- Publicidade -
- Publicidade -
25 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

O que levar em conta antes de seguir outros investidores

O impacto das redes sociais nas vidas de seus usuários vai muito além das formas com que estes se relacionam uns com os outros. Qualquer pessoa que faça uso extensivo de tais ferramentas estará sujeita a receber um fluxo ininterrupto de informações fornecidas tanto por indivíduos tidos como autoridades em suas respectivas áreas quanto por pessoas aparentemente sem maiores credenciais.

Sociabilizar, copiar, espelhar

Era inevitável que a internet social exercesse influência decisiva também no sempre dinâmico (e sempre aberto a mudanças) mundo dos investimentos. Isso explica a força do fenômeno conhecido como social trading, que nada mais é que o agrupamento (formal ou informal) de indivíduos em comunidades online destinadas a trocas de perspectivas e aconselhamentos sobre o mercado financeiro.

Um possível desdobramento do social trading é o copy trading que, como o próprio nome indica, diz respeito ao ato de copiar posições de investimento de um ou mais traders. É um caso similar ao do mirror trading (algo como “trading de espelhamento”), mas neste segundo caso realizam-se operações estabelecidas por algoritmos criados a partir dos padrões de investimentos de traders bem-sucedidos.

- Publicidade -

Fonte: Pexels

Questões psicológicas

Os benefícios de copiar ou espelhar são óbvios quando pensamos no tempo que tais ações nos poupam. Dito isso, o hábito de tomar decisões baseadas em um conjunto predeterminado de informações tem seus riscos. Há uma vasta literatura dedicada a isso, mas aqui falaremos de dois pontos observados pelo psicólogo americano Robert Cialdini no livro Influence (lançado no Brasil sob o título As armas da persuasão).

Em sua obra, Cialdini propõe que boa parte do nosso processo decisório se baseia em seis princípios fundamentais. Um deles tem tudo a ver com o social trading: o princípio da aprovação social. Não estamos falando necessariamente de agir como a maioria das pessoas, mas principalmente de agir em conformidade com a maioria das pessoas pertencentes a um grupo com o qual nos identificamos.

Quanto ao copy trading (e, em menor medida, ao mirror trading), é bastante evidente a sua relação com outro dos princípios-chave de Cialdini: o da autoridade. Em linhas gerais, ele se refere à nossa tendência de seguir as recomendações de determinada pessoa que julgamos ser uma autoridade ou um expert em determinada área (mesmo que essa pessoa não ocupe um cargo de prestígio).

(Foto: Pexels)

Lidando com as marés

Toda essa psicologia é relevante porque tomar uma decisão vista com bons olhos por determinado grupo ou autoridade tende a nos tornar mais propensos a assumir riscos. Um dos motivos para isso é que, se algo não sai como o esperado, sempre podemos apontar o dedo para alguém. É o que chamam de transferência de responsabilidade, ou transferência de culpa, como diz o filósofo Mario Sergio Cortella.

Se lembrarmos, porém, que mesmo quando se faz tudo “certo” ainda é possível que os resultados não apareçam no curto prazo, podemos encarar com mais serenidade os altos e baixos do mercado e da vida. Assim, mesmo quando considerarmos apropriado seguir as opiniões de outrem, seremos sempre corajosos o bastante para assumir a responsabilidade pelas consequências de nossas decisões.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -