- Publicidade -
- Publicidade -
23.2 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Programa de Qualificação para Exportação da Univali atendeu 227 empresas, com 57 exportações no período

A coordenadora do Peiex na Univali, advogada Giselda Cherem, disse que o programa atende empresas de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

O Núcleo Operacional do Programa de Qualificação para Exportação (Peiex) da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), desenvolvido por meio de parceria entre a Escola de Negócios, Educação e Comunicação da Univali e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil), atendeu 227 empresas e 42 delas iniciaram o processo de exportação neste período. 

Nesta semana aconteceu uma reunião para apresentar os resultados do ciclo 2021/2023 e homenagear as empresas que se destacaram durante a realização das atividades. 

Reitor diz que universidade se orgulha do projeto

Foto Karine Gerlach

O reitor da Univali, professor Valdir Cechinel Filho, ressaltou que a universidade se orgulha muito, já que possui um curso de Comércio Exterior com nota máxima no MEC e um projeto como esse se mostra como ação concreta em apoio à empresas iniciarem exportações, e ainda formando profissionais criativos de forma responsável, intercultural e ética. 

“O projeto extrapola os muros da universidade e chega ao mercado permitindo a conexão dos produtos brasileiros com o mundo. Temos orgulho em fazer parte de um projeto que amplia de maneira exemplar o desenvolvimento econômico em nosso estado. Foram 24 meses, sabemos que o caminho não foi fácil e exigiu muita determinação. É de suma importância a parceria do poder público, universidade e empresas para realizar exportações. É a cultura exportadora ganhando força e inspirando a ampliar projetos. Podem contar com a Univali para apoiar a expansão de negócios e novas oportunidades junto às micro e pequenas empresas”, afirmou.

- Publicidade -

Professora responsável comemora os excelentes resultados

A coordenadora do Programa, Giselda Cherem (Foto Renata Rutes)

A coordenadora do Peiex na Univali, professora Giselda Cherem, afirmou que a noite foi importante para homenagear e agradecer todos os envolvidos por se dedicarem ao projeto. Ela destacou que durante todo o processo houve cinco reuniões (a cada seis meses), com associações empresariais, Banco do Brasil, Correios, Sebrae e Receita Federal. 

A meta era atender 225 empresas e conseguiram chegar a 227. 42 delas conseguiram exportar, totalizando 57 exportações no período do projeto (para países como Uruguai, Argentina, Venezuela, Reino Unido, Portugal, Peru, México, França, EUA, Colômbia, Chile, Congo e Equador), que atendeu 34 cidades do Brasil, incluindo de outros estados (de forma online). 

“Fizemos viagens internacionais, participamos de feiras, capacitações foram realizadas. Houve atendimentos de empresas dos mais diversos setores, como vestuário, artigos esportivos, alimentos e bebidas, games, casa e decoração, máquinas e equipamentos, e mais”, disse.

Somente nas viagens feitas para o Chile e Paraguai, onde as empresas participantes fizeram reuniões e participaram de feiras, a projeção de vendas para os próximos 12 meses ultrapassa os U$ 3 milhões de dólares. 

“O Peiex permite que as empresas possam aprender sobre a habilitação de documentos, tributação, logística, formação de preço, prospecção de novos mercados, operações financeiras internacionais e marketing na exportação, além da oportunidade de participação em feiras, missões e rodadas internacionais. As empresas recebem atendimento individualizado e gratuito, bem como treinamentos coletivos e estudos de mercado”, pontuou Giselda.

Diversidade empresarial e apoio para todas

Chamou a atenção pela diversidade de empresas participantes, desde as voltadas para o ramo de embarcações, como ainda do ramo têxtil (incluindo a Arte Sacro, empresa de Balneário Camboriú que possui atuação no México e escritório em Miami, sendo especializada em roupas para sacerdotes, já vestiram até mesmo o Papa Francisco), cosméticos, travesseiros (empresa Marcbrayn, que faz travesseiro da NASA, assinado pelo astronauta Marcos Pontes) e até de bebidas alcoólicas (como cachaçarias de Luiz Alves) e alimentícias. 

Todas em suas falas agradeceram o apoio oferecido pela Univali, pontuando que a universidade foi responsável por incentivá-los e capacitá-los para realizar sonhos – algo destacado pela Cheiro Brasil, empresa que conseguiu se regularizar e que fechou contrato de U$ 300 mil dólares/ano exportando para o Vietnã.

A empresária Renata Carloto, da Mer Bleu Beach Wear, disse que o apoio da Univali e do projeto foi ‘fundamental’ para esclarecer dúvidas e realmente possibilitar que a empresa conseguisse exportar. 

“Tínhamos problema com sazonalidade do produto [roupas de banho], porque vender só para outras regiões não era o suficiente, e conseguimos então levar para os Estados Unidos. São produtos com qualidade de matéria prima que não existe nos Estados Unidos, e conseguimos nos supervalorizar lá fora”, afirmou.

Outra empresa que participou do Peiex é a Sóllido Personal Care, empresa de cosméticos sustentáveis de Joinville, criada em 2022, e que fará a primeira exportação para a Colômbia. 

“O suporte oferecido pelo Peiex foi fundamental para o desenvolvimento e crescimento da Sóllido no cenário internacional. As orientações estratégicas, mentorias e incentivos foram essenciais para impulsionar nossas exportações. Neste momento, estamos fazendo o registro de produto na Colômbia para poder seguir com a nossa primeira exportação”, destacou a gerente de Operações Internacionais, Julia Santos. 

- Publicidade -

Apoio também da Portonave e Receita Federal

Osmari Ribas (Foto Renata Rutes)

Quem também participou do encontro foi a Portonave, o Porto de Navegantes, representada por Osmari de Castilho Ribas, diretor superintendente, que disse que a região tem característica e forte apelo junto à exportação, mas que há necessidade de integração, por isso o Peiex veio ‘em bom momento’. 

“Também fortalece as micro e pequenas empresas daqui, para que consigam aproveitar o potencial logístico que temos. A Portonave acredita muito nesse projeto, acreditamos que há muito potencial de se desenvolver cada vez mais nos próximos anos”, disse.

Roberto Mussi Filho (Foto Renata Rutes)

A Receita Federal também esteve presente, através do auditor fiscal e delegado da Alfândega de Itajaí, Roberto Jacó Nicolau Mussi Filho, que opinou que o Peiex permite que empresas de pequeno porte saiam apenas do mercado interno e descubram o mercado externo. 

“A vocação da empresa é o mundo, nós vivemos o mundo. Preparar essas empresas e profissionais que nelas atuam para o mercado internacional, de igual para igual, com as empresas asiáticas sobretudo, que são nossas grandes ‘barreiras’ pela pujança econômica que encontraram nos últimos 50 anos, é fundamental, pois assim aumentamos empregos, receita e qualidade de vida. Tudo isso passa pela universidade, porque a educação é fundamental, e a Univali está em um papel importante nesse processo”, opinou.

A apresentação dos resultados contou com a presença de representantes da ApexBrasil, Receita Federal, Correios, Banco do Brasil, Secretaria de Articulação Internacional de Santa Catarina, Secretaria de Estado da Indústria, do Comércio e do Serviço, Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina, Portonave, Secretarias Municipais e Associações Empresariais.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -