- Publicidade -
- Publicidade -
22.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Plano de Gestão da Corvina ainda não foi criado e Sindipi volta a cobrar o Ministério da Pesca

O SINDIPI (Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e Região) voltou a cobrar o MPA (Ministério da Pesca e Aquicultura) para a criação de um Plano de Gestão da Pesca da Corvina. 

No início de maio, durante a reunião extraordinária, a coordenação do CPG (Comitê Permanente de Gestão) Demersais Regiões Sudeste e Sul informou que nos próximos dias seria criado um Grupo de Trabalho para elaboração do plano. Porém, até o início deste mês, o GT não foi instituído através de normativa que precisa ser publicada no Diário Oficial da União. 

Por este motivo, o SINDIPI voltou a questionar formalmente o MPA sobre o tema. 

- Publicidade -

“Recebemos a promessa de que o GT seria criado nos próximos dias e isso já faz um mês. A corvina é um dos principais recursos pesqueiros de Santa Catarina e o setor produtivo não pode mais esperar”, frisa o presidente do SINDIPI, Agnaldo Hilton dos Santos. 

Com possibilidade de ser incluída na lista de espécies ameaçadas e ter a captura proibida, a Corvina movimenta mais de R$ 200 milhões por ano e de sua captura dependem cerca de 30 mil pescadores em 35 municípios catarinenses. Desde 2022 o SINDIPI pleiteia um Plano de Gestão para que a pesca permaneça nos limites sustentáveis. 

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -