- Publicidade -
- Publicidade -
25.6 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Enquete Dia do Meio Ambiente: Como você pode ajudar a reduzir a ameaça dos plásticos ao futuro do planeta

O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado nesta segunda-feira (5) é “Soluções para a poluição plástica”, reforçando a consciência de que o uso indiscriminado e descuidado de materiais plásticos é uma ameaça concreta ao futuro da humanidade.

Das mais de 400 milhões de toneladas de plástico produzidas anualmente, menos de 10% é reciclada e, em média, 20 milhões de toneladas vão parar nos rios e oceanos, que estão poluídos por trilhões de partículas plásticas.

Em Balneário Camboriú, segundo a empresa Ambiental Limpeza Urbana e Saneamento Ltda., o projeto Recicla BC recolheu no ano passado 3.397 toneladas de resíduos recicláveis, entre eles 1.053 toneladas de plásticos.

- Publicidade -

Aproveitando o tema do Dia Mundial do Meio Ambiente, uma data que existe há mais de cinco décadas, o Página 3 perguntou a pessoas ligadas a questões ambientais, “Como podemos (e devemos) realizar, na prática, o tema do Dia Mundial do Meio Ambiente?”. 

Confiras as respostas:


Marcus Polette – Professor e Pesquisador em Gestão e Governança Costeira e Marinha – Univali

(Arquivo Pessoal)

“Questões simples no cotidiano da vida podem eficientes”

“O dia do Meio Ambiente deve ser encarado não apenas no seu dia comemorativo, mas sim durante todos os 365 dias do ano, pois somos dependentes de todos os recursos naturais do planeta para a nossa sobrevivência. 

Logo, devemos ter a sensibilidade no nosso olhar diário e avaliar de forma criteriosa nossas ações, visto que estas podem ter consequências funestas para o nosso meio ambiente. 

Evitamos exercer práticas ostentativas de consumo? O uso da água é parcimonioso? A reciclagem de resíduos faz parte do meu dia a dia? Uso o automóvel o mínimo possível? Entendo a doação como uma prática solidária? 

No entanto, devemos também ter a sensibilidade do olhar cidadão em avaliar o que ocorre a cada quatro anos na minha rua, no meu bairro e na minha cidade por meio da prática do voto. 

- Publicidade -

A água que chega na torneira da minha casa é pura e confiável? Minha rua mudou para melhor? A canalização de esgotos passou pela minha rua? Tenho praças e parques para desfrutar com a minha família nas minhas horas de lazer? A rua em que moro está livre de inundações e alagamentos, pois a drenagem é eficiente? Estou livre de doenças transmissíveis dos mais diversos vetores que afetam a saúde da minha família? A reciclagem é uma prática na cidade? O poder público está preocupado com as mudanças do clima? Tenho voz nas ações estratégicas de desenvolvimento urbano que ocorrem no município? 

Questões simples como estas no cotidiano da vida das pessoas, caso positivas, podem ser consideradas como resultados eficazes e eficientes para a construção de um meio ambiente sadio e sustentável. Portanto, mais do que nunca, temos que estar atentos para os nossos sentidos”.


Vanessa Lima Bertolazi Simon, Professora no CAIC Ayrton Senna da Silva e  representante do Comitê pela Cultura Oceânica de BC

(Arquivo Pessoal)

“Imprescindível abordar o cuidado com o planeta desde a mais tenra idade”

“Durante décadas o oceano recebe e continua a receber um volume expressivo de resíduo plástico, proveniente da terra firme e do tráfego marítimo.  É certo dizer que o plástico é um dos responsáveis pela degradação do ambiente e consequentemente o causador de inúmeras mortes de espécies marinhas e terrestres. 

O plástico é um material que trouxe muitos benefícios para a sociedade, mas também causa sérios problemas ambientais. 

O Dia Mundial do Meio Ambiente é um convite para sensibilizar as pessoas a promover mudanças de hábitos e atitudes. Na atual conjectura, sabemos que é um processo lento e gradual, mas necessário para manter a vida no planeta. 

Deste modo, é essencial que governos, empresas e indivíduos trabalhem juntos para reduzir o consumo de resíduo plástico, a reciclagem adequada e buscar alternativas mais sustentáveis. Para tanto, torna-se imprescindível abordar o cuidado com o planeta desde a mais tenra idade, a partir da educação infantil, por meio de atividades que promovam desde cedo a sensibilização e posteriormente a conscientização das crianças acerca do cuidado com o ambiente marinho e terrestre. 

Cabe a nós, os adultos, mostrar o caminho às nossas crianças, as futuras gerações dependem dos nossos esforços”.


Maurício Simas (Escova), ambientalista e músico

(Arquivo Pessoal)

“O homem precisa saber que ele é Meio Ambiente”

“Somos o 4° produtor mundial. Quase 100% dos lixos encontrados nas praias, contém itens plásticos. Um Vilão do Meio Ambiente, e quase indispensável, mas seu descarte tornou-se um enorme problema. Já que é tão utilizado, que usem os recicláveis.

A produção mundial gira em torno 400 milhões de toneladas ano e previsto o triplo para 2026.

Canudos, sacolas, copos, estão por toda parte, e são considerados, plástico de uso único. Tornam a vida cômoda. Ítens que descartados, queimados, prejudicam a saúde humana, a biodiversidade, polui todos os ecossistemas desde as montanhas até o fundo do mar.

Reciclar – Vantagens para o Meio Ambiente desde a economia de recursos como água, solos, biomas, fauna em especial a Marinha.

Uma tonelada de plásticos reciclados, gera economia de 130kg de Petróleo. E somente 9% são reciclados. O Brasil ainda se destaca pois recicla em torno de 23,1 do pós consumo.

Reutilizar – Educação. Lembro quando a Secretaria do Meio Ambiente em conjunto com a Secretaria de Educação, realizavam competições entre as escolas para ver a melhor criação de fantasia ou a melhor obra de arte com produtos reciclados. Tivemos o prazer de apreciar belas obras de arte. Os papéis produzidos nas escolas e órgãos municipais, eram recolhidos e transformados em papéis reciclados, ainda com a inclusão social, pois vários alunos da APAE se realizavam nesta atividade.

Horror – As partículas de plásticos até 5mm de diâmetro, acabam nos alimentos, nas águas e no ar. Estima-se que 50.000 partículas de plásticos são consumidas por pessoas do planeta por ano. Existem Programas, Iniciativas e Parcerias para isto. Falta vontade.

O Homem precisa saber, que ele é Meio Ambiente e que o planeta é o seu vizinho. Experimenta jogar todo o plástico descartado de sua casa, na casa do vizinho. Vai dar problema não? Pois é, se jogar no Meio Ambiente, pode demorar sim. Mas vai dar problema.

Resumo – Homem e Meio Ambiente = Haja Plástico”.


Domingos Casimiro Pinheiro, sócio-proprietário do Barco Pirata

(Arquivo Pessoal)

“Trabalho intenso com crianças”

“A falta de conscientização da população a gente vê todo o dia. O Conseg Mar junto e o Lions BC estão trabalhando juntos pela despoluição do rio Camboriú. 

Fizemos nossa quarta edição, coletamos em torno de 30 e poucos metros cúbicos de lixo e 90% desse lixo são copos, garrafas PET, isso é um lixo que está no nosso rio Camboriú, poluindo há 200, 300 anos. 

Então temos que trabalhar, fazer um trabalho intenso na conscientização com as crianças e todos os colégios municipais de Balneário Camboriú e também da cidade de Camboriú, para que possamos educar a criança para que no futuro possamos ter um rio limpo, livre de poluição.


Maria Heloísa Lenzi Furtado, secretária do Meio Ambiente de Balneário Camboriú

(Arquivo Pessoal)

“Necessário aplicar os 3Rs”

“Para combater a poluição plástica, principalmente aquela que chega aos Oceanos e causa os maiores impactos ambientais é necessário conscientizar a população de que é necessário aplicar os 3Rs, reduzindo o consumo, reutilizando produtos e encaminhando para reciclagem que inclusive serve de renda para famílias de baixa renda. Todo esse trabalho de conscientização é feito através da educação ambiental do Programa Terra Limpa que trata deste e de outros temas junto às escolas, empresas e condomínios.

Ainda nas ações de Educação Ambiental temos os trabalhos desenvolvidos no verão através da Certificação Bandeira Azul e do Programa Praia Limpa que visam instruir e conscientizar os frequentadores das praias com relação aos resíduos e sua destinação correta.

A SEMAM também tem investido em apoiar e realizar ações de limpeza das praias e rios além de desenvolver em conjunto com a Ambiental e a Univali o projeto inédito de limpeza dos costões através da coleta de resíduos nas trilhas e com mergulhadores.

A primeira ação  foi desenvolvida no ano passado e a próxima iniciará em junho.

Os resíduos coletados neste trabalho são quantificados e qualificados para servir de base no desenvolvimento de ações de educação ambiental direcionado aos usuários tais como trilheiros e pescadores.

As ações de gestão de resíduos através do ReciclaBC também têm o foco na redução do descarte incorreto. O município e a Ambiental disponibilizam diversos serviços para que as pessoas não joguem resíduos em locais inapropriados”.


Ewerton Wegner, oceanógrafo, empresário, ambientalista

(Arquivo Pessoal)

“Começar a perceber esse resíduo no nosso ambiente cotidiano”

“Um primeiro passo é ter noção da realidade da poluição por plásticos num âmbito global. Saber quais são as principais categorias de contaminantes plásticos, desde o plástico comum (sacos e embalagens), ao micro plástico (fibras de roupas sintéticas, pequenos fragmentos de plásticos), passando por espumas expandidas, nylon e outros tipos de plásticos duros. 

Entender como nós estamos utilizando, reutilizando ou reciclando o plástico. Ver onde esses resíduos estão dispersos ou sendo depositados. 

Observar em escala mundial, mas também na nossa cidade, no nosso bairro, em nosso condomínio, na nossa rua, no parque, na praia, no mar, na mata… 

Começar a perceber esse resíduo no nosso ambiente cotidiano.

Como ações práticas podemos:

reduzir o uso desse material, evitando diversos tipos de plásticos como sacos, sacolas, embalagens diversas, consumir menos;

– descartar esse produto em locais apropriados;

– criar o hábito de recolher esse material quando o encontramos disperso no ambiente, seja na nossa rua, na praia, no mar e dar a ele um destino correto;

– ensinar as crianças ao uso consciente do plástico;

– conscientizar os adultos que ainda não sabem do problema causado pela poluição por plástico”.


Arlene Dellatorre, eco artista e empresária

(Arquivo Pessoal)

“O Planeta pede socorro!”

“Celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente é celebrar a Vida no Planeta!

Os recursos naturais precisam ser preservados, depredar o solo, o ar, as águas é uma cultura abusiva. 

O Planeta não consegue absorver o lixo que nós promovemos todos os dias. 

O Planeta pede socorro!

É assustador o plástico existente nos mares. O oceano Pacífico é o mais poluído de todos. Existem giros, que são o acúmulo de plástico, com 800 km permitindo que se ande sobre eles.

Hoje a maioria dos animais marinhos morrem por ingerir plástico.

O mais grave de todas as situações é o plástico encontrado no estômago dos peixes, crustáceos e outros que alimentam os humanos.

Vamos lutar pelo nosso Planeta! 

Temos um só Planeta!


Alessandro Kuehnen (Teco), Vereador e Presidente da Comissão de Defesa do Meio Ambiente e do Turismo da Câmara

(Arquivo Pessoal)

“É necessário realizar ações tangíveis que podemos adotar em nossa rotina”

“No Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano, o tema em foco é a urgente necessidade de combater a poluição plástica. Diante dos desafios que enfrentamos em relação ao acúmulo de plásticos em nosso planeta, é necessário realizar algumas ações tangíveis que todos podemos adotar em nossa rotina diária para contribuir significativamente para a redução da poluição plástica.

Como Presidente da Comissão de Defesa do Meio Ambiente e do Turismo da Câmara Municipal de Balneário Camboriú olho com amor para essa cidade que me fez chegar onde estou hoje, e por isso abracei essa Comissão, porque precisamos cuidar da nossa cidade. As ações podem partir da Câmara, do Executivo, mas é preciso entender que o trabalho deve ser de todos. Por exemplo mudando hábitos, reduzindo o uso de plásticos descartáveis, optando por alternativas reutilizáveis, reciclando adequadamente, educando, conscientizando e participando das ações de limpeza.

Eu e minha equipe de gabinete participamos de ações em prol do Meio Ambiente nas últimas semanas, como o mutirão da limpeza do Rio Camboriú no dia 6/05 e o mutirão de limpeza na Praia Central de BC recolhendo de micro lixo (cigarro, plástico, vidro, etc).

Além disso, protocolamos uma indicação ao Executivo Municipal, para que seja realizada pela Concessionária responsável, campanhas contínuas visando a educação e conscientização da população de Balneário Camboriú, para que seja feito o descarte nos locais apropriados dos resíduos recicláveis, principalmente o plástico”.


Ike Gevaerd, empresário e ambientalista, diretor da Biosphera Empreendimentos Ambientais

(Arquivo Pessoal)

“Dados para assustar”

“Tanto os ecossistemas aquáticos como os terrestres sofrem com a poluição causada pelo descarte incorreto dos plásticos. Conforme a National Geografic, aproximadamente 11 milhões de toneladas são jogadas no ambiente todos os anos. 

Mais de 5 trilhões de pedaços de lixo plástico estão nos oceanos, sendo que destes, 270 mil toneladas estão flutuando. Para termos uma ideia da gravidade do problema foi encontrado plástico no fundo da Fossa das Marinas, no Oceano Pacífico, a 11 quilômetros de profundidade. 

Temos ainda os microplásticos que são prejudiciais à saúde humana e animal. 

Enfim temos no lixo plástico um dos maiores problemas de poluição do planeta e, se nada de concreto for feito, estima-se que a produção deverá triplicar até 2040”.


Marcos Augusto Kurtz, Vereador, membro da Comissão de Preservação do Meio Ambiente e do Turismo de BC

(Arquivo Pessoal)

“Facilitando e ampliando os pontos de descarte de resíduos”

“Sabemos que determinar uma data para comemorar o dia mundial do meio ambiente não é suficiente para solucionar todos os problemas, mas a data é importante, pois auxilia na conscientização e promoção de campanhas e atitudes que favorecem um meio ambiente mais sadio para todos. 

Hoje temos ações sendo feitas no nosso município, como os mutirões de limpeza no Rio Camboriú e Projeto Praia Limpa. Então, acredito que devemos manter o trabalho, aprimorando e estendendo aos demais locais de nosso município, conscientizando a população, facilitando e ampliando os pontos de descarte de resíduos, pois o ensino e o incentivo a separação dos lixos são muito importantes”.


Juliethe Nitz, vereadora e membro da Comissão de Preservação do Meio Ambiente e Turismo (CPMAT) da Câmara de Balneário Camboriú

(Arquivo Pessoal)

“O mais importante é o pensamento coletivo”

“Como cidadãos, é nosso dever combater a poluição com tarefas simples do dia a dia. Elas começam no exemplo que nós, pais e mães, podemos dar aos nossos filhos, recolhendo uma garrafa vazia que alguém deixou pela rua e depositando na lixeira. Eu faço isso e minha filha de apenas três anos já está repetindo essa atitude. 

Também podemos olhar para o empreendedorismo e capacitar tecnicamente os catadores de lixo, abrindo oportunidades reais de renda a eles. Na minha primeira legislatura, fiz uma lei que determina aos órgãos públicos da cidade separarem o lixo reciclável do orgânico, e hoje na Câmara de Vereadores, isso é realidade. 

O mais importante é o pensamento coletivo, é ensinarmos as pessoas a separarem seu lixo, é cuidarmos das nossas praias e da nossa natureza, é termos consciência que somos todos um só organismo e precisamos aprender a viver em harmonia”

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -