- Publicidade -
- Publicidade -
19.3 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Com derrubada de veto, Fabrício não poderá esconder informações de TACs para o próximo prefeito

A derrubada do Veto de Fabrício de Oliveira ao projeto que obriga os prefeitos de Balneário Camboriú, em final de mandato, a informarem aos sucessores todos os dados sobre Termos de Ajustamento de Conduta, trará mais clareza ao processo sucessório, que já é uma previsão legal.

Foi surpreendente que Fabrício tentou vetar, porque se trata de algo que apenas traz mais transparência ao processo sucessório, por isso o veto foi rejeitado, inclusive com o voto de Omar Tomalih, aliado fiel de primeira hora do atual prefeito.

Nos bastidores, as especulações são de que Fabrício não quer holofotes sobre um TAC específico, com uma grande construtora que estaria forjando gastos para se favorecer. 

- Publicidade -

Corre nesses bastidores, a intenção de abrir uma CPI específica para investigar este TAC.

  “Ele não quer que sejam passadas informações de TAC”

O autor do projeto, André Meirinho, salienta que ‘felizmente’ conseguiram derrubar o veto do prefeito e aponta que houve uma grande incoerência por parte de Fabrício porque em 2017 havia um projeto de sua autoria, que regulamentava a transição de governos para que fosse pacífica, para que a cidade não parasse. E, naquele momento, o prefeito entendeu essa importante regra para uma transição. 

“Ele [Fabrício] tinha acabado de passar por uma não obrigatória, porque o governo Piriquito quis fazer uma transição de 80 dias com ele, inclusive com todas as atas mandadas para o Ministério Público. Então ele vinha daquela realidade. Agora no final do governo dele, uma lei aprovada pela Câmara foi proposta por mim, novamente. Ele disse que agora um vereador não pode propor lei do tipo. Então claramente não é esse o motivo. O motivo é que ele não quer que sejam passadas informações de TAC, até porque ele não cumpre vários, principalmente na questão da EMASA, tem inquérito policial, então alguma coisa ele não quer passar para o novo governo”, diz.

Meirinho acrescenta que, felizmente, pela decisão do Legislativo, Fabrício vai ter que passar as informações porque agora vai estar na lei, justamente porque foi derrubado o veto dele. 

“Então essa foi uma vitória nesta noite de quarta-feira (12), onde infelizmente, mesmo com forte apelo do público, o projeto do Plano Diretor não deu certo”, pontua.

Como votaram os vereadores:


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -