- Publicidade -
- Publicidade -
24.6 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Rei de Angola visita Quilombo do Morro do Boi em Balneário Camboriú

O Rei do maior grupo étnico de Angola, Tchongolola Tchongonga-Ekuikui VI, que está visitando várias cidades brasileiras, estará em missão oficial no Quilombo do Morro do Boi, em Balneário Camboriú, nesta quarta-feira (1).

Ele estará acompanhado de uma comitiva da África e representantes da comunidade angolana de São Paulo.

Santa Catarina faz parte do roteiro do rei, que veio encontrar os primeiros refugiados angolanos naturais de Benguela que chegaram ao Brasil em 1976. 

- Publicidade -
Rei do maior grupo étnico de Angola em visita à Escola Básica Mansueto Très (Foto Luciana Leão)

Em Itajaí, o rei  foi recepcionado pela diretoria da Associação dos Naturais e Amigos de Angola (ANANG). O presidente da ANANG, João de Deus Peixoto Brito disse que em junho deste ano fizeram um intercâmbio na Angola quando convidaram o Rei dos Ovimbundos, para conhecer Itajaí.

“Aqui na nossa cidade nós temos a primeira associação de refugiados angolanos do país, então é uma honra receber esse representante aqui por esses dias”, disse Brito.

A vinda do Rei integra a programação do mês da Consciência Negra de Itajaí. Nesta quarta-feira (1), Tchongolola participará da abertura e lançamento da campanha Itajaí Sem Racismo, com ato solene no gabinete do prefeito. Ele também participou de rodas de conversa e visitou escolas.

O rei visitará o Morro do Boi, onde será recepcionado às 19h desta quarta-feira (1) pelos integrantes da Associação Quilombola do Morro do Boi e pesquisadores da Univali.

Sobre o Rei dos Ovimbundos

Aos 39 anos, o rei Tchongolola Tchongonga-Ekuikui VI é o 37º soberano do reino subnacional do Bailundo, localizado na região central de Angola. O reino do Bailundo foi Estado pré-colonial africano dos povos Ovimbundu e surgiu no Planalto Central de Angola em meados de 1700.

Angola tem um regime presidencialista e é dividido em cinco reinos independentes. O Rei não tem poder de chefe de estado, mas influencia sobre as tradições culturais do país. Tchongolola Tchongonga-Ekuikui VI é o Rei do maior grupo étnico de Angola – os Ovimbundos e é o primeiro neto legítimo matrilinear do falecido Rei Augusto Katchitiopololo (rei Ekuikui IV).

Formado em Direito, poliglota, fala quatro línguas, uma delas é o Umbundu, língua oficial do Reino do Mbailundo, além da língua francesa, portuguesa e inglesa. Em seu discurso, o Rei destacou a importância de uma frase que viu exposta na Escola Básica Mansueto Trés.

“Respeito não tem cor, tem consciência! Recomendo que essa frase não fique apenas na escrita, mas sim que venha do fundo do coração para unificar todos os povos. Deus fez cada ser humano de forma única, mas o sangue que corre em nossas veias é um só”, disse o Rei Tchongolola. 

fonte: Assessoria Comunicação Prefeitura Itajaí

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -