rádio Gazeta. O bom trabalho o levou para a Rádio Bandeirantes, emissora em que marcou seu nome e pela qual ganhou a primeira oportunidade de migrar para a TV. Na Band, narrou as Copas do Mundo de 1986, 1990, 1994 e 1998. Ele ainda não deu informações do que pretende fazer na carreira.

SANDRO MEIRA RICCI E FERNANDA COLOMBO

Os comentaristas de arbitragem Sandro Meira Ricci e Fernando Colombo foram demitidos da Globo na segunda-feira. O casal participava das transmissões e entradas ao vivo durante os jogos mostrados pela emissora. Além disso, pela primeira vez desde que Arnaldo Cezar Coelho começou seus trabalhos na Globo, em 1989, o canal deixará de contar com um árbitro para sanar as dúvidas de arbitragem.

Junto à demissão de Sandro Meira Ricci e Fernanda Colombo, a Globo anunciou também o fim do quadro “Central do Apito”, criado em 2018 como o objetivo de aproximar o espectador das regras do futebol, mas ao longo dos últimos anos deixou de ser apreciado pelo público, principalmente nas redes sociais.

PAULO VINÍCIUS COELHO

O comentarista Paulo Vinícius Coelho, mais conhecido como PVC, anunciou a sua saída da Rede Globo em janeiro deste ano. O jornalista era figura cativa nos programas do SporTV. O profissional vai comentar a Libertadores nos serviços de streaming da Paramount Plus e também passou a manter uma coluna no site Uol.

WALTER CASAGRANDE

O ex-jogador e comentarista Walter Casagrande Júnior anunciou a sua saída da Globo em julho de 2022, por meio de um vídeo publicado nas redes sociais. Na postagem, ele afirmou que deixar a emissora carioca era um “alívio” tanto para ele quanto para a direção do canal.

“Depois de 25 anos de Globo, seis Copas do Mundo, cinco finais, incluindo a de 2002, com os dois gols do Ronaldo, três Olimpíadas e diversas finais de campeonatos por aí, meu ciclo acabou. Estou saindo da Globo hoje, não faço mais parte do grupo de Esportes da TV. Vou seguir a minha estrada. Na realidade, acho que foi um alívio para os dois lados”, disse.

Casagrande começou a carreira de comentarista ainda na década de 1990, na ESPN, pouco tempo após pendurar as chuteiras. Mas foi na Rede Globo onde se firmou e se tornou um rosto conhecido dos brasileiros nas transmissões esportivas, especialmente na cobertura da seleção brasileira e das equipes do futebol paulista. Atualmente tem uma coluna no site Uol.

TINO MARCOS

Quem acompanhou os jogos do Brasil na Globo não esquece da presença de Tino Marcos. O repórter ficou marcado pelo trabalho acompanhando a seleção brasileira nos principais torneios ao redor do planeta. A sua saída ocorreu em fevereiro de 2021, após 35 anos no canal.

“Sabedor de que chegaria, vira e mexe eu pensava nele: o dia em que sairia da Globo. Ele deveria ser planejado pra, então, ser festejado. E chegou desse jeitinho mesmo. Com uma sensação bombando, justo a que eu mais desejava: a gratidão. Obrigado”, escreveu em seu Twitter.

Tino Marcos chegou à emissora pela primeira vez em 1985, quando ainda era estagiário. Em maio do ano seguinte, foi contratado como repórter, função que ocupou até o início de 2021. Em 2019, tirou uma licença do trabalho por alguns meses.

Ao longo de sua carreira na emissora, cobriu inúmeros jogos da seleção brasileira, Copas do Mundo e Olimpíadas. “A Globo é a minha história, minha casa”, disse. “Se alguém buscar no arquivo uma matéria do velho repórter, de qualquer época, vai encontrar sempre a expressão de um cara feliz fazendo aquilo. Portanto, valeu demais!”, concluiu.


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -