- Publicidade -
- Publicidade -
23.2 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Dragagem ainda não terminou, mas a situação do rio Marambaia melhorou bastante

A primeira fase da dragagem do Rio Marambaia terminou, mas a Empresa Municipal de Água e Saneamento de Balneário Camboriú (Emasa) quer dragar pelo menos mais 1.800 metros cúbicos (até agora, foram retirados 6 mil metros cúbicos), até a foz do rio.

O Página 3 ouviu um representante de moradores do Bairro Pioneiros e o diretor da Emasa, Douglas Beber, que analisam a situação atual do Marambaia e o que esperam do futuro do local. Acompanhe:

Contrato aditivado e + 1.800 metros cúbicos

- Publicidade -

O diretor da Emasa, Douglas Beber, conta que recebeu mensagens de moradores das proximidades sobre a situação do Rio Marambaia ter melhorado – inclusive o cheiro, que antes era bastante forte devido à poluição.

“Não que esteja 100%, mas os moradores relatam que houve mudança, que melhorou. Retiramos 6 mil metros cúbicos de lodo. Particularmente, eu não recebi nenhuma reclamação, mas ainda não finalizamos a obra”, diz.

Segundo Douglas, o contrato foi aditivado e agora devem retirar pelo menos mais 1.800 metros cúbicos. O serviço foi parado no fim de 2022 porque a Celesc precisa isolar a área onde irão trabalhar (na Rua Osmar de Souza Nunes) e também a via, porque os caminhões terão que ficar na rua, já que não há calçada larga no local.

“É complexo esse momento, e esperamos retornar com o trabalho entre fevereiro e março. Não vamos precisar de autorização do IMA (Instituto do Meio Ambiente de SC) porque seguiremos o mesmo sistema de limpeza. Acredito que, mesmo com esse aditivo de 25%, que é o que a lei nos permite, a gente deve encontrar mais material do que esses 1.800 metros cúbicos, porque estaremos chegando na foz do rio e ali, historicamente, se acumula muito material. O contrato cita o volume de 25% de aditivo, mas acredito que, se precisarmos retirar mais, podemos fazer outro aditivo e justificar. O nosso pensamento é executar a continuidade da obra até para saber se vai dar resultado ou não e a partir dessa conclusão pensar nos próximos passos”, acrescenta.

Mais dragagem e limpeza embaixo dos prédios

Os próximos passos citados pelo diretor são fazer mais uma dragagem, se necessário, para ver se acumulou algo neste período de alguns meses; e o ‘grande desafio’, que está sendo trabalhado pela Emasa e que até o momento não conseguiram resolver é encontrar uma tecnologia que permita entrar embaixo dos prédios, da Rua 1.441 até o colégio Vereador Santa, onde fica a nascente do rio.

“Todo esse trecho está embaixo dos imóveis. Estamos conversando com empresas para ver se há possibilidade ou não porque tem acúmulo de lodo nessa ‘galeria’. Essas são ações que estamos pensando, além de todo o resto – o parque linear que é o grande sonho, reorganizar o rio em si, em uma parte exige gabião para fazer a proteção das margens do rio”, pontua, além do processo de conscientização da comunidade, que não pode jogar lixo no rio e precisa regularizar o saneamento.

- Publicidade -

“Fizemos esse primeiro trabalho que, no nosso entendimento, deu resultado, mas sabendo que uma simples dragagem não vai resolver todo o problema do rio, sendo que nem todos os imóveis entregaram a regularização sanitária, mas acreditamos que esse trabalho que estamos fazendo serve para auxiliar a natureza, pois já começaram a aparecer animais ali”, destaca.

Futuro para o rio

Questionado pelo jornal, Douglas afirma que ‘com certeza’ vê um futuro para o Rio Marambaia, comparando com a situação do Rio das Ostras, que foi limpo e está se recuperando.

“Estão surgindo no Marambaia animais que nunca apareceram, isso nos dá uma esperança que, ao contrário do que muitos opinam, que dizem que temos que concretar o rio, mas não… estamos conseguindo recuperar! A natureza consegue se regenerar. Mas o dever de casa cada um precisa fazer – não jogar lixo no rio, ver se a ligação está regular, a Emasa seguir fazendo a manutenção das elevatórias e melhorias na rede. É um conjunto de ações do poder público e do privado, que vão levar ao resultado que a gente espera”, completa.

(Foto:AMPI)

Representante do Bairro Pioneiros opina

O presidente da Associação de Moradores do Bairro dos Pioneiros (AMPI), César Rafael Sedrez Gonzaga, diz que em sua opinião e de ‘muitos moradores’ a mudança do Rio Marambaia após a dragagem ‘é evidente e positiva’.

“Ainda falta o trecho da Osmar de Souza Nunes para a foz. Sabemos que não está perfeito, mas é evidente a melhora. O cheiro praticamente sumiu. Esse modo que foi feito, que até eu tinha dúvida no começo, demonstrou ser eficaz.

O término da dragagem até a foz é prioridade, tem que aprofundar, mas eu como presidente da AMPI e síndico convoco sempre que gerentes de hotéis e comércios e síndicos de prédios façam a regularização sanitária, é algo tão simples e muito importante. É incabível esgoto irregular, e aí entra o ‘Se Liga na Rede’, tem que se ligar no esgoto, na estação de tratamento, se fizerem isso, é um bom caminho”, diz.

Gonzaga conta também que do fim de 2022 para cá estão vendo ‘a vida renascendo’ nos entornos do rio, que está atraindo pássaros, cágados e até capivaras.

(A vida voltando ao canal do Marambaia. (Foto: AMPI)

“A vida se recupera rápido, é só dar uma chance. O trabalho da prefeitura está dando resultado e temos que continuar… a soma geral é positiva e a melhoria é evidente”, completa.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -