- Publicidade -
- Publicidade -
13.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Fevereiro Roxo, conscientização do Alzheimer, lúpus e fibromialgia

Balneário possui grupos de apoio e fará live nesta quinta

O mês de fevereiro é marcado pela campanha nacional Fevereiro Roxo, que acontece desde 2014 para conscientizar a população sobre Alzheimer, lúpus e fibromialgia. As três doenças não têm muito em comum, mas nenhuma delas tem cura conhecida pela medicina. Porém, os portadores dessas patologias podem optar por alternativas que lhe oferecem melhor qualidade de vida, como tratamentos e até mesmo exercícios para o cérebro – este inclusive será tema de uma live especial feita pela Secretaria da Pessoa Idosa nesta quinta-feira (25) às 15h. A cidade também conta com grupos de apoio psicológico para portadores e seus familiares. 

Secretaria da Pessoa Idosa tem programação especial

Desde 2020, a Secretaria da Pessoa Idosa vem realizando lives para apoiar os idosos, principal grupo de risco da Covid-19 e que não podem participar de atividades presenciais, e uma delas é a Exercitando o Cérebro, que retorna nesta quinta-feira (25), com a neuropsicóloga Sandra Hoffmann e acontecerá a partir de agora semanalmente, sempre neste dia e horário. Sandra explica que enquanto não houver cura para as três doenças lembradas pelo Fevereiro Roxo, o foco é proporcionar conforto aos portadores.

Sandra do ‘Exercitando o Cérebro’ (Arquivo Pessoal)
- Publicidade -

“O Alzheimer principalmente trabalhamos com exercícios focados nas funções cognitivas, com estimulações que trazem benefícios”, diz.

A profissional lembra que há um ‘pequeno declínio’ na memória e lentificação que faz parte da velhice, mas que situações como, por exemplo, ir ao mercado e não se lembrar de onde está ou como voltar para casa, pode ser um sinal para o Alzheimer, já que a doença leva de oito a 10 anos para se manifestar. 

“A partir dos 65 anos podemos ficar mais lentos, como estar fazendo uma comida, toca o telefone, e esquecer a comida. Mas esquecimentos do que sabia fazer, como receitas e costura, podem ser sinais de que algo não está certo”, salienta.

Sandra comenta que o Alzheimer é muito comum – estima-se que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de pacientes é de 35,6 milhões no mundo e deve dobrar até 2030. 

- Publicidade -

“Hábitos saudáveis, como atividade física regular, manutenção da rede de amigos, agora na pandemia contatos virtuais, videochamadas, essas estimulações podem ajudar muito nesse sentido. Se você possui algum sinal, procure o seu geriatra porque o diagnóstico precoce pode ajudar”, acrescenta.

Mais lives em breve

A secretária interina da Pessoa Idosa, Silvana Batista Gomes, lembra que a pasta vem apresentando diversas lives, e que a primeira a retornar neste ano é a ‘Exercitando o Cérebro’, mas em breve devem voltar a ser transmitidas as de alongamento e o projeto Café Terapia, onde os idosos podem conversar com psicólogos. 

“Eles ligam, perguntam sobre quando retornam as atividades, as presenciais ainda não sabemos, apesar de que a vacina é uma ‘luz no fim do túnel’, mas as online estaremos retornando, já é uma forma de apoiá-los e estar com eles neste momento tão difícil”, afirma.

- Publicidade -

A live Exercitando o Cérebro será transmitida gratuitamente pelo Facebook da SPI (facebook.com/secretariadapessoaidosa) nesta quinta-feira (25), a partir das 15h.

Instituto Sentir conta com grupo de apoio

O Instituto de Psicologia Sentir possui uma sub-regional da ABRAz (Associação Brasileira de Alzheimer). Segundo o responsável pelo local, o psicólogo Luciano Estevão, há um grupo de apoio aos cuidadores e familiares de portadores da doença. Neste momento, por conta da pandemia, o trabalho vem acontecendo de modo virtual.

Luciano, do Instituto Sentir – Divulgação/IS

“Temos cadastradas cerca de 120 famílias, mas participam do grupo entre 15 a 20 pessoas”, diz.

Projeto AMAR

Luciano também possui outro trabalho privado e individual, o AMAR (Afeto, Memória, Atenção e Reabilitação), que objetiva a estimulação cognitiva para idosos e prevenção de demências. 

“Estou me especializando em Neuropsicologia, pesquisando as demências, suas causas e possíveis prevenções. O AMAR atende idosos acima de 60 anos com ou sem demência. O atendimento é feito por meio de agendamento individual prévio. Nele é realizado uma série de atividades de estimulação e reabilitação cognitiva”, salienta.

Para mais informações sobre o grupo de apoio aos cuidadores e familiares e sobre o AMAR: (47) 9.8874-5252, diretamente com Luciano Estevão.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
%d blogueiros gostam disto: